Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



24ED0DE9-3608-4965-BB06-8CCC0C1B72DC.jpeg 

 

Os maus comportamentos humanos são responsáveis pelo aumento do cancro de pele, que mata anualmente 250 portugueses”. Foram estas as palavras do presidente da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC), Dr. Osvaldo Correia. Acrescentou ainda que “só a adoção de medidas preventivas poderá evitar o aumento significativo de cancros de pele que se verifica em Portugal e na Europa, em resultado de comportamentos negligentes na relação com o sol”.

 

O Sol não brilha apenas na praia, ele segue-nos para todos os lugares. Quando falamos dos danos causados pelo Sol, pensamos logo na praia mas, na realidade, o Sol não brilha apenas à beira mar. Na praia, no desporto, no passeio ou no trabalho, quando estamos ao ar livre, os cuidados em relação à exposição solar, devem ser redobrados:

- Sempre que possível, escolher o início e o final do dia para a execução das tarefas ao ar livre.

- Usar sempre chapéu (preferencialmente de abas largas), óculos escuros com proteção contra UVA e UVB e vestuário adequado que proteja o pescoço, decote, braços e pernas. O uso de um chapéu que cubra adequadamente as orelhas, o nariz e os lábios é muito importante, pois estas zonas estão na origem de muitos cancros de pele.

- Na pele exposta, utilizar sempre protetor solar, de índice de proteção elevado (SPF superior ou igual a 30), não esquecendo a sua constante renovação (de 2 em 2 horas).

 

Neste sentido, durante este verão, a Associação Portuguesa de Cancro Curâneo promove uma campanha de alerta em relação aos cuidados a ter com o sol em férias e no trabalho, que vai percorrer o país de norte a sul, do litoral ao interior, junto de praias marítimas e fluviais, bem como locais de trabalho ao ar livre, nomeadamente da construção civil e da agricultura.

Durante esta ação, a Mota-Engil Engenharia e Construção e a Fundação Manuel António da Mota, conscientes dos perigos do excesso de exposição solar, promoveram, em parceria com esta Associação, a campanha “Acrescento + Proteção à minha Segurança”, iniciativa iniciada em 2017.

É importante que outras empresas sigam este exemplo, dando condições aos trabalhadores para se protegeram do sol, não só fornecendo vestuário adequado, mas também protetores solares e, ainda mais importante, formação, no sentido de consciencializar para os danos causados pelo sol, em qualquer lugar.

Nesta campanha, desportistas e trabalhadores ao ar livre, são o alvo.

 

Um hábito importante e que é uma excelente ferramenta na prevenção, é consultar o site do Istituto Português do Mar e da Atmosfera não só para ver se estão temperaturas elevadas, mas também para verificar o nível previsto de ultravioleta (UV).

 

Não se esqueçam que trazer roupa leve a cobrir o corpo não faz calor! No deserto, só os turistas andam de calções e t-shirts e, mesmo na praia, quem passa o dia a trabalhar e percebe do assunto, cobre-se todo. 

  

5AC7CBDE-FC9B-4D7B-AC9C-7E2759B3E2BD.jpeg

Ainda este ano estive no Vietnam e as vendedoras de praia só mostram os olhinhos. Elas é que sabem...

A80D54F4-5608-4397-8B84-085ABA706AE8.jpeg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:41

Portugal é um exemplo na luta contra a SIDA

por dicasdefarmaceutica, em 05.07.18

78DE4674-8ED1-4780-AE1B-50F2FB340FA1.jpeg

 

Muito se tem feito em Portugal na luta contra a SIDA. Desde os meus tempos de faculdade, em que o diagnóstico da doença estava a dar os primeiros passos e o tratamento era ainda uma “miragem”, que existem no nosso país alguns grupos de especialistas dedicados a esta doença. O resultado do empenho desta gente está a par do melhor que se faz no mundo no combate ao VIH. 

 

Portugal está entre o restrito grupo de países europeus com mais pessoas com VIH diagnosticadas e com mais doentes em tratamento que deixaram de transmitir a infeção, revelou hoje um responsável da Organização Mundial da Saúde (OMS). "Portugal tem feito um percurso exemplar na prevenção, detecão, tratamento e cuidados dos doentes com VIH", afirmou Masoud Dara, sublinhando que o país atingiu praticamente todos os objetivos estabelecidos no programa das Nações Unidas para o VIH/SIDA - ONUSIDA, conhecido como 90/90/90.

Portugal já atingiu dois dos objectivos: a identificação das pessoas infetadas e conseguiu que 90% dos doentes em tratamento atingissem uma carga muito indetectável, quase impossível de transmitir a infeção.

 

A média dos 53 países europeus que participam no programa revelam uma situação preocupante: apenas 69% de doentes estão identificados, a maioria não está em tratamento (58%) e apenas 36% de doentes que estão em tratamento deixaram de ser uma ameaça na transmissão do vírus. Masoud Dara aponta a situação vivida nos países da Europa de Leste como a principal razão para estas percentagens tão baixas, já que naquela região do globo a SIDA continua a ser um assunto tabu. 

Os números hoje revelados colocam Portugal ao lado de países como a Dinamarca, a Islândia, a Suécia, a Grã- Bretanha e a Irlanda do Norte. Estamos de parabéns!

 

Também as farmácias comunitárias vão colaborar, já a partir do próximo mês, para que o disgnóstico da doença seja feito o mais precocemente possível, mediante a realização do teste nas farmácias. Vai ser mais um passo para a deteção precoce e o consequente início atempado do tratamento. A SIDA tem que ser encarada sem tabus, próxima das pessoas, desde a prevenção até ao disgnóstico e ao tratamento. Vamos todos colaborar para continuarmos a ser um exemplo na luta contra a SIDA.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:36

Vamos aprender a viver com os mosquitos

por dicasdefarmaceutica, em 03.07.18

12D66982-1D4E-4EC3-AD94-FB47DD352F1B.jpeg

Escrevi este artigo para a revista Inominável, mas queria partilhá-lo também aqui no blog. Cá vai ele:

 

É só a temperatura começar a subir e começam eles a zumbir nos nossos ouvidos. Malvados mosquitos! Porque é que só aparecem no calor? Porque é que picam mais umas pessoas do que outras? Como é que nos podemos proteger?

Vou tentar responder a estas perguntas, pois quando começa o verão ou quando viajamos para algumas zonas do planeta, é inevitável o contacto com estes seres.

Uns mais agressivos, outros a deixar marcas mais ou menos profundas e outros até mortais, o melhor mesmo é prevenir e aprender a lidar com eles.

 

 ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE OS MOSQUITOS

- Os mosquitos machos não picam. Neste caso, as “más da fita” são as fêmeas que, para que os ovos amadureçam, necessitam de alguns nutrientes, alguns deles presentes no sangue. É por isso que são “elas” que andam atrás de nós. Os machos alimentam-se dos nutrientes das plantas.

- Sabem porque é que existe aquele zumbido insuportável? Porque algumas asas dos mosquitos chegam a bater trezentas vezes num segundo. Que horror e que canseira!

- Os mosquitos têm diferentes horários. Por exemplo, aqueles que transmitem a Malária são mais ativos do entardecer ao amanhecer, os que transmitem o Dengue são mais ativos durante o dia e os que transmitem o Zika gostam das primeiras horas da manhã e das últimas da tarde, evitando as horas de sol forte.

- O desenvolvimento dos mosquitos passa por quatro etapas: ovo, larva, pupa e mosquito adulto.

- Existem mais de 2500 espécies de mosquitos.

 

PORQUE É QUE OS MOSQUITOS SÓ APARECEM COM O CALOR?

O que acontece é que a grande maioria dos mosquitos morre porque não suportam as baixas temperaturas. Os poucos sobreviventes reduzem a sua atividade.

No tempo frio, as fêmeas diminuem a produção de ovos e, como são “espertinhas” evitam voar para economizar energia e manter o próprio corpo aquecido.

Os machos, não menos espertos, recolhem aos abrigos durante o inverno à espera de um clima mais favorável.

 

PORQUE É QUE OS MOSQUITOS PICAM MAIS UMAS PESSOAS DO QUE OUTRAS?

Isto tem muito a ver com o odor de cada pessoa. Existem dois compostos que atraiem os mosquitos: o dióxido de carbono que exalamos e o ácido láctico libertado pelo corpo.

Percebe-se assim porque preferem umas pessoas a outras, dependendo dos cheiros do hálito e do suor de cada um.

Mais recentemente, algumas investigações apontam também para uma explicação desta preferência relacionada com os genes ligados ao odor corporal. O próximo passo é descobrir quais os genes específicos envolvidos nesta escolha dos mosquitos.

 

COMO É QUE NOS DEVEMOS PROTEGER DOS MOSQUITOS?

- Aplicar repelente nas áreas expostas do corpo (braço, pernas, tornozelos, pescoço e face), evitando o contacto com as mucosas ou zonas sensíveis da pele.

- O repelente deve conter DEET, IR3535 ou ICARIDINA. 

DEET: na União Europeia a utilização deste composto químico (N,N-dietilmetatoluamida) não pode ser superior a 20 por cento. Este produto só deve ser usado em crianças com mais de 3 anos.

IR3535: este composto químico (Etilbutilacetilaminopropionato) é seguro para grávidas, sendo indicado para crianças dos 6 meses aos 2 anos, mediante orientação do médico.

ICARIDINA: tem uma ação mais prolongada do que os repelentes à base de DEET e pode ser utilizado por crianças a partir dos 2 anos.

Em cada família, uns são sempre mais "docinhos" do que outros e a eficácia de cada repelente é diferente de pessoa para pessoa.

- Renovar a aplicação do repelente cada 3 a 4 horas. 

- Se usar protetor solar ou maquilhagem, o repelente deverá sempre ser o último produto a aplicar.

- Preferir vestuário de cores claras e de fibras naturais, protegendo o mais possível a superfície do corpo (mangas compridas, calças e sapatos fechados).

- Aplicar repelente ou insecticida com Permerina no vestuário e nas redes mosquiteiras.

- Sempre que possível, usar ar condicionado e/ou dormir com rede mosquiteira.

- Manter as portas e as janelas fechadas. Se estiver num local com uma luz exterior, ligar só essa luz, pois aí estarão as osgas "concentradas e focadas" na caça aos mosquitos. Não gosto muito de osgas, mas tenho que concordar que são muito úteis em determinadas situações.

- Sprays insecticidas, difusores eléctricos ou serpentinas e pulseiras com repelente, poderão ter um efeito complementar. As pulseiras com citronela (também existem para o tornozelo) costumam ser um bom complemento no ataque aos mosquitos.

 

O clima quente e as chuvas favorecem o desenvolvimento em todos os estágios dos mosquitos, por isso, consoante a altura do ano e a zona para onde viajamos, assim devemos adequar as medidas de prevenção. É sempre aconselhável ir a uma consulta do viajante, fazer todas as prevenções aconselhadas e seguir o aconselhamento sobre as medidas adequadas a cada zona e a cada situação.

 

Os mosquitos, além de incomodarem e causarem picadas, são transmissores de muitas doenças, muitas delas sem vacina nem tratamento.

Basta pensarmos em doenças como a Malária, o Dengue e o Vírus ZIca, entre outras, para vermos a perigosidade destes seres. Podemos, claro está, fazer a prevenção da malária, mas para outras doenças, nem prevenção medicamentosa existe. Todas as vacinas aconselhadas devem ser feitas (febre amarela, encefalite japonesa, etc...) e nem por um segundo devemos duvidar da eficácia das mesmas.

 

Mais de 750 mil pessoas morrem anualmente no mundo por causa de picadas de mosquitos.

A prevenção é a única forma de nos protegermos contra estes animais, que são aqueles que mais matam no mundo.

 

D73D2F87-33C2-46CD-A25B-492593546DA7.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:39

“Segurança escreve-se sem caneta”

por dicasdefarmaceutica, em 01.07.18

14EB8D2B-49BF-4948-B417-32CE5530B64B.jpeg

 

Este é o título de um artigo da revista “Saúda”, relativo a um assunto sobre o qual eu já ando para falar há algum tempo, pois a evolução do atendimento farmacêutico nos últimos tempos é digna de destaque em todos os meios de comunicação.

Lembram-se quando os bolsos das nossas batas andavam cheios de canetas e x-actos ou tesouras? Primeiro era cortar os códigos de barras, depois colá-los na receita respetiva e depois escrever nas caixas a posologia de cada medicamento. As canetas chegavam a ser de várias cores e às vezes só os desenhos faziam com que as posologias fossem compreendidas de forma correta. Era todo um ritual que combinava atendimento e trabalhos manuais. E tudo isto não foi assim há tantos anos. Certo é que sempre nos esforçámos para que o doente saísse da farmácia sem dúvidas e satisfeito com o atendimento.

 

4574F39B-B3CE-44A1-AD7B-8627B013D582.jpeg

Agora a evolução em termos de informação ao doente foi muita e os meios à disposição dos farmacêuticos e dos doentes são uma ferramenta em prol da segurança de cada doente. Trata-se de uma comunicação altamente personalizada e das mais evoluídas do mundo.

 

Estou a falar do projeto “Segurança na Dispensa e Toma de Medicamentos (SDTM)”, disponibilizado pela ANF a todas as farmácias do país. “A rede portuguesa de farmácias é a primeira no mundo a oferecer aos doentes um serviço de aconselhamento integrado. Os grandes objetivos são a promoção do uso correto dos medicamentos e a melhoria da adesão à terapêutica. Os portugueses passam a ser informados da altura certa e da forma correta de tomar cada fármaco, através de uma multiplicidade de canais: etiquetas de posologia, talões com resumos posológicos, e-mails, mensagens de telemóvel e uma app.”

 

Ainda o mês passado recebi este e-mail da minha farmácia habitual, após ter ido comprar os medicamentos para o meu pai. Vejam lá a título de exemplo o que se faz de bom no nosso país:

7DB27292-74A3-4751-A166-F27083EC10F5.jpeg

As etiquetas a colocar nas embalagens vêm todas “bonitinhas”, como nesta imagem que tirei da revista “Saúda”:

BD1B6D9D-3D0F-4E31-84F4-E6EA45D597B9.jpeg

Claro está que também a publicidade nos chega por estas vias, como esta que recebi ainda ontem. Não me importo nada, pois é publicidade útil e dá sempre algum conselho importante para a nossa Saúde.

05783EE2-937E-4115-A7E1-57546532BCDC.jpeg

 Hoje é dia 1 de Julho. Se for o seu caso, BOAS FÉRIAS!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:36

A evolução da Prevenção em Saúde

por dicasdefarmaceutica, em 29.06.18

F9A63B70-C1F5-4420-9545-46EACC8DB558.jpeg

 

É sem dúvida o assunto de que mais falo aqui no blog: Prevenção. Prevenção das doenças, para uma vida com mais Saúde.

 

Segundo a definição dada pela Haute Autorité de Santé (HAS), a Prevenção ”consiste em evitar o aparecimento, o desenvolvimento ou o agravamento de doenças ou incapacidades”.

Podemos distinguir três tipos de Prevenção:

- Prevenção Primária: atua a montante da doença. Temos como exemplos a vacinação e as ações sobre os fatores de risco, como o tabaco.

- Prevenção Secundária: atua num estágio precoce da evolução da doença. Temos como exemplos as despistagens e os vários rastreios.

- Prevenção Terciária: atua sobre as complicações e os riscos de reincidência.

A Prevenção Terciária é sempre a mais dispendiosa e a menos eficaz. Por exemplo, se pensarmos nas consequências que podem advir de uma infeção bacteriana, poderemos perceber rapidamente este fenómeno. No início, ela é combatida com sucesso com antibióticos, mas se não for tratada até um estadio mais avançado, pode transformar-se numa doença grave e pode até levar à morte.

 

Gosto particularmente da perspectiva feita pelo cientista Leroy Hood sobre o futuro da medicina e da prevenção. Podemos falar de vários tipos de medicina:

- Medicina P1: Curativa 

Este cientista não chega a referir esta, pois seria uma medicina mais antiga, em que o único objetivo era a cura das doenças após o seu aparecimento.

- Medicina P2: Preditiva e Preventiva

A Medicina Preditiva tem como essência a capacidade de se fazer predições sobre a possibilidade do paciente vir a desenvolver algum tipo de doença, tendo como base testes feitos através do Se ADN. A proposta de tal Medicina é propiciar à pessoa o conhecimento prévio de uma doença que ela tem pré-disposição por ordem genética familiar. Isto tem grandes vantagens a nível de prevenção, podendo mesmo evitar que a tal doença se desenvolva. Pode contudo, comprometer a qualidade de vida privada, pois há pessoas que preferem não saber o que as pode esperar.

 - Medicina P3: Preditiva, Preventiva e Personalizada

Esta Medicina tem as vantagens da anterior, mas é muito mais centralizada no indivíduo do que na própria doença. É gerida sobretudo pelo médico, sobretudo pelos médicos de medicina geral e familiar que agregam as informações das outras especialidades, sempre em prol do doente.

- Medicina P4: Preditiva, Preventiva, Personalizada e Participativa

Esta última será mesmo a medicina do futuro. Nesta, cada indivíduo terá à sua disposição milhões de dados que lhe permitirão a si e aos seus médicos, proceder a análises em tempo real do seu estado geral, com vista a optimizar o seu bem- estar e a prevenir doenças. 

Nesta Medicina, com este quarto P (Participativa), cada indivíduo pode gerir a seu sono, a sua atividade física, a sua alimentação, até a sua medicação ou seja, ter cada vez mais uma atitude proativa no que diz respeito à sua saúde.

Esta atitude poderá mudar a gestão dos sistemas de saúde e a Prevenção será finalmente a ferramenta mais poderosa contra as doenças.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:49

Vamos aproveitar o Sol em Segurança!

por dicasdefarmaceutica, em 15.06.18

image_2017-06-22_16-02-31.jpeg

 

Finalmente, parece que vêm aí as altas temperaturas e os dias de praia. Este fim-de-semana são muitos os que vão estrear a primeira ida à praia de 2018. Por isso mesmo, convém falarmos um pouco de sol e de relacioná-lo com a nossa saúde.

 

O Sol é um dos elementos mais importantes para a vida, ajudando no fabrico da vitamina D, fundamental para o desenvolvimento ósseo, além de ter outras vantagens por nós tão apreciadas. Atrevo-me a dizer que funciona muitas vezes como analgésico (tira a dor), como antidepressivo e parece que quanto mais horas de Sol temos, melhor é a nossa qualidade de vida. Há até quem diga que o Sol vicia e olhem que eu conheço muitos viciados...

 

Apesar de tudo, o sol é também um dos principais fatores de envelhecimento cutâneo e o principal responsável pelo cancro da pele (90% dos cancros de pele são provocados pela exposição solar). Por isso mesmo, sobretudo nesta altura do ano, o Sol deve ser aproveitado de uma forma responsável por todos.

 

Quando falamos de Sol e de proteção solar, lembramo-nos logo da praia, mas a primeira regra e a mais importante, é não nos esquecermos que o Sol brilha em todos os lugares! Sempre que andamos ao ar livre, os raios UVA e UVB acompanham-nos.

 

Qual a diferença entre raios UVA e UVB?

Os raios UVB são os responsáveis pelos eritemas da pele, ou seja, pelos chamados escaldões. São também os responsáveis por muitas alergias ao Sol. Afetam o ADN mais do que os UVA, sendo os principais causadores dos danos directos no ADN, nomeadamente de alguns cancros de pele (normalmente, cancros de pele não-melanoma).  

Os raios UVA são os principais responsáveis pelo envelhecimento precoce e pelas rugas. São também os responsáveis por muitos cancros de pele (melanoma). Os UVA são menos intensos do que os UVB, mas penetram mais profundamente na pele (derme), sendo responsáveis por danos a longo prazo, em vez de danos agudos.

 

Assim, sempre que vamos expor-nos ao Sol, o Protetor Solar deve ser a nossa melhor companhia. Este protetor deve proteger contra os raios UVA e UVB e isto deve estar escrito na embalagem. Também deve ser escolhido se acordo com a idade e com o tipo de pele. Falo na idade porque com as crianças deve haver um cuidado especial durante a exposição solar, pois dado o seu sistema imunitário e a sensibilidade da pele, uma queimadura solar numa criança é sempre algo muito grave. 

 

image_2017-06-22_16-03-34.jpeg

 Vamos então às 5 regras principais na utilização de protetores solares:

1.Os protetores solares devem ter no mínimo fator 30 para toda a gente.

2. As crianças e as pessoas com pele mais sensível ao sol ou com história de cancro, devem optar por um índice mais alto (50+).

3. O protetor deve ser aplicado 20 a 30 minutos antes de sair de casa, para que seja bem absorvido.

4. Na praia ou ao ar livre, convém renovar a aplicação cada 2 horas ou após cada banho. Se transpirar muito, também deve repor.

5. O protetor deve ser aplicado em abundância, não esquecendo nenhuma zona exposta ao sol (planta e peito dos pés, orelhas, couro cabeludo).

 

Como nenhum creme escuda a pele a 100 por cento, convém não esquecer outras medidas a seguir para uma exposição solar em segurança:

- Evitar a exposição direta ao sol entre as 11 e as 17 horas.

- Não aesquecer que os dias nublados não dispensam proteção; 40 a 60% da radiação atravessa as núvens e chega à terra.

- Utilizar óculos de sol com filtro UV. A falta de proteção aumenta em 60% a chance de evolução de cataratas, doença que é a responsável por 48% dos casos de cegueira.

- Utilizar chapéu.

- Beber muita água, sem dúvida a melhor bebida de praia.
 

Depois de todas as dicas para uma exposição solar em segurança, está na hora de desejar a todos umas boas férias, com muito Sol e muita Saúde!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:57

Dia Mundial do Dador de Sangue

por dicasdefarmaceutica, em 14.06.18

 

4A3A202A-7E34-4C89-82C0-9A2F734BA773.jpeg

 

Não podemos deixar passar este dia sem falar nele."Esteja disponível para quem precisa. Dê sangue. Partilhe vida!". É este o alerta que a Organização Mundial da Saúde(OMS) lança neste dia.

Os objetivos da campanha deste ano centralizam-se no dador, agradecendo a todos aqueles que, de uma forma voluntária, consciente e para bem de todos, dão sangue para salvar vidas.  

A importância de ter dadores regulares para manter as adequadas reservas de sangue também é uma constante preocupação da OMS e dos vários organismos que, em cada país, gerem os bancos de sangue.

 

Aptos a dar sangue estão todos aqueles que demonstrem estar num bom estado de saúde, ter hábitos de vida saudáveis, um peso igual ou superior a 50 kg e idade compreendida entre os 18 e 65 anos. Para uma primeira dádiva o limite de idade é aos 60 anos.

A dádiva de sangue pode ser efetuada de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens.

 

Se se sentir uma pessoa saudável e se quiser dar sangue, deve dirigir-se a um centro de recolha, fazer um exame médico e depois é muito fácil: não dói, no fim toma uma curta refeição e vai sentir-se muito bem!

 

Lembre-se que dar sangue é um gesto que pode salvar muitas vidas! 

 

São muitas as instituições que estão sensibilizadas para a dádiva de sangue. Só a título de exemplo e porque é um local que me diz muito, aqui fica um exemplo:

 

6C4671D4-3C24-453B-B970-986840B327B5.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:52

Novas esperanças no tratamento e diagnóstico do Cancro

por dicasdefarmaceutica, em 08.06.18

D305BDEB-5E41-4196-8386-5F5A758FBE2D.jpeg

 

Ontem falei AQUI de Cancro e referi que a grande esperança no controle desta doença está no controle da divisão celular, principalmente através da “manipulação do sistema imunitário”.  

 

Há muito que se fala de Imunoterapia e Cancro, mas afinal o que é a Imunoterapia?

“A imunoterapia é uma forma inovadora de tratamento para o cancro, através da qual se ativa o sistema imunitário, se estimulam as células do nosso organismo que habitualmente o defendem das agressões, para que o defendam também contra o cancro. Isso faz com que, quando as células de determinado órgão do organismo se transformam em células tumorais, elas vão ser reconhecidas pelos linfócitos, os ‘soldados’ do sistema imunitário (glóbulos brancos), que terão assim a capacidade de as reconhecer e de as destruir eficazmente.”

Este tratamento já é utilizado em alguns cancros e tem sido cada vez mais utilizado, normalmente associado a outros tratamentos, como a quimioterapia. Recentemente, falou-se muito de uma doente americana de 49 anos com cancro de mama muito agressivo, já espalhado a vários órgãos e que não tinha qualquer esperança de tratamento. Foi submetida a um tratamento experimental de imunoterapia e, passados 12 meses, o cancro estava tratado. É a primeira vez que tal acontece. 

Neste momento, penso que a imunoterapia é mesmo o tratamento mais promissor no combate a esta doença.

 

Recentemente nasceu uma nova esperança no diagnóstico do cancro: através de uma análise de sangue poderá ser possível fazer o diagnóstico precoce de alguns tipos de cancro, nomeadamente pâncreas, ovário, fígado e bexiga. Muitas vezes, estes cancros são detetados já demasiado tarde, quando não é possível operar os doentes e as hipóteses de sobrevivência já são poucas. 

Trata-se de um teste que deteta pequenos fragmentos de ADN libertados pelas células cancerígenas no sangue.

O diagnóstico precoce é sem dúvida uma das maiores esperanças no combate ao cancro, mas este teste ainda vai demorar alguns anos a ser introduzido no mercado.

 

Os avanços no diagnóstico e no tratamento do cancro são promissores mas, como vos dizia ontem, o cancro está longe de ser erradicado. Vamos fazendo a nossa parte, tentando controlar os fatores externos e não faltando aos rastreios que temos ao alcance. Não há qualquer dúvida que o cancro, quando detetado numa fase precoce, tem muito mais hipóteses de ser tratado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:34

Medicamento que previne a SIDA só chega a 100 pessoas

por dicasdefarmaceutica, em 05.06.18

44C17773-998D-44D4-9585-082DDD067041.jpeg

 

Nos Estados Unidos, o Truvada, medicamento que combina os antirretrovirais tenofovir e emtricitabitina, foi aprovado como medicação para profilaxia pré-exposição (PrEP) em 2012.

Desde essa data, o medicamento era indicado só para adultos acima de 18 anos dentro de determinados grupos de risco, nomeadamente, casais gays, travestis e transsexuais, profissionais do sexo, e casais sorodiscordantes (em que apenas um possui o vírus).

A partir de agora, a FDA (Food and Drug Administration) aprovou nova indicação do Truvada; pode ser utilizado por menores de 18 anos, de forma a reduzir o risco de contrair a doença (HIV-1).

 

Em Portugal, há muito tempo que está prometida a referida profilaxia pré-exposição (PrEP), mas só agora chegou em termos oficiais. E digo isto porque se sabe que alguns destes medicamentos foram comprados via internet em sites não muito recomendados e sem qualquer controlo.

A PrEP, através do Serviço Nacional de Saúde (SNS) vai estar disponível apenas para 100 pessoas. A informação consta do Plano de Acesso Pecoce a Medicamentos gerido pelo Infarmed. Segundo esta instituição, “o processo de financiamento deste medicamento ainda não está concluído” e a empresa Gilead (empresa que comercializa o Truvada) dispensou apenas 1200 embalagens para o Plano de Acesso Precoce.

 

Antes de iniciar este tratamento preventivo é necessário que o indivíduo faça o teste de HIV e receba o resultado negativo, que deve ser confirmado a cada três meses. Isso porque, em caso de infeção precoce, o uso do Truvada pode permitir que o vírus desenvolva resistência a medicações.

Além disso, o medicamento deve ser utilizado diariamente, conforme recomendação, junto com outras ferramentas de prevenção, como preservativos, uma vez que o Truvada não previne outras doenças sexualmente transmissíveis.

 

Esperemos que a partir de agora este assunto tenha um desenvolvimento mais rápido, pois já estamos bastante atrasados em relação a outros países e está provado que o Truvada, quando administrado convenientemente e devidamente controlado, tem uma eficácia próxima dos 100%. 

As Nações Unidas definiram como meta, alcançar os parâmetros 90-90-90 até 2020, ou seja, ter 90% da população co HIV diagnosticada, 90% desta em tratamento e 90% deste grupo a alcançar a supressão viral, ou seja, incapaz de propagar a doença.

 

Estas metas só serão alcançadas se não continuarmos a ter notícias como as do mês passado em que, por exemplo, na Venezuela, “mais de 100 mil doentes com sida estão sem tratamento com antirretrovirais” ou que “o Governo de Moçambique subiu de 1,9 para 2,1 milhões a estimativa do número de pessoas no país que vivem infetadas com o vírus que causa a sida”.

 

Em 2018 temos todos os meios científicos para controlar esta doença. Vamos aguardar que toda a outra “geringonça” funcione...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:29

Dia Mundial Sem Tabaco

por dicasdefarmaceutica, em 31.05.18

21067B96-3FED-4EFC-9AD9-A7DB05B49741.jpeg

 

Comemora-se hoje o Dia Mundial sem Tabaco e o tema escolhido para este ano é: “O Tabaco Destrói Corações. Escolha Saúde, Diga Não Ao Tabaco”.

 

“O consumo de tabaco é a segunda principal causa de doença cardiovascular, a seguir à hipertensão arterial. O consumo de tabaco e a exposição ao fumo ambiental contribuem para aproximadamente 12% do total de mortes por doença cardíaca em todo o mundo. A epidemia global do tabaco mata mais de 7 milhões de pessoas por ano, no mundo, dos quais cerca de 900.000 são não fumadores que morrem por exposição ao fumo do tabaco.

Mesmo as pessoas que fumam menos de cinco cigarros por dia apresentam maior risco de desenvolver doença coronária, adverte a DGS”.

 

Os objetivos traçados pela OMS para o Dia Mundial Sem Tabaco 2018 são:

  • Destacar a relação entre o consumo de produtos do tabaco, a saúde do coração e as doenças cardiovasculares;
  • Aumentar a consciencialização da população sobre o impacto do consumo do tabaco e da exposição ao fumo ambiental na saúde cardiovascular;
  • Proporcionar oportunidades para o público, governos e outros assumirem medidas de promoção da saúde cardiovascular, protegendo as pessoas do consumo de tabaco;
  • Incentivar os países a intensificarem a implementação das medidas preconizadas pela Convenção-Quadro da OMS para o Controlo do Tabaco.

 

O tabaco constitui a principal causa de doença e mortalidade preveníveis nos países desenvolvidos. 

No âmbito deste dia e sabendo que as mulheres fumam cada vez mais, o Ministério da Saúde publicou ontem uma nova campanha para sensibilizar as mulheres a deixarem de fumar. Deixo-vos o filme desta campanha com o título“Opte Por Amar Mais”:

 

 

Amanhã é o Dia da Criança e este também é um bom tema para reflexão. É da responsabilidade de todos oferecer às crianças um bom ambiente para nascerem e crescerem saudáveis. Para tal  deve ser um ambiente livre de fumo do tabaco.

Não se esqueça: O SEU CIGARRO FAZ MAL ÀS CRIANÇAS!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Agosto 2018

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog