Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tabaco na gravidez

por dicasdefarmaceutica, em 10.11.15

image.jpg

 

Este foi um dos temas mais debatidos no XXXI Congresso de Penumologia, que teve lugar no Algarve, no passado fim de semana.

 

A nicotina passa de forma rápida a placenta, atingindo concentrações no feto 15% superiores às do sangue materno.

 

Aflige-me sempre ver uma grávida fumar, mas quando se fala nisso, vêm sempre as teorias de que a ansiedade de não fumar pode ser mais prejudicial...blá,blá, blá...

Pois é, o que é certo é que no estudo europeu, cerca de 90% das mulheres fumadoras deixaram o tabaco durante a gravidez, enquanto que no estudo português, a percentagem foi de apenas 47%. Parece que a Europa está mais consciente dos perigos do tabaco durante esta fase da vida da mulher e que Portugal, aqui neste cantinho plantado, não quer encarar de vez este grave problema para a saúde do feto, e aconselhar todas as grávidas a deixar de fumar.

 

Para Ana Figueiredo, Coordenadora da Comissão de Tabagismo da SPP (Sociedade Portuguesa de Pneumologia), "o tabagismo é algo que deve ser combatido independentemente da idade e da condição física. Conhecidos os riscos do tabaco na gravidez, é fundamental promover uma maior consciência de grupos sensíveis como as grávidas e, à semelhança do álcool, dever-se-ia incutir a total proibição do seu consumo, sem qualquer exceção".

Também Joana Abreu Lopes, Psiquiatra do Hospital de Vila França de Xira, diz que "é um erro manter os hábitos tabágicos durante a gravidez, ainda que reduzidos. Apesar de muitos médicos defenderem o limite de 5 cigarros/dia como forma de combater a tensão gerada pela privação de nicotina, a verdade é que existem inúmeras formas seguras de combater os sintomas associados à privação de tabaco".

 

Se está grávida ou se está a pensar engravidar e é fumadora, pense nisto:

- O risco de aborto aumenta duas vezes para as mulheres fumadoras.

- O risco de uma gravidez extra-uterina aumenta três vezes para as mulheres fumadoras.

- O tabaco aumenta 3 vezes o risco de parto prematuro.

- O tabaco aumenta o risco de atrasos no crescimento intra-uterino.

- O tabaco pode conduzir a malformações fetais e a algumas situações de morte fetal.

- Após o nascimento, o risco de morte súbita do bebé aumenta, caso a mãe tenha fumado durante a gravidez.

- As infeções respiratórias e a asma são mais frequentes nos bebés de mães fumadoras.

O tabagismo passivo apresenta perigos equivalentes aos do consumo do tabaco, por isso, durante a gravidez, evite todos os locais com fumo e não hesite em pedir que não fumem à sua volta. 

 

E, já agora, um vídeo que eu gosto muito:

 

 

 

publicado às 15:28

image.jpg

 

Um dos suplementos aconselhados às mulheres grávidas ou que estão a pensar engravidar é o ácido fólico.

 

Ouvi hoje no noticiário da manhã uma notícia relativa a um estudo feito pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e da Universidade Católica (UC), publicado no "Journal of Endocrinology", que prova que a sobredosagem deste componente é prejudicial para o bebé.

Já sabia que muitas grávidas tomam ácido fólico em excesso, mas não tinha conhecimento dos malefícios que este podia fazer.

 

A suplementação adequada de ácido fólico (componente da vitamina B) durante o primeiro trimestre da gravidez, e mesmo antes da concepção, pode ajudar a prevenir algumas malformações graves nos bebés.

O ácido fólico é essencial para a multiplicação e divisão celular e previne os Defeitos Abertos do Tubo Neural (DTN). A preocupação da toma deste suplemento nesta fase deve-se ao momento em que o tubo neural do bebé se forma e fecha (entre o 17º e 30º dia após a concepção).

O tubo neural dará origem aos hemisférios cerebrais, ao tronco cerebral, cerebelo e medula espinhal. Se o tubo neural não fechar corretamente, pode dar origem a várias malformações.

 

Segundo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), para uma mulher saudável: "O ácido fólico é uma vitamina do complexo B12 necessária para o crescimento do feto e o desenvolvimento normal da gravidez. A suplementação em ácido fólico em 400 µg/dia deve ser iniciada dois a três meses antes de a mulher engravidar, com o objetivo de prevenir malformações no cérebro do bebé."

(As doses recomendadas às mulheres com antecedentes familiares de defeitos do tubo neural são 10 vezes superiores.)

 

O problema está na dosagem. A grande maioria das mulheres está a tomar mais ácido fólico do que o recomendado e, segundo estudos recentes, esta sobredosagem pode ser prejudicial para o bebé, podendo originar problemas de diabetes e obesidade. Não se trata do caso "quanto mais melhor"...

 

Muitos dos medicamentos aconselhados têm uma dosagem de 5 mg de ácido fólico, sendo o aconselhado 12 vezes menos, ou seja, 0,4 mg por dia.

Na realidade, os novos suplementos alimentares têm a dosagem recomendada de ácido fólico mas o preço destes produtos é elevado para a grande maioria das mulheres. Ficam aqui alguns exemplos: 

image.jpg

image.jpg

 

Se está a tomar estes ou outros suplementos, veja a dosagem na bula ou na caixa e pergunte ao seu médico o que deve fazer.

 

Deve também ter atenção à alimentação. Existem alguns alimentos ricos em ácido fólico, nomeadamente os vegetais verdes, a laranja, o ovo, os produtos lácteos fermentados, os cereais e o feijão. Normalmente, a ingestão de alimentos ricos em folatos não dispensa a suplementação de ácido fólico.

publicado às 17:32

Está Grávida? Duas aplicações (Apps) indispensáveis

por dicasdefarmaceutica, em 28.06.14

Toda a grávida sente necessidade de muita informação sobre a sua "barriguinha", sobretudo quando se trata do primeiro bebé. Felizmente, já existem aplicações gratuitas para as futuras mamãs seguirem, durante os noves meses.

Consultei várias, mas duas pareceram-me de bastante qualidade, são em português e ambas foram desenvolvidas a partir de conteúdos certificados por médicos especialistas e outros profissionais de saúde.

 

App "A MINHA BARRIGA"

Esta aplicação Barral é dedicada à futura mamã, dando-lhe todas as informações importantes sobre o desenvolvimento do bebé durante as 40 semanas de gestação.

Dá também conselhos diários de saúde e bem-estar para a grávida.

"A minha barriga" permite à futura mamã fazer uma gestão das suas consultas e exames, de modo a nada falhar durante este tempo.

Dá também muitas dicas importantes, como a lista de tudo aquilo que é necessário levar para a maternidade, de modo a ter tudo pronto quando chegar a hora do parto.

Nesta aplicação, achei piada poder fazer-se um registo fotográfico do desenvolvimento da barriga da grávida.

 

Esta aplicação está disponível para IOS e Android. É compatível com iPhone, iPad e IPod touch.

 

App "A MINHA GRAVIDEZ"

A Bial lançou este mês esta aplicação gratuita de grande qualidade.

Na "minha gravidez", a futura mãe pode fazer um acompanhamento personalizado da sua gravidez, acompanhando mês a mês, a evolução e crescimento do bebé.

O sistema de dicas diárias permite à grávida acompanhar as alterações do seu corpo e tirar muitas dúvidas, que não cessam de aparecer durante estes nove meses.

Também achei muito útil o sistema de lembretes diários para a toma de medicação e para a marcação de exames e consultas.

A concepção desta aplicação reuniu médicos, enfermeiros, psicólogos e outros profissionais de saúde, com o objetivo de dar à grávida mais uma ferramenta para acompanhamento da sua gravidez com toda a segurança.

 

Esta aplicação está disponível para IOS e Android. A versão computador está disponível no site www.novemeses.pt

publicado às 19:23

Suplemento de Iodo para Grávidas

por dicasdefarmaceutica, em 25.05.14

Tendo em conta os dados que mostram um nível insuficiente de iodo nas grávidas portuguesas, a Direção Geral de Saúde aconselha as mulheres que planeiam engravidar, as grávidas e as que estão a amamentar, a receber um suplemento diário de iodo, sob a forma de iodeto de potássio.

O iodo tem como função fundamental a biosíntese das hormonas tiroideias, as quais desempenham um papel muito importante no crescimento e desenvolvimento dos órgãos, principalmente do cérebro. O crescimento e desenvolvimento do cérebro é máximo durante o período fetal e nos primeiros anos de vida, daí a importância deste suplemento.

O iodeto de potássio é receitado pelo médico, tendo em conta a quantidade da mesma substância presente noutros suplementos vitamínicos que a grávida esteja a tomar e a situação clínica de cada uma. É sempre necessário aconselhamento médico, pois o iodo está contra-indicado, por exemplo, para quem tem problemas da tiróide.

Claro que o suplemento de iodo não dispensa uma alimentação variada e equilibrada,que inclua alimentos ricos neste componente. São ricos em iodo vários peixes (bacalhau, sardinha, salmão), o leite e seus derivados, leguminosas e alguns produtos hortícolas e até a cerveja (não muito aconselhável para grávidas...). É verdade, agora que está tão na moda a comida japonesa, convém não esquecer as algas, muito ricas em iodo e que nos estamos a habituar a comer.

A ingestão de excesso de iodo via alimentar é muito rara; as consequências do excesso são menos graves do que as do défice.

Se pretende engravidar, está grávida ou está a amamentar, fale com o seu médico sobre o suplemento de iodeto de potássio.

publicado às 19:04

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog