Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Vacinação contra a Gripe vai começar a 15 de Outubro

por dicasdefarmaceutica, em 12.10.18

C1CDF719-B62E-4DD0-8AB0-AB006C937668.jpeg

 

A gripe é uma doença benigna na grande maioria dos casos, porém, por ser altamente contagiosa, ela é capaz de infetar milhões de pessoas em relativamente pouco tempo. Por isso, a vacinação contra o vírus Influenza tornou-se uma importante medida de saúde pública nos últimos anos. 

A vacinação é a melhor e quase a única forma de prevenir a gripe, daí a sua importância, sobretudo para alguns grupos de maior risco.

 

Em Portugal, a vacinação vai começar a 15 de Outubro e o Serviço Nacional de Saúde (SNS) vai disponibilizar 1,4 milhões de doses de vacinas.

Este ano, a vacinação vai começar cerca de duas semanas depois do que tem sido habitual, para garantir uma melhor e maior proteção durante o período da epidemia de gripe, que em Portugal tem início habitualmente na segunda quinzena de dezembro, de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS). Já são muitos os que perguntam na farmácia se as vacinas já chegaram. Está quase...

 

No SNS, a vacina vai continuar gratuita a partir dos 65 anos, para residentes ou internados em instituições, para os bombeiros e para pessoas com algumas doenças específicas. Nestes casos, a vacina não necessita de receita médica e dispensa também pagamento de taxa moderadora.

 

Além dos 1,4 milhões de doses adquiridas para o Serviço Nacional de Saúde, haverá também vacinas dispensadas nas farmácias através de prescrição médica, com uma comparticipação de 37%.

As receitas médicas específicas para a vacina da gripe passadas desde o dia 1 de julho terão validade até final do mês de dezembro.

 

Recomenda-se que a vacina seja feita até ao final do ano.

 

28D9B3B5-E7FE-40BD-8FD4-0170A40C4900.png

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:12

Dia do Farmacêutico 2018

por dicasdefarmaceutica, em 25.09.18

 

45DA80AC-3310-4B54-8771-721A4809D5D9.jpeg

 

Celebra-se hoje o Dia Internacional do Farmacêutico. Foi a Federação Internacional Farmacêutica que criou este dia no final do ano 2000 numa conferência em Istambul. A data promove a profissão farmacêutica no mundo e proporciona o encontro dos profissionais das várias áreas farmacêuticas, assinalando ao mesmo tempo a importância dos farmacêuticos para a saúde pública.

Em Portugal celebra-se amanhã o Dia Nacional do Farmacêutico. O dia 26 de Setembro é consagrado a São Cosme e São Damião, que são os patronos dos farmacêuticos.

 

Em 2018, o tema das celebrações é "Farmacêuticos: teus especialistas em medicamentos".

“O tema foi escolhido para espelhar a importância dos farmacêuticos na prestação de cuidados ao público, e também para destacar a ligação emocional que eles têm com os seus pacientes.” 

Mais do que fornecedores de medicamentos, os farmacêuticos são prestadores de cuidados, que se esforçam para melhorar a qualidade de vida dos pacientes. 

 

Hoje em em todo o mundo e amanhã em Portugal, os farmacêuticos estão em destaque, através de conferências, reuniões e encontros, que comemoram a nossa importância como profissionais de saúde.

PARABÉNS A TODOS OS COLEGAS!

 

4D827163-F600-4DC6-853D-4037784D9E42.jpeg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:14

 

AE9EF76A-B5B6-40A0-8013-215154D976C3.png

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos (Infarmed) publicou ontem mais uma nota na sua plataforma, na qual apela à notificação de reações adversas a medicamentos (RAM), por parte dos utentes e profissionais de saúde. As notificações devem ser registadas no portal RAM.

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define reação adversa a medicamento (RAM) como “qualquer resposta prejudicial ou indesejável e não intencional que ocorre com medicamentos em doses normalmente utilizadas no homem para profilaxia, diagnóstico, tratamento de doença ou para modificação de funções fisiológicas”. Não são consideradas reações adversas os efeitos que ocorrem depois do uso acidental ou intencional de doses maiores que as habituais.

 

O portal RAM é da responsabilidade do Infarmed) e permite notificar reações adversas a medicamentos em apenas cinco minutos, facilitando todo o processo.

Para uma notificação ser válida, basta aceder ao portal e fornecer 4 informações:

- a(s) reação(ões) adversa(s);
- o(s) medicamento(s) suspeito(s) de ter(em) causado a RAM;
- os dados do doente (como iniciais ou idade ou sexo), sendo sempre garantida a confidencialidade dos dados do notificador e do doente;
- os meios de contacto do notificador da RAM.

 

Após receção e validação da notificação no portal, a informação é avaliada por uma equipa de farmacêuticos e médicos especialistas em segurança de medicamentos. A informação do caso, totalmente anonimizada, é enviada para as bases de dados europeia (Eudravigilance) e mundial da OMS (Vigibase) para efeito de uma avaliação permanente mais abrangente do perfil de segurança do medicamento.

 

As reações adversas a medicamentos são mais comuns do que se pode esperar e nunca se pode garantir que um medicamento é completamente seguro. 

Muito importante neste campo é saber distinguir uma reação adversa de um erro de medicação. Os erros de medicação são comuns, incluindo erros de prescrição, dispensação ou administração. Estes erros devem ser identificados e corrigidos,mas não são reações adversas. Neste campo, o farmacêutico tem um papel fundamental e pode ajudar a distinguir o que não está a correr bem com a terapêutica instituída a determinado doente.

 

 

O grande problema é que, muitas vezes, tudo não passa de uma simples conversa ao balcão ou no gabinete e nada é notificado. Só com a ajuda de todos (utentes e profissionais de saúde), podemos ter este campo a funcionar em prol da nossa saúde.

Notificar tudo aquilo que se passa com os medicamentos vai contribuir para a monitorização contínua da segurança dos mesmos e para uma avaliação permanente dos seus benefícios/riscos.

 

 
 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:12

08C2CC7B-37CA-4336-85AD-57C267565AB2.jpeg

Esta é a campanha lançada ontem pelo Infarmed, dirigida sobretudo aos jovens e tem como foco a literacia em saúde. Esta campanha tem o apoio da RTP e acontece quando o Infarmed celebra o seu 25.º aniversário.

 

“O Infarmed, antes denominado Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento, I.P. e agora Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I. P. tem por missão regular e supervisionar os setores dos medicamentos e produtos de saúde (dispositivos médicos e produtos cosméticos e de higiene corporal) em Portugal, segundo os mais elevados padrões de proteção da saúde pública assegurando a sua qualidade, eficácia e segurança e garantindo o seu acesso aos cidadãos e profissionais da saúde.”

 
Esta campanha visa também promover a confiança dos cidadãos nos produtos regulados por esta autoridade.
 
A campanha inclui três spots, que serão difundidos na RTP durante sete dias consecutivos, que também estão disponíveis nas páginas dedicadas a esses temas na área do cidadão. Dirige-se a todos os cidadãos, mas de forma especial aos jovens do ensino secundário, um público que constitui os adultos de amanhã. 

 

Em simultâneo, é lançado um microsite PodeConfiar associado à campanha e que constitui também um repositório de recursos audiovisuais no âmbito da promoção da literacia. 

Em setembro, a campanha arranca nas redes sociais Facebook e Instagram.

 

O assunto desta campanha - Literacia em saúde - é demasiado importante e devia ser abordado mais vezes nas sociedades desenvolvidas. A capacidade individual de obter, processar e interpretar informação básica em saúde e serviços de saúde deverá ser uma capacidade adquirida desde a infância. A tomada de decisões em saúde é sempre difícil, mas quanto mais desenvolvida estiver a literacia em saúde nas nossas sociedades, melhor estará o nosso serviço de saúde e, consequentemente, a saúde de todos nós.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:37

Farmácia histórica em Tallin - Estónia

por dicasdefarmaceutica, em 03.08.18

C6CB0784-30E6-4479-BF0D-66579BCF7FA8.jpeg

 

Numa das ruas do centro histórico de Tallinn encontra-se uma daquelas farmácias que fascinam qualquer farmacêutico. Trata-se da mais antiga farmácia da Europa a funcionar sem interrupção desde a sua fundação. Não se sabe exatamente qual a data em que começou a funcionar, mas sabe-se que em 1422 o seu terceiro proprietário já exercia a sua atividade neste local.

Comecemos pela porta, uma verdadeira obra de arte. Sabe-se que só a partir do séc. XX, o símbolo da farmácia começou a contemplar a serpente e esta ainda é o símbolo que decora a porta atual desta “Apoteka”.

 

17E85082-6166-43A8-9BA2-9131E7EF4893.jpeg

 

BDC27688-1A02-4D51-AAE6-176A21E73430.jpeg

 

Subimos a escadas e temos dois espaços, que chegamos a confundir: por um lado, o museu e por outro, a farmácia propriamente dita, em pleno funcionamento:

 

0E96C4F0-D791-4517-B885-BEF45038B278.jpeg

 

CCB6FC2F-688F-480E-8935-E6BEB98098DF.jpeg

 

O museu encontra-se na sala ao lado e são várias as preciosidades que nos remontam ao tempo em que ser farmacêutico era uma verdadeira arte, até porque os medicamentos eram preparados à frente dos clientes. Deixo-vos algumas imagens: 

 

FCE09BC1-1BD4-45C6-9104-03F078FFA7EA.jpeg

  

31470779-C42D-412F-BE6B-81C95BEAACA2.jpeg

 

705AFE85-320C-4C40-A32B-9CF51CD8CE2E.jpeg

 

C685841F-5114-4471-89C4-257CD15AC952.jpeg

 

A39FF0E2-B84D-458A-9E84-527116357483.jpeg

 

FF724FF8-435D-4F89-9190-F1917149CA74.jpeg

 

AB9999A3-A850-4472-A1DC-CC3D7E0A8D5D.jpeg

 Também não faltam os livros:

5FE7CBD0-0053-4184-AF4E-2A396FAE3A72.jpeg

 

Até custa acreditar que ainda funciona como farmácia, com medicamentos atuais e farmacêuticos reais:

 

2E2863B0-1D65-4DB1-8A93-A3A4792678C2.jpeg

 

64ED8134-5E8B-4E9C-92C8-B67D23F24952.jpeg

 

38D3C7C2-A287-4E54-8397-F5DD96F30456.jpeg

 

D2023633-6B4A-4001-9906-CEADB2A84674.jpeg

 

A vista da janela da farmácia, por entre os frascos coloridos com as preparações farmacêuticas:

 

8C848117-9902-4888-B2D6-38B70D41A03F.jpeg

 

03133D1B-EE3C-4069-A572-4122FFCBEED3.jpeg

 Espero que tenham gostado desta viagem no tempo... 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:32

093F4621-FD56-4354-8DA9-E88C6418B051.jpeg

As infeções vaginais, quando resolvem aparecer, são uma preocupação para as mulheres, dado o desconforto e o incómodo que causam. É sempre uma situação urgente e arranjar rapidamente o melhor tratamento é a primeira preocupação. Mas que tratamento? O que será isto?

Para dar resposta a estas perguntas surgiu o Gyno-Canestest que, com mais de 90%de precisão, ajuda a mulher a fazer o seu próprio diagnóstico e a arranjar a melhor solução para o problema.

 

As infeções vaginais mais comuns são as Candidíases (provocadas pelo aumento do fungo Candida albicans) e as Vaginoses Bacterianas VB (provocadas pelo aumento de bactérias que existem normalmente na vagina).

 

Sintomas da Candidíase:

- Prurido ou comichão

- Dor na zona à volta da vagina

- Corrimento branco 

Sintomas da Vaginose Bacteriana (VB):

- Odor desagradável (às vezes a peixe)

- Corrimento aquoso, de cor branco-acinzentado

 

O que é o Gyno-Canestest?

O Gyno-Canestest é um teste de autodiagnóstico de fácil utilização que ajuda a descobrir se sofre de Candidíase ou VB e a encontrar o tratamento adequado.

O teste em si consiste num cotonete, simples e fácil de utilizar, que indica se o nível do seu pH vaginal se encontra fora do normal. Os resultados do teste devem ser interpretados em conjunto os sintomas atrás descritos. 

 

Como interpretar os resultados?

Se a extremidade do teste não mudar de cor após 10 segundos, significa que possivelmente sofre de Candidíase. 

Se a extremidade do teste mudar de cor para azul ou verde, significa que possivelmente tem uma Vaginose Bacteriana (VB).

Contudo, no caso de corrimento viscoso amarelo-esverdeado associado a mau odor e a dor ao urinar, pode estar sofrer de Tricomoníase, e neste caso deve consultar o seu médico.

B08D4AB6-7339-4BF7-98C8-F1FAE02B750F.png

Precauções e Considerações (descritas na bula)

- Não deve adotar nenhuma decisão de carácter médico sem primeiro consultar o seu médico. Além disso, se não tem certeza sobre qual o tratamento adequado ou se está confusa relativamente aos resultados, consulte o seu médico ou farmacêutico.

- Lembre-se que Gyno-Canestest não permite um diagnóstico preciso em qualquer uma das seguintes situações:

  • Faltar menos de 1 dia ou se estiver no dia a seguir ao seu período
  • Existirem sinais do período de ou hemorragia vaginal
  • Passarem menos de 12 horas após relações sexuais ou duche vaginal

- Se está grávida, fale como o seu médico pois a interpretação dos resultados do teste durante a gravidez e a escolha da medicação requer aconselhamento médico.

- Algumas mulheres na menopausa podem ter um pH vaginal elevado, e por isso poderão obter um resultado verde/azul na extremidade do dipositivo mesmo que não tenham Vaginose bacteriana ou Tricomoníase. Como tal, não deve utilizar este teste se estiver na menopausa.

 

Aqui fica mais uma dica de saúde, desta vez para ajudar a resolver este problema de tantas mulheres.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:20

A falar de Medicamentos com as Crianças

por dicasdefarmaceutica, em 01.06.18

B9AAF4BE-7608-4F28-8E44-93E087B39C72.jpeg

 

Hoje é o Dia Mundial da Criança, por isso, mesmo a falar de medicamentos, este post é para elas. É muito importante que os assuntos relacionados com a saúde sejam explicados desde cedo, em casa, na escola e também através dos meios de comunicação e das novas tecnologias, que os mais novos tanto gostam.

 

Aproveito a ideia fantástica do Infarmed que, através de um vídeo, responde de forma simples a algumas perguntas feitas pelas crianças:

- Como são criados os medicamentos?

- Como são testados?

- O que são reações adversas?

Neste vídeo, o Infarmed explica todos os passos até um medicamento chegar à farmácia. Parabéns pela iniciativa!

 

Gostaram? Se sim, vamos lá partilhar e mostrar às nossas crianças!

FELIZ DIA DA CRIANÇA!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24

6C33D783-E8B7-4742-A20C-DD0BE527C544.jpeg

Com a chegada da Primavera, chegou também mais uma campanha da VALORMED, a qual mais uma vez, tem como objetivo sensibilizar os portugueses para a importância de devolver às farmácias as embalagens vazias e medicamentos fora de uso.

 

A campanha “Um medicamento fora de uso tem mais vida do que imagina” aparece com novas imagens e cores mais frescas, que nos remetem para as estações de primavera e verão, lembrando que depositar medicamentos e seus restos no lixo comum, nos ecopontos ou despejar através dos esgotos, traz consequências negativas para o ambiente.

Os cartazes deste ano estão um espectáculo! 

003CCABC-16D7-4908-A632-99335B1A92EB.jpeg

Apesar de falar todos os anos destas campanhas, dada a importância do tema, convém relembrar alguns pontos.

 

O que deve entregar ou depositar no contentor VALORMED: 

- Medicamentos fora de prazo ou que já não utiliza.

- Embalagens de medicamentos vazias, blisters, ampolas, bisnagas, frascos, etc...

 

O que não deve entregar ou depositar no contentor VALORMED:

- Agulhas, seringas, termómetros e radiografias.

- Aparelhos elétricos ou eletrónicos.

- Gaze e material cirúrgico.

- Produtos químicos.

 

Como funciona o sistema VALORMED:

1 - Os utentes entregam os medicamentos ou as embalagens na farmácia; devem vir num saco (não necessita ser um saco próprio) e poderão ser entregues ao balcão ou depositados diretamente no contentor. Algumas farmácia optam por não ter o contentor na zona do público por uma razão de segurança. Pergunte como funciona na sua farmácia!

2 - Os contentores são recolhidos nas farmácias e transportados para o centro de triagem.

3 - No centro de triagem os resíduos são separados e classificados.

4 - Os materiais das embalagens são reciclados.

5 - Os medicamentos são valorizados ou incinerados de forma segura.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

“Os medicamentos fora de uso também têm remédio”

por dicasdefarmaceutica, em 05.02.18

 

6EA4372D-B8C2-494C-918C-1A32CE544E3C.jpeg

 

Parece-me que já toda a gente conhece a VALORMED, mas continua a não haver muita consciência da importância que determinados actos têm para todos nós. 

Já falei AQUI do que é a VALORMED e de várias campanhas que todos os anos alertam para a melhor forma de tratar os resíduos dos medicamentos.

 

Agora a EPAL juntou-se a esta causa. Para além da habitual fatura da água, a partir deste mês  todos os clientes da EPAL irão receber um folheto informativo no qual a VALORMED tenta sensibilizar os cidadãos para o correto encaminhamento dos resíduos de medicamentos fora de prazo ou que já não sejam utilizados.

A EPAL e a VALORMED alertam também para o que não deve fazer. Os medicamentos fora de uso não devem ser despejados nos esgotos, nem deitados no lixo doméstico.

 

Esta campanha visa, por um lado, promover a entrega destes resíduos na farmácia mais próxima e, por outro, prevenir a sua deposição nas redes de drenagem de águas residuais urbanas ou nos contentores de resíduos sólidos urbanos.

Deixo-vos com o vídeo da campanha:

 

 

Aproveite, faça uma revisão da sua farmácia doméstica e deixe na farmácia mais próxima os medicamentos que já não utiliza, assim como aqueles que estão fora de prazo! A sua farmácia fica limpinha, organizada e o ambiente agradece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:36

Venda ilegal de medicamentos para emagrecer na Internet

por dicasdefarmaceutica, em 26.01.18

3A70F714-31B8-4F0F-B55F-D3C4790F07CB.jpeg

Esta semana o Infarmed alertou mais uma vez para a venda ilegal de medicamentos na Internet, nomeadamente medicamentos para emagrecer com a substância sibutramina (Reductil). Muitos de nós lembram-se deste medicamento, tantas vezes vendido nas nossas farmácias, mas que foi suspenso em toda a União Europeia em 2010, devido ao elevado risco cardiovascular.

Foram ainda identificados nestes sites ilegais, medicamentos com outras substâncias como o clenbuterol, a liotironina ou a efedrina. São muitas as informações incorretas e as vendas ilegais que continuam a aparecer em determinadas plataformas.

A situação é grave e o Infarmed solicitou o apoio das autoridades internacionais, nomeadamente da Interpol, para impedir a venda ilegal de medicamentos através da Internet no território nacional.

 

Os farmacêuticos têm um papel privilegiado na educação da população sobre os riscos da compra de medicamentos em websites não autorizados e sem o aconselhamento de um profissional de saúde e devemos continuar a falar sobre isso aos nossos utentes. Comprar medicamentos na Internet não é o mesmo que comprar roupa, livros, mobílias, etc...

 

Para que haja alguma segurança, desde 2015 que todas as farmácias e revendedores "online" a operar legalmente na União Europeia devem utilizar um logótipo comum a atestar a autenticidade e segurança dos medicamentos vendidos. É este o referido logotipo:

15A0E6F0-A837-4C31-9626-488208E0C8AB.jpeg

A venda de medicamentos sem autorização é ilegal e esta regra, claro está, também se aplica às vendas pela internet.

Se tiverem dúvidas, os utentes podem contactar o Centro de Informação do Medicamento e dos Produtos de Saúde por e-mail cimi@infarmed.pt, por telefone (217987373 e 800222444) ou mesmo através do Facebook.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Outubro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog