Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



E99CFE13-02DA-4A9B-AB88-11B1BB933BF2.jpeg

Já fiz AQUI um post sobre os novos serviços prestados nas farmácias comunitárias, ao abrigo da Portaria n.º 97/2018. Alguns deles já estão em execução, enquanto outros estão a ser preparados para serem prestados nas melhores condições, por profissionais devidamente formados para o efeito.

 

A Preparação Individualizada da Medicação (PIM) é um destes serviços. Trata-se de um método útil de gestão da terapêutica em doentes idosos e polimedicados, permitindo maior facilidade na administração do medicamento certo, no dia e horas certos. Está provado que a introdução da PIM se revela “numa maior adesão à terapêutica por parte do doente, com claros benefícios em termos de efetividade e segurança do medicamento, conduzindo consequentemente a uma melhor qualidade de vida”. 

Quando falamos de PIM, falamos também de revisão de toda a medicação prescrita, pois quando é feita esta preparação, o farmacêutico apercebe-se muitas vezes de alguns problemas com a medicação, como interações medicamentosas, duplicação de medicamentos, posologias erradas, enfim, trata-se de um serviço que pode realmente fazer a diferença na ajuda ao doente.

 

Dada a importância deste serviço, a Direção Nacional da Ordem dos Farmacêuticos (OF) aprovou uma nova norma de orientação profissional sobre Preparação Individualizada da Medicação.

“A versão final do documento resulta de um trabalho de normalização de procedimentos, que foi alvo de importantes contributos e comentários, durante o período em que esteve em Consulta Pública, visando orientar os farmacêuticos comunitários na prestação deste novo serviço, diferenciador e de inquestionável utilidade para os cidadãos que tomam múltiplos medicamentos. Este trabalho partiu do Grupo Profissional de Farmácia Comunitária (GPFC) e envolveu várias outras estruturas da OF, como o Centro de Informação do Medicamento e o Conselho Nacional da Qualidade, refletindo conceitos-chave para a prestação de um serviço normalizado. Ao longo do documento é referido o enquadramento da população-alvo, a medicação passível de inclusão, os requisitos de recursos humanos, infraestruturas e materiais, bem como os procedimentos técnicos a adotar para assegurar a qualidade do serviço.”

Se é um profissional de saúde, pode consultar AQUI esta nova Norma.

Se é um utente ou cuidador, pergunte se a sua farmácia já tem este serviço!

 

1BD37760-ADA5-4D2F-A91A-CF2F7EF668D4.png

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:19

E9516AAD-02A0-430A-9C6D-B9E540986D05.jpeg

 

Foi este o lema da campanha deste ano para assinalar o Dia Mundial da Hipertensão, que se comemorou no passado dia 17 de Maio.

No sentido de dar continuidade ao objetivo de conhecer os valores de pressão arterial (PA) dos portugueses, a Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPH) associou-se pela primeira vez, ao maior registo mundial de Hipertensão Arterial (HTA), o May Measurement Month (MMM - Maio, o Mês da Medição).

O MMM é o nome da iniciativa da International Society of Hypertension (ISH), apoiada pela World Hypertension League (WHL), que tem como objetivo continuar a sensibilizar a população para a necessidade de medir a sua pressão arterial.

De acordo com a informação da SPH, os centros envolvidos nesta iniciativa foram: o Centro de Saúde São João da Madeira, Hospital Egas Moniz do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Hospital Garcia da Orta, Hospital Pêro da Covilhã do Centro Hospitalar Cova da Beira, Hospital São Sebastião do Centro Hospitalar Entre Vouga e Douro.

 

A Hipertensão Arterial é uma doença silenciosa que afeta 42% dos portugueses. 70% das pessoas com mais de 65 anos sofre de hipertensão.

 

O que fazer para controlar a Pressão Arterial?

- Medir a PA frequentemente (os valores devem ser inferiores a 140/90).

- Praticar exercício físico regular.

- Adotar uma alimentação saudável, com baixo teor de sal.

- Evitar o consumo de bebidas alcóolicas.

- Não fumar.

- Cumprir com rigor a medicação prescrita pelo médico.

 

Cumpre aos profissionais de saúde, nomeadamente aos farmacêuticos, a promoção de estilos de vida saudáveis, a ajuda no controlo dos valores da pressão arterial e na adesão à terapêutica.

Deve existir também, cada vez mais, a preocupação de promover terapêuticas e posologias simples e simultaneamente eficazes.

 

Peça ajuda ao seu farmacêutico! Saiba os seus valores de Pressão Arterial! 

Só sabendo os seus valores, é que pode estar controlado e ajudar o seu médico na difícil tarefa de “controlar” a sua saúde...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27

8F0D06E8-DE6E-450D-A94A-90B35C6CC0A1.jpeg

 

A não adesão à terapêutica é um grave problema de saúde pública. Fala-se muito sobre isto, mas poucas são as medidas tomadas para alterar a situação. Os números falam por si e sabe-se que 40% dos doentes interrompem a medicação prescrita pelo médico. E porque é que isto acontece? Sobretudo porque não lhes são devidamente explicadas as consequências de tal acto; normalmente sentem-se melhor, não lhes dói nada e acham que já não vale a pena continuarem a tomar “aquele medicamento que tem tantas contra-indicações” (como diz na bula...). 

 

Quando falamos de hipertensão este problema é sério e o que parece ter melhorado com os “primeiros comprimidos” que o médico receitou, pode alterar gravemente o estado de saúde se, por alguma razão, se suspender o tratamento.

 

Um estudo actual (“Current Situation of Medication Adherence in Hypertension”)da autoria de vários investigadores europeus, concluiu que, num grupo de 16.907 indivíduos medicados para várias patologias, quase 40% dos participantes interromperam o tratamento ao fim de um ano.

Em Portugal, a baixa adesão ao tratamento é responsável por um inadequado controle da pressão arterial nos doentes hipertensos. De acordo com o presidente da Sociedade Portuguesa de Hipertensão, Dr. Carvalho Rodrigues, “é crucial promover terapêuticas e posologias simples e, simultaneamente eficazes, para aumentar a taxa de adesão ao tratamento. Cada vez mais temos de pugnar por associações de várias substâncias activas reunidas num só comprimido. Simples e eficaz traduz-se num acréscimo de adesão.”

Simples e eficazes podem ser quase todas as terapêuticas, desde que devidamente explicadas e seguidas por um profissional de saúde, seja ele o médico prescritor, o farmacêutico ou mesmo o enfermeiro de família.

 

A baixa adesão à terapêutica tem também consequências a nível económico. Os investigadores afirmam que cerca de 8% das despesas globais de saúde poderiam ser evitadas pela adesão à terapêutica.

 

Deixo aqui algumas dicas importantes sobre este assunto:

- Conheça os valores da sua Pressão Arterial, medindo-a regularmente!

- Tome toda a medicação prescrita pelo médico, sem interrupções!

- Reduza o consumo de sal!

- Faça exercício físico!

- Peça ajuda ao seu farmacêutico para controlar a sua Pressão Arterial! “O farmacêutico, enquanto profissional de saúde de proximidade e confiança, possui competências para atuar na administração da medicação, na promoção da adesão à terapêutica e no uso correto dos medicamento”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:11

9A0395F0-1740-4F44-B67F-C63F9A3C9A7F.jpeg

 

A Abbott Diabetes Care anuncia que a partir de 10 de Janeiro, os médicos especialistas (Endocrinologistas, Diabetologistas ou Pediatras) já podem prescrever os sensores FreeStyle Libre, exclusivamente às pessoas com Diabetes tipo I.

Estes sensores passarão a estar disponíveis nas farmácias a partir de 15 de Janeiro de 2018, são comparticipados a 85% sendo possível adquiri-los com prescrição médica em qualquer farmácia comunitária por 7,95€.

Os leitores FreeStyle Libre vão ser disponibilizados de forma gratuita, diretamente nos locais de consulta de especialidade, pelos médicos especialistas ou enfermeiros. 

 

B939889B-9D7D-4D9F-8606-0CF62C721C14.jpeg

 

“O FreeStyle Libre é uma ferramenta inédita na medição dos níveis de glicose para pessoas com diabetes, estando indicado essencialmente para pessoas com diabetes que necessitam de fazer diariamente várias picadas dos dedos para controlar os níveis de açúcar, incluindo crianças entre os 4 e os 17 anos.
Composto por um sensor com apenas 35mm x 5mm (semelhante a uma moeda de 2 euros) e com duração de até 14 dias, este sistema é colocado na parte posterior do braço e permite medir os níveis de glicose intersticial, de forma simples, fornecendo resultados instantâneos sobre os valores de glicose e indicadores de tendência. Após uma hora da sua colocação no braço, o FreeStyle Libre inicia a leitura da glicose, tratando a informação que recolhe e identificando tendências.
A grande inovação do FreeStyle Libre está no facto de, numa leitura sem dor e em apenas um segundo, a pessoa com diabetes obter informações relevantes sobre o presente (glicemia atual), sobre o passado e o futuro. Esta vantagem inovadora deve-se ao historial dos valores de glicose até oito horas antes da determinação e setas de tendência de glicose que são disponibilizados e que mostram se estão a subir, a descer ou constantes, o que permite que a pessoa com diabetes antecipar a tendência de evolução através desta determinação, ajudando a prevenir episódios de hipoglicemia (glicose baixa) e melhorando a sua qualidade de vida."

 

O FreeStyle Libre foi eleito o Produto do Ano 2016 na área da saúde. É verdadeiramente uma inovação e demorou a chegar às mãos dos tantos diabéticos que estão ansiosos por largar as picadas diárias para saberem os seus valores de glicémia.

É verdadeiramente uma boa notícia neste início de ano!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16

image_2017-05-17_18-00-47.jpeg

 

Hoje assinala-se o Dia Mundial da Hipertensão (DMH) e a Covilhã foi a cidade eleita para acolher as atividades comemorativas deste dia. Foram muitos os que passaram nesta bonita cidade para conhecerem os valores da sua Pressão Arterial.

O DMH é uma iniciativa da World Hypertension League, à qual a Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPH) se associa e tem como objectivo alertar a população para a hipertensão, doença silenciosa que afeta 42% de portugueses.

 

image_2017-05-17_17-59-34.png

 

Neste dia, a SPH pretende sensibilizar a população para a necessidade de conhecer os valores da pressão arterial, aliando-se assim à campanha mundial cujo lema é: “Conheça os seus valores. Controle a sua pressão arterial”.

 

“O objetivo da SPH é reduzir a taxa de mortalidade. Para além da medição da pressão arterial que é essencial para controlar a doença, percebemos que muitos doentes não cumprem a toma da medicação diariamente ou abandonam o tratamento principalmente por dois motivos: primeiro porque a determinada altura acham que estão controlados e não precisam de continuar a terapêutica e depois porque lhes são receitados vários medicamentos, quando há soluções hoje em dia num só comprimido. Assim, este ano queremos reforçar a importância de cumprir a medicação prescrita e de não a abandonar sem consultar o médico”, refere o presidente da SPH, Dr. Carvalho Rodrigues.

 

Sabe-se hoje que 57% dos doentes hipertensos não tem a sua hipertensão controlada, o que é um número assustador. É urgente tomar medidas em "todas as frentes" para inverter estes números.

E já sabem, "puxando a brasa à minha sardinha", o seu farmacêutico pode dar-lhe uma ajuda preciosa no controle desta doença. Como? Não só fazendo as medições da Pressão Arterial e o registo das mesmas, como "gerindo" a sua medicação; pode ainda dar-lhe conselhos de estilos de vida saudáveis e encaminhá-lo para o médico, sempre que se justifique.

 

Aqui ficam 5 dicas:

- Conheça os valores da sua Pressão Arterial, medindo-a regularmente!

- Tome toda a medicação prescrita pelo médico, sem interrupções!

- Reduza o consumo de sal!

- Faça exercício físico!

- Peça ajuda ao seu farmacêutico para controlar a sua Pressão Arterial!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:12

Uma em cada seis pessoas sofre de AVC durante a sua vida

por dicasdefarmaceutica, em 31.03.17

 

image_2017-03-31_14-04-59.jpeg

Para assinalar o Dia Nacional do Doente com AVC (Acidente Vascular Cerebral) a Bayer e a Associação Bate Bate Coração estão o hoje na Praça Luís de Camões, em Lisboa, para recolher assinaturas digitais para a campanha “Sign Against Stroke”.

 

O objetivo da "Sign Against Stroke" é angariar 1,7 milhões de assinaturas para tornar a prevenção do AVC uma prioridade para os governos a nível global.

 

 A campanha baseia-se em cinco advertências

- O diagnóstico precoce salva vidas.

- A melhoria do diagnóstico e do tratamento das pessoas com FA (Fibrilhação Auricular) pode prevenir AVC associados à FA e melhorar o prognóstico e o resultado final, caso o AVC ocorra;

- Melhorar os conhecimentos e as práticas dos profissionais de Saúde melhorará a prevenção, o diagnóstico e o tratamento da FA e dos AVC;

- As tecnologias inovadoras que melhorem a prevenção, diagnóstico e tratamento das pessoas com FA ou em risco de AVC associado à FA, devem ser disponibilizadas, de forma apropriada, o mais rapidamente possível;

- A prevenção do AVC deve ser uma grande prioridade para os governos.

 

"O risco de AVC aumenta quase 500% em pessoas com Fibrilhação Auricular." Muitos AVC relacionados com a FA podem ser evitados. Uma das formas de detetar se alguém tem FA é a avaliação do pulso, que pode ser feita em qualquer local, de uma forma simples e económica.

 

Se quer ajudar nesta campanha, assine AQUI.

 

"Atualmente pode dizer-se que o AVC é prevenível e tratável. Previne-se corrigindo os fatores de risco e trata-se reconhecendo os seus sintomas."

Prevenir é adotar um estilo de vida saudável: exercício físico, alimentação equilibrada, dormir bem e não fumar estão no topo da lista dos cuidados a ter.

Saber "os seus números" (pulsação, tensão arterial, glicémia, colesterol, peso, altura, perímetro abdominal) é obrigatório e tentar mantê-los dentro da chamada "normalidade" será o ideal.

Reconhecer os sintomas (falta de força num braço, boca ao lado, dificuldade em falar) pode salvar vidas.

image_2017-03-31_13-59-00.png

É bom que todos estejamos conscientes disto para podermos atuar em tempo útil. Se isto é importante para todos os cidadãos, o rastreio dos fatores de risco pode e deve ser feito também nas nossas farmácias. A grande maioria delas já presta estes cuidados, cada vez mais importantes para a saúde e bem estar de toda a população.

 

Como eu li em qualquer lado, o AVC pode ser considerada uma "doença socialmente transmissível", por isso, vamos todos refletir sobre isto e agir em sociedade para a prevenir.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:29

image_2017-02-21_07-36-10.png

 

O primeiro post deste ano foi: "Destaques Dicas de Farmacêutica 2016". Destaquei 12 produtos e, sabem qual foi o meu eleito como produto do ano? Foi o FreeStyle Libre, o primeiro medidor de glicose que não necessita de picadas nos dedos. Acertei em cheio, pois a semana passada, este produto da Abboott foi galardoado com o prémio de  "Produto do Ano" na Área da Saúde.

O "Produto do Ano" é o maior e único prémio mundial que elege os produtos que se destacam pela inovação e que conta com o voto direto dos consumidores. O FreeStyle Libre foi eleito por mais de 6000 consumidores.

 

"O FreeStyle Libre é uma ferramenta inédita na medição dos níveis de glicose para pessoas com diabetes, estando indicado essencialmente para pessoas com diabetes que necessitam de fazer diariamente várias picadas dos dedos para controlar os níveis de açúcar, incluindo crianças entre os 4 e os 17 anos.

Composto por um sensor com apenas 35mm x 5mm (semelhante a uma moeda de 2 euros) e com duração de até 14 dias, este sistema é colocado na parte posterior do braço e permite medir os níveis de glicose intersticial, de forma simples, fornecendo resultados instantâneos sobre os valores de glicose e indicadores de tendência. Após uma hora da sua colocação no braço, o FreeStyle Libre inicia a leitura da glicose, tratando a informação que recolhe e identificando tendências.

A grande inovação do FreeStyle Libre está no facto de, numa leitura sem dor e em apenas um segundo, a pessoa com diabetes obter informações relevantes sobre o presente (glicemia atual), sobre o passado e o futuro. Esta vantagem inovadora deve-se ao historial dos valores de glicose até oito horas antes da determinação e setas de tendência de glicose que são disponibilizados e que mostram se estão a subir, a descer ou constantes, o que permite que a pessoa com diabetes antecipar a tendência de evolução através desta determinação, ajudando a prevenir episódios de hipoglicemia (glicose baixa) e melhorando a sua qualidade de vida."

 

Com o sistema FreeStyle Libre é mais fácil controlar a diabetes. Além do mau estar provocado pelas inúmeras picadas diárias que tinham que ser feitas até agora, o dia-a-dia da pessoa com diabetes fica mais fácil, pois a qualquer a hora, pode analisar os seus valores e prevenir eventuais problemas de subidas ou descidas bruscas de glicémia. 

 

A diabetes é uma doença crónica que, em muitos casos, acompanha todo o crescimento de uma criança, a sua adolescência e toda a sua vida de adulto, até ser bem velhinho. Uma vida longa com uma doença como esta, só é possível com muita prevenção das eventuais complicações.

Estas inovações são muito importantes para que a vida dos diabéticos seja uma vida com mais qualidade! Uma vida com qualidade é o desejo de todas as pessoas que têm doenças crónicas.

 

image_2017-02-21_17-20-17.png

 

Mais informações sobre este sistema, disponíveis em FreeStyle Libre

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28

image_2017-01-23_16-10-27.jpeg

 

Os números falam por si e dizem que 50% dos medicamentos não são corretamente usados pelos doentes. Isto agrava-se nos doentes polimedicados, pois a não adesão à terapêutica e, muitas vezes, o cansaço de uma terapêutica que se alonga no tempo, tornam a tarefa ainda mais difícil. 

 

De forma a alertar a população para este problema, surge agora uma nova campanha intitulada "Por vezes, mais é menos", que tem como principal objetivo alertar os doentes para a importância da medicação responsável, para a sua saúde e o seu bem-estar.

 

Esta campanha realça também o importante papel das farmácias e dos farmacêuticos na ajuda prestada aos doentes para que os medicamentos sejam tomados de forma correta. Nos doentes polimedicados, esta ajuda é fundamental, evitando muitos erros e, consequentemente, mais problemas de saúde.

"O farmacêutico, enquanto profissional de saúde de proximidade e confiança, possui competências para atuar na administração da medicação, na promoção da adesão à terapêutica e no uso correto dos medicamento". 

 

Abordar o problema da Polimedicação é muito importante, sobretudo nos idosos, pois são várias as consequência de uma administração simultânea de medicamentos, feita sem cuidado. Aqui falamos não só dos medicamentos receitados pelo médico, mas também de todos aqueles que são vendidos sem receita médica e das "mezinhas" várias, que podem interferir com a medicação.

Entre outros problemas, podemos falar do aumento da frequência das reacções adversas, do risco de quedas e de interacções medicamentosas.

Também a diminuição na adesão, decorrente de tomarem tantos medicamentos, é um dos possíveis efeitos do excesso de fármacos.

 

A campanha começou em mais de 1200 farmácias em todo o país e é da responsabilidade da Cooprofar (Cooperativa dos Proprietários de Farmácia).

 

Todos estamos conscientes da importância do problema abordado nesta campanha e todos sabemos que os farmacêuticos podem e devem funcionar como "gestores da medicação" dos seus utentes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:02

image.jpeg

Pela primeira vez, tendo como principal objetivo a sustentabilidade do SNS, o governo e as sete ordens profissionais com intervenção nos cuidados de saúde, estão a trabalhar um diploma que define as competências dos diferentes profissionais.  

Médicos, enfermeiros, farmacêuticos, dentistas, nutricionistas, psicólogos e biólogos sentaram-se à mesma mesa para, de forma articulada, encontrarem consensos que vão de acordo com os interesses dos doentes, pela sua saúde e qualidade de vida.

 

Talvez agora, finalmente, o reconhecimento da relação de proximidade entre farmacêuticos e doentes, faça com que a articulação entre a farmácia e os médicos assistentes, passe a ser uma realidade. Também de muita importância será a articulação com os enfermeiros, nutricionistas e restantes profissionais que estão em contato com os doentes. A saúde de cada doente não pode estar "separada" em especialidades; todos têm que trabalhar em conjunto para o mesmo objetivo, que é sempre uma melhor qualidade de vida.

 

Todos os dias, nas nossas farmácias, os farmacêuticos ouvem as queixas dos doentes, aconselham no tratamento, encaminham para consultas e ajudam na organização da medicação. Contudo, também sabemos que, muitas vezes, tudo é feito ao balcão, de uma forma pouco personalizada, o que leva a que a importância do acto farmacêutico passe despercebido e até desvalorizado.

Com este diploma, poderemos ter uns "cuidados farmacêuticos" mais organizados e apoiados pelos restantes profissionais de saúde.

 

O farmacêutico deve ser um dos grandes responsáveis pelo uso correto dos medicamentos, assegurando-se que os vários cidadãos tenham acesso aos medicamentos corretos, na dose certa, no tempo adequado e com o menor custo possível, quer para os próprios, como para o sistema de saúde. Tudo isto só será possível com um trabalho adequado e articulado com todos os profissionais de saúde. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48

image.jpeg

Parece que, finalmente, estará para breve uma medida há muito tempo em discussão: as embalagens dos medicamentos genéricos vão ser todas iguais, em cores ou tamanhos, destacando-se o nome da substância activa e não o nome da marca. A marca terá um destaque reduzido.

Até agora, as embalagens dos genéricos caracterizam mais a marca associada do que o princípio activo do medicamento. Por vezes, só sabemos que são genéricos porque são identificados pela sigla MG.

 

Os utentes, sobretudo os mais idosos, reconhecem os medicamentos pela cor e pela embalagem. Como não conseguimos que os comprimidos com a mesma substância activa sejam todos da mesma cor, se tiverem embalagens semelhantes podem-se evitar confusões devidas à troca permanente das mesmas.

Se todas as sinvastatinas 20mg, por exemplo, tiverem uma embalagem do mesmo tamanho e forem todas verdes e brancas, talvez seja mais fácil a sua identificação, para os tantos milhares de doentes que não sabem ler e não conseguem identificar os vários medicamentos que tomam. 

Esta medida também pode facilitar o atendimento e o papel dos cuidadores, pois podem- se arranjar estratégias diferentes quando se fazem os quadros com as posologias prescritas, colocando nas observações, por exemplo, alguma referência à embalagem.

 

image.jpeg

 

Já que estou a falar de genéricos, por vezes, questionam-me como saber se os medicamentos que tomam têm genérico. Primeiro, tanto o médico como o farmacêutico devem informar o utente sobre a existência de medicamentos genéricos comparticipados pelo Serviço Nacional de Saúde e sobre aquele que tem o preço mais baixo.

Além disso, o Infarmed disponibiliza uma linha gratuita (800 222 444), todos os dias úteis, das 9 às 13 horas e das 14 às 17 horas, através da qual toda a gente pode aceder a esta informação. O Infarmed disponibiliza ainda uma aplicação informática – Pesquisa MG - onde poderá pesquisar se existem Medicamentos Genéricos para o seu medicamento e consultar o preço de todos os medicamentos.

 

Quando falamos que 50% dos medicamentos não são corretamente usados pelos doentes, todas as medidas que venham melhorar esta situação são bem vindas.

Tanto a Apogen (Associação Portuguesa de Medicamentos Genéricos) como a Ordem dos Médicis aplaudem esta iniciativa de mudança das embalagens dos genéricos.

O uso responsável dos medicamentos tem que ser uma preocupação constante de todos nós, pois só assim conseguiremos poupar dinheiro e, ao mesmo tempo, aumentar a eficácia dos medicamentos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:09

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog