Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A importância das tabelas de percentis na gravidez

por dicasdefarmaceutica, em 21.08.18

44FF7828-577B-4548-BEFB-BF1C56E8A3B8.jpeg

 

As chamadas tabelas de percentis são muito úteis para acompanhar as gravidezes, mas podem ser uma verdadeira “dor de cabeça” para os progenitores. Se o crescimento ou o peso fetal é baixo e o bebé se afasta da média, são dias e às vezes meses de angústia, para quem pretende que tudo corra dentro da dita normalidade.

 

Afinal para que servem as tabelas de percentis?

- Servem para que os médicos consigam estimar o tempo de gravidez e a data prevista do parto.

- Servem para diagnosticar eventuais problemas de desenvolvimento dos fetos.

- Servem para ajudar no diagnóstico de algumas doenças que podem surgir na gravidez, como a diabetes, a pré-eclampsia, doenças metabólicas ou genéticas.

 

Trata-se realmente de uma ferramenta muito útil e muito importante para os obstretas, pediatras e médicos de família, mas não é uma ferramenta única e é sempre analisada com todos os outros fatores.

 

O problema destas tabelas é que são muito padronizadas e sabemos que existem vários fatores a influenciar o crescimento fetal, nomeadamente:

- O género (os rapazes são, em regra, maiores)

- A herança genética e etnia

- O peso e a altura da mãe

- As doenças da mãe

- O número de filhos que a progenitora teve anteriormente

- O consumo de álcool

- O tabaco (fumar diminui aproximadamente 5% o peso do bebé à nascença)

- Até a altitude onde a mulher vive pode ter influência (em altitudes mais elevadas, os bebés são mais leves)

 

Neste momento, já existem tabelas de percentis adequadas a cada país e existe uma adequada à realidade portuguesa.

Compreende-se que uma mulher com 1,80 metros numa terceira gravidez tenha uma curva diferente de uma mulher com 1,50 metros numa primeira gravidez. 

É por isso que, cada vez mais, existem muitos médicos que criam as curvas de percentis personalizadas. Existem até softwares desenvolvidos por investigadores portugueses, com esta finalidade.

 

É importante que os futuros pais não fiquem em pânico porque o percentil do seu bebé é 10. Este número pode não ser preocupante; serve para colocar médicos e pais mais vigilantes.

Os valores que estão nas tabelas são valores matemáticos e não de um diagnóstico clínico, ou seja, um percentil muito baixo ou muito elevado não é sinónimo de patologia. A esmagadora maioria dos bebés que estão abaixo do percentil 10, por exemplo, são perfeitamente normais. 

Nestes casos e porque os bebés são a “coisa” mais importante do mundo, só há uma coisa a fazer: falar com o médico obstreta/pediatra/de família e tirar todas as dúvidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:34

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Agosto 2018

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog