Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



6C33D783-E8B7-4742-A20C-DD0BE527C544.jpeg

Com a chegada da Primavera, chegou também mais uma campanha da VALORMED, a qual mais uma vez, tem como objetivo sensibilizar os portugueses para a importância de devolver às farmácias as embalagens vazias e medicamentos fora de uso.

 

A campanha “Um medicamento fora de uso tem mais vida do que imagina” aparece com novas imagens e cores mais frescas, que nos remetem para as estações de primavera e verão, lembrando que depositar medicamentos e seus restos no lixo comum, nos ecopontos ou despejar através dos esgotos, traz consequências negativas para o ambiente.

Os cartazes deste ano estão um espectáculo! 

003CCABC-16D7-4908-A632-99335B1A92EB.jpeg

Apesar de falar todos os anos destas campanhas, dada a importância do tema, convém relembrar alguns pontos.

 

O que deve entregar ou depositar no contentor VALORMED: 

- Medicamentos fora de prazo ou que já não utiliza.

- Embalagens de medicamentos vazias, blisters, ampolas, bisnagas, frascos, etc...

 

O que não deve entregar ou depositar no contentor VALORMED:

- Agulhas, seringas, termómetros e radiografias.

- Aparelhos elétricos ou eletrónicos.

- Gaze e material cirúrgico.

- Produtos químicos.

 

Como funciona o sistema VALORMED:

1 - Os utentes entregam os medicamentos ou as embalagens na farmácia; devem vir num saco (não necessita ser um saco próprio) e poderão ser entregues ao balcão ou depositados diretamente no contentor. Algumas farmácia optam por não ter o contentor na zona do público por uma razão de segurança. Pergunte como funciona na sua farmácia!

2 - Os contentores são recolhidos nas farmácias e transportados para o centro de triagem.

3 - No centro de triagem os resíduos são separados e classificados.

4 - Os materiais das embalagens são reciclados.

5 - Os medicamentos são valorizados ou incinerados de forma segura.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

“Os medicamentos fora de uso também têm remédio”

por dicasdefarmaceutica, em 05.02.18

 

6EA4372D-B8C2-494C-918C-1A32CE544E3C.jpeg

 

Parece-me que já toda a gente conhece a VALORMED, mas continua a não haver muita consciência da importância que determinados actos têm para todos nós. 

Já falei AQUI do que é a VALORMED e de várias campanhas que todos os anos alertam para a melhor forma de tratar os resíduos dos medicamentos.

 

Agora a EPAL juntou-se a esta causa. Para além da habitual fatura da água, a partir deste mês  todos os clientes da EPAL irão receber um folheto informativo no qual a VALORMED tenta sensibilizar os cidadãos para o correto encaminhamento dos resíduos de medicamentos fora de prazo ou que já não sejam utilizados.

A EPAL e a VALORMED alertam também para o que não deve fazer. Os medicamentos fora de uso não devem ser despejados nos esgotos, nem deitados no lixo doméstico.

 

Esta campanha visa, por um lado, promover a entrega destes resíduos na farmácia mais próxima e, por outro, prevenir a sua deposição nas redes de drenagem de águas residuais urbanas ou nos contentores de resíduos sólidos urbanos.

Deixo-vos com o vídeo da campanha:

 

 

Aproveite, faça uma revisão da sua farmácia doméstica e deixe na farmácia mais próxima os medicamentos que já não utiliza, assim como aqueles que estão fora de prazo! A sua farmácia fica limpinha, organizada e o ambiente agradece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:36

Venda ilegal de medicamentos para emagrecer na Internet

por dicasdefarmaceutica, em 26.01.18

3A70F714-31B8-4F0F-B55F-D3C4790F07CB.jpeg

Esta semana o Infarmed alertou mais uma vez para a venda ilegal de medicamentos na Internet, nomeadamente medicamentos para emagrecer com a substância sibutramina (Reductil). Muitos de nós lembram-se deste medicamento, tantas vezes vendido nas nossas farmácias, mas que foi suspenso em toda a União Europeia em 2010, devido ao elevado risco cardiovascular.

Foram ainda identificados nestes sites ilegais, medicamentos com outras substâncias como o clenbuterol, a liotironina ou a efedrina. São muitas as informações incorretas e as vendas ilegais que continuam a aparecer em determinadas plataformas.

A situação é grave e o Infarmed solicitou o apoio das autoridades internacionais, nomeadamente da Interpol, para impedir a venda ilegal de medicamentos através da Internet no território nacional.

 

Os farmacêuticos têm um papel privilegiado na educação da população sobre os riscos da compra de medicamentos em websites não autorizados e sem o aconselhamento de um profissional de saúde e devemos continuar a falar sobre isso aos nossos utentes. Comprar medicamentos na Internet não é o mesmo que comprar roupa, livros, mobílias, etc...

 

Para que haja alguma segurança, desde 2015 que todas as farmácias e revendedores "online" a operar legalmente na União Europeia devem utilizar um logótipo comum a atestar a autenticidade e segurança dos medicamentos vendidos. É este o referido logotipo:

15A0E6F0-A837-4C31-9626-488208E0C8AB.jpeg

A venda de medicamentos sem autorização é ilegal e esta regra, claro está, também se aplica às vendas pela internet.

Se tiverem dúvidas, os utentes podem contactar o Centro de Informação do Medicamento e dos Produtos de Saúde por e-mail cimi@infarmed.pt, por telefone (217987373 e 800222444) ou mesmo através do Facebook.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13

9A0395F0-1740-4F44-B67F-C63F9A3C9A7F.jpeg

 

A Abbott Diabetes Care anuncia que a partir de 10 de Janeiro, os médicos especialistas (Endocrinologistas, Diabetologistas ou Pediatras) já podem prescrever os sensores FreeStyle Libre, exclusivamente às pessoas com Diabetes tipo I.

Estes sensores passarão a estar disponíveis nas farmácias a partir de 15 de Janeiro de 2018, são comparticipados a 85% sendo possível adquiri-los com prescrição médica em qualquer farmácia comunitária por 7,95€.

Os leitores FreeStyle Libre vão ser disponibilizados de forma gratuita, diretamente nos locais de consulta de especialidade, pelos médicos especialistas ou enfermeiros. 

 

B939889B-9D7D-4D9F-8606-0CF62C721C14.jpeg

 

“O FreeStyle Libre é uma ferramenta inédita na medição dos níveis de glicose para pessoas com diabetes, estando indicado essencialmente para pessoas com diabetes que necessitam de fazer diariamente várias picadas dos dedos para controlar os níveis de açúcar, incluindo crianças entre os 4 e os 17 anos.
Composto por um sensor com apenas 35mm x 5mm (semelhante a uma moeda de 2 euros) e com duração de até 14 dias, este sistema é colocado na parte posterior do braço e permite medir os níveis de glicose intersticial, de forma simples, fornecendo resultados instantâneos sobre os valores de glicose e indicadores de tendência. Após uma hora da sua colocação no braço, o FreeStyle Libre inicia a leitura da glicose, tratando a informação que recolhe e identificando tendências.
A grande inovação do FreeStyle Libre está no facto de, numa leitura sem dor e em apenas um segundo, a pessoa com diabetes obter informações relevantes sobre o presente (glicemia atual), sobre o passado e o futuro. Esta vantagem inovadora deve-se ao historial dos valores de glicose até oito horas antes da determinação e setas de tendência de glicose que são disponibilizados e que mostram se estão a subir, a descer ou constantes, o que permite que a pessoa com diabetes antecipar a tendência de evolução através desta determinação, ajudando a prevenir episódios de hipoglicemia (glicose baixa) e melhorando a sua qualidade de vida."

 

O FreeStyle Libre foi eleito o Produto do Ano 2016 na área da saúde. É verdadeiramente uma inovação e demorou a chegar às mãos dos tantos diabéticos que estão ansiosos por largar as picadas diárias para saberem os seus valores de glicémia.

É verdadeiramente uma boa notícia neste início de ano!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16

 

 

784A662D-3B5F-4351-B9B7-B72FB97B1DEF.jpeg

O Serviço de Assistência Nacional Farmacêutica (projeto SAFE) começou a funcionar este mês no distrito de Bragança. Este serviço, que foi anunciado em Julho pelo Ministério da Saúde, envolve as entidades ligadas à Saúde e todas as farmácias do distrito.

 

O principal objetivo deste serviço é a melhoria do acesso dos portugueses aos medicamentos urgentes durante a noite.

 

Um doente que vá a um serviço de urgência do distrito de Bragança durante a noite, através do seu telemóvel, pode agora saber da disponibilidade dos medicamentos prescritos na farmácia que mais lhe convém e tem ainda a possibilidade destes lhe serem entregues em casa gratuitamente.

Sair de uma urgência de noite, muitas vezes fragilizado, ter de procurar uma farmácia de serviço, às vezes ter que ir a outra por a primeira não ter determinado medicamento, pode ser complicado. Este serviço facilita a vida a quem está doente e precisa dos serviços de saúde durante a noite, aos feriados e aos domingos.

 

Para o serviço funcionar, o doente tem de ter disponível um telemóvel, no qual vai receber uma mensagem com a prescrição, tendo depois de ligar para o número gratuito 800241400. O atendimento é feito por farmacêuticos que irão dar a indicação de quais as farmácias de serviço e da disponibilidade de determinado medicamento. O doente pode optar por deslocar-se à farmácia mais próxima da sua residência ou pode pedir que lhe seja entregue ao domicílio a custo zero.

 

Este serviço destina-se apenas a medicamentos prescritos durante a noite. Funciona todos os dias entre as 21:00 e as 9:00 e aos domingos e feriados durante 24 horas.

Ainda está numa fase inicial, mas prevê-se que este serviço seja alargado a mais distritos do país. Tem tudo para ser um projeto de sucesso, onde as farmácias estão, mais uma vez, na linha da frente para facilitar a acessibilidade dos doentes aos medicamentos, contribuindo assim para o sucesso da terapêutica prescrita pelos médicos.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:19

F3EA49DE-4CF9-4308-B0CC-41CF82D36A7D.jpeg

 

Foi no dia 19 de dezembro que o auditório da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa passou a chamar-se Auditório Maria Odette Santos Ferreira, em homenagem à minha Professora da cadeira de Virologia, já lá vão quase 30 anos.

 

Mas a Professora Odette Ferreira (era assim que lhe chamávamos), não era apenas Professora; era e será sempre uma referência nacional e internacional na área da Virologia. Foi esta Sra. Professora que ajudou a colocar o nosso país num lugar cimeiro na ciência a nível mundial, com a identificação do vírus da imunodeficiência humana tipo 2. Em Portugal e no mundo das ciências, este é um nome que estará sempre ligado às grandes descobertas relacionadas com a SIDA.

 

A Professora Maria Odette Santos Ferreira destacou-se no ensino, na investigação e também na defesa da saúde pública. Por tudo isso, foram-lhe já atribuídos muitos prémios, aliás, parece que todos os anos ouvimos o seu nome relacionado com prémios. Isto deve-se também ao “Prémio de Investigação Científica Professora Doutora Maria Odette Santos Ferreira”, que foi instituído em 2010, e que desde então tem impulsionado a realização de trabalhos de investigação por farmacêuticos.

 

Tendo sempre como foco os doentes, em 1993 a Professora Odette propôs o projeto de troca de seringas “Diz Não a Uma Seringa em Segunda Mão”, muito revolucionário na altura, mas que iria atacar o problema pela raiz. De acordo com dados da ANF, entre 1993 e Dezembro de 2008 tinham sido recolhidos mais de 43 milhões de seringas.

 

Todas estas razões chegariam para nos lembrarmos sempre da Professora Odette Ferreira, mas como a própria disse na terça-feira, “Este auditório simboliza para mim a eternidade, a eternidade da alma. Sempre aqui estarei para reforçar a nossa entidade farmacêutica, o nosso rigor e a nossa missão de olhar para o doente como a nossa razão de ser”.

 

Sempre impecavelmente vestida, ainda hoje mantém o seu ar imponente e ativo, apesar dos anos de experiência acumulados. Parece-me mesmo, como alguém dizia, que “as células não têm idade”...

 

D91C101A-4E8E-4004-9CDE-B92E829BCF03.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:53

Terei gripe ou estarei só constipado?

por dicasdefarmaceutica, em 19.12.17

IMG_6569 (1).JPG

Escrevi um artigo para a revista Inominável que vou partilhar aqui convosco, pois está a ser a pergunta da semana nos balcões das nossas farmácias.

 

Chegou o frio e com ele as tão temíveis doenças de inverno. Nunca sabemos bem, terei gripe ou estarei só constipado? Vamos lá tirar umas dúvidas.

A constipação é normalmente uma situação mais comum e menos grave do que a gripe.

 

A constipação é uma doença infecciosa viral do aparelho respiratório superior, que afeta sobretudo a cavidade nasal. Existem mais de 200 vírus associados às causas da constipação, sendo os mais comuns os rinovírus.

Quais são os sintomas da constipação?

- Fadiga ligeira

- Dores de cabeça ligeiras

- Tosse ligeira

- Nariz entupido

- Garganta irritada

- Espirros

- Raramente dá febre

- Normalmente dura 3 ou 4 dias

 

A gripe é uma doença causado por um vírus (Influenza)  que é transmitido através de partículas de saliva de uma pessoa infectada, expelidas sobretudo através da tosse e  espirros, mas também por contacto direto, por exemplo, através das mãos.

Quais são os sintomas da gripe?

- Cansaço

- Febre elevada

- Dores de cabeça fortes

- Tosse persistente

- Dores musculares e articulares

- Nariz entupido

- Garganta inflamada

- Espirros

- Pode durar 3 ou 4 semanas

 

Como podem observar, muitos dos sintomas são semelhantes, daí a confusão entre estas duas doenças de inverno. Convém sempre desconfiar de uma constipação muito prolongada no tempo...

Quase toda a gente já teve constipada mas felizmente, muitos de nós nunca tiveram gripe. 

 

A grande vantagem da gripe é que pode ser prevenida através da vacina. Esta é aconselhada a pessoas com idade igual ou superior a 65 anos, a doentes crónicos e imunodeprimidos, a grávidas, aos profissionais de saúde e a crianças e jovens internados em instituições. Se pertence a algum destes grupos, ainda vai a tempo: até ao final do ano, pode levar a vacina da gripe. Lembre-se que a vacinação é a melhor prevenção!

IMG_2687.JPG

 Existem também algumas medidas muito simples para prevenir estas duas doenças:

- Lavar as mãos frequentemente

- Tocar o menos possível em objetos públicos (puxadores de portas, corrimões, transportes públicos, etc...)

- Evitar tocar com as mãos sujas nos olhos, nariz e boca

- Beber muita água (1,5 litros por dia)

- Fazer uma alimentação saudável, ingerindo alimentos ricos em proteínas e vitaminas

- Fazer exercício físico

- Dormir bem

- Evitar mudanças bruscas de temperatura

- Evitar grandes ajuntamentos, sobretudo em recintos fechados (centros comercias, inclusive)

- Melhorar a circulação de ar, abrindo as janelas

- Proteger o nariz e a boca enquanto espirra ou tosse

- Usar lenços descartáveis. 

- Evitar bebidas alcóolicas

- Não fumar 

 

Parece uma lista muito grande de conselhos, mas todos são importantes para passar um inverno com saúde e para aproveitar esta época do ano da melhor forma. Também há muita coisa boa para fazer no inverno: passear, conviver à volta da fogueira com os amigos, fazer desportos de inverno e ter um Feliz Natal, cheio de Saúde!

 

IMG_8190.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:34

Tenha à mão o Kit de Farmácia de Inverno!

por dicasdefarmaceutica, em 07.12.17

C16CC718-D4B7-4672-9723-9ACBCBA473C0.jpeg

 

Conforme prometido no post anterior (Cuidado com o frio!), além das medidas para nos protegermos do frio, convém ter em casa um kit de farmácia básico, muito útil em caso de aparecerem os primeiros sintomas relacionados com as chamadas doenças de inverno.

 

Kit Farmácia Inverno:

 

- Termómetro (o que gostar mais, digital ou de infravermelhos, desde que o utilize segundo as instruções do referido aparelho)

- Antipirético (para baixar a febre, por exemplo paracetamol)

- Anti-histamínico (particularmente importante para as pessoas com tendência para alergias nesta época do ano ou que tenham frequentemente o nariz a pingar)

- Antigripal (são muitos os existente no mercado, “atacando” os primeiros sintomas de gripe ou até de uma simples constipação. Atenção aos princípios activos destes antigripais, pois podem não ser os indicados para o seu caso!)

- Descongestionante nasal (pode ser um simples soro fisiológico, uma água do mar ou algum mais forte para uma descongestão mais eficaz. Pode escolher em spray ou em gotas)

- Analgésico (para as dores, sobretudo de cabeça, por exemplo, o paracetamol)

- Pastilhas para a garganta (à base de eucalipto, limão, com ou sem anti-inflamatório, são muitas as escolhas...)

- Anti-inflamatório (quando as dores de garganta não passam, um ibuprofeno, por exemplo, tomado durante três dias de acordo com as indicações, pode ser o suficiente para evitar o agravamento da doença)

- Mucolíticos e expectorantes (para facilitar a libertação de secreções, são os chamados xaropes para a tosse com expectoração)

- Antitússicos (utilizados apenas em casos pontuais, quando se trata de uma tosse seca e irritadiça)

- Hidratantes (mãos, lábios e corpo, fundamentais para evitar frieiras e lábios gretados, tão comuns nesta época do ano)

 

Todos os medicamentos devem ser tomados de acordo com a posologia.

Nesta altura de inverno, em que os sintomas muitas vezes se prolongam por vários dias, é muito importante não ultrapassar as doses recomendadas nem o tempo máximo para a toma de determinado medicamento. Por exemplo, um xarope para a tosse deve ser tomado apenas durante 5 dias.

 

O seu farmacêutico é a pessoa certa para o ajudar a ter em casa este Kit de Farmácia de Inverno. Este kit deve ser o mais personalizado possível, feito de acordo com a sua idade e com o seu estado de saúde.

 

Pode ver AQUI alguma dicas para organizar o seu armário de farmácia.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:34

6B46ADFE-9718-41D8-A375-8C06DA1EC239.jpeg

Já falei AQUI do Valormed e da sua importância para todos nós. Começou ontem mais uma campanha, por isso vamos relembrar qual o significado destes “contentores” espalhados nas farmácias do nosso país.

 

Um medicamento fora de uso tem mais vida  do que imagina” é o mote desta nova campanha, cujo objetivo é sensibilizar os portugueses para a importância da devolução às farmácias das embalagens vazias e dos resíduos dos medicamentos fora do prazo ou que já não são utilizados, assim como qualquer acessório utilizado para facilitar a sua administração.

 

A VALORMED defende que é importante alertar para a importância de não deitar as embalagens vazias e resíduos de medicamentos no lixo comum, ecopontos ou vazamento através dos esgotos, evitando-se a contaminação do meio ambiente, em particular os solos e as águas. “Tratar do ambiente” é também o mote de todas as campanhas VALORMED. 

Adoro os cartazes da campanha deste ano!

43DA6AAB-FB8C-4597-9B69-BE628FC66176.jpeg

Os contentores VALORMED estão espalhados por quase todas as farmácias do país, mas se quiser ter a certeza do que está mais próximo de si, pode ver AQUI.

 

“A VALORMED foi criada em 1999 e é uma sociedade sem fins lucrativos que tem a responsabilidade da gestão dos resíduos de embalagens vazias e medicamentos fora de uso. Resultou da colaboração entre a Indústria Farmacêutica, Distribuidores e Farmácias em face da sua consciencialização para a especificidade do medicamento enquanto resíduo. A criação de um sistema de gestão deste tipo de resíduos veio responder ao desafio inadiável de implementar um sistema autónomo para a recolha e tratamento dos resíduos de medicamentos, conduzindo a um processo de recolha e tratamento seguros. Desta forma, evita-se que, por razões de saúde pública, estejam “acessíveis” como qualquer outro resíduo urbano”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:58

“Dormir e Relaxar Sem Depender de Benzodiazepinas”

por dicasdefarmaceutica, em 19.11.17

1496B245-68D5-4083-BB60-CE0E2967AB22.png

 

Este é o mote da nova campanha que alerta para o consumo excessivo de benzodiazepinas.

“A Coordenação Nacional da Estratégia do Medicamento e dos Produtos de Saúde, em colaboração com o Infarmed, outros treze departamentos do Ministério da Saúde e as Ordens dos Farmacêuticos, dos Médicos e dos Psicólogos, delinearam uma campanha de sensibilização junto dos profissionais de saúde e dos cidadãos em geral, com o objetivo de alertar para os riscos associados ao consumo prolongado de benzodiazepinas.”

 

Cerca de 10% da população consome regularmente estes fármacos, tornando-se já um problema de saúde pública, dadas as consequências a curto e a longo prazo deste consumo excessivo.

Numa primeira fase desta campanha, vão ser distribuídos folhetos informativos aos utentes nas farmácias e centros de saúde:

 

CCEC754D-1FC5-4A28-9D1A-2C4DE704E1E2.jpeg

74D82922-3C66-4CB7-90AF-85DC3B3E4DC4.jpeg

 

Os profissionais de saúde vão também receber documentação sobre a utilização de benzodiazepinas, estando a informação centrada na necessidade da suspensão ou a redução destes medicamentos ser feita pelo médico assistente e para a existência de alternativas terapêuticas não medicamentosas e medicamentosas para o tratamento da ansiedade e da insónia.

 

As benzodiazepinas são medicamentos utilizados sobretudo para a ansiedade e para a insónia. Muitas pessoas chamam-lhe calmantes. Quantos de nós já ouvimos dizer: “Já não consigo dormir sem o comprimidinho...” ou “se sinto que estou nervoso, tomo o comprimidinho e parece que tudo passa...”

O pior é que aos poucos, vem a chamada dependência e os efeitos secundários, nomeadamente no que diz respeito às alterações da memória.

Também é verdade que faz pior não dormir muitas noites seguidas do que tomar o dito comprimidinho e eu digo isso muitas vezes a quem tem mesmo que tomar benzodiazepinas e tem consciência dos efeitos que as acompanham.

 

De qualquer forma, depois de lerem estes folhetos e este post, não vão “a correr” deixar de tomar os ditos fármacos, pois a interrupção repentina das benzodiazepinas pode provocar efeitos de privação graves. O chamado “desmame” deve ser feito lentamente e com a supervisão do médico.

 

Vamos resumir as ideias principais:

- Se toma benzodiazepinas há mais de dois meses, consulte o médico!

- O tratamento com benzodiazepinas deve ser o mais curto possível

- O tratamento com benzodiazepinas deve ser SEMPRE acompanhado por um médico

- Não deve suspender o tratamento com benzodiazepinas de uma forma repentina

 

Fiquem a aguardar mais posts sobre esta campanha e sobre algumas alternativas terapêuticas para controlar a ansiedade e a insónia!

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Maio 2018

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog