Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Arroz Vermelho no combate ao Colesterol

por dicasdefarmaceutica, em 22.01.16

image.jpeg

A levedura de arroz vermelho é um arroz que foi fermentado com a levedura Monascus purpureus, adquirindo uma cor púrpura avermelhada. A levedura de arroz vermelho contém uma variedade de substâncias chamadas monacolinas, cada uma identificada com sua própria letra. No entanto, apenas a monacolina K é reconhecida pela sua capacidade de manter os níveis normais de colesterol no organismo.

 

Na Ásia, a levedura de arroz vermelho é comum na culinária e, em particular na China, há registos da sua utilização há milhares de anos, nomeadamente na medicina tradicional chinesa.

 

Com base nestas evidências, começaram a surgir vários suplementos de arroz vermelho no mercado, com o principal objetivo de ajudar a reduzir colesterol.

image.png

O mecanismo de acção deste suplemento está relacionado com a tal substância chamada monacolina K, que influencia a enzima HMG-CoA redutase envolvida na produção do colesterol pelo organismo. A monacolina K tem uma estrutura molecular semelhante à lovastatina, um medicamento da família das estatinas, muito utilizado para baixar os níveis de colesterol.

Cada comprimido de BioActivo Arroz Vermelho contém 10 mg de monacolina K, a dose diária necessária para se obter o efeito benéfico. Esta caixa dá para dois meses de tratamento.

 

Contudo, o recurso a suplementos alimentares à base da levedura de arroz vermelho, não dispensa a implementação de um estilo de vida saudável, nomeadamente a implementação daqueles hábitos que ouvimos falar todos os dias:

- Modificação nos hábitos alimentares, com a diminuição da ingestão de gorduras.

- Prática de exercício físico regular.

- Parar de fumar. 

Se juntar o suplemento de arroz vermelho a estes hábitos, vai de certeza baixar o seu colesterol e sentir-se melhor, prevenindo aquelas doenças que tanto nos apavoram, como as doenças cardiovasculares.

 

Tenha em atenção que a toma de suplementos deve ser sempre feita com a opinião do médico ou do farmacêutico, pois nem tudo o que é natural é benéfico para a sua saúde, em particular.

Neste caso específico, tenha em atenção a medicação crónica que está a fazer e se já está a fazer alguma estatina para baixar o colesterol, convém não iniciar este complemento sem ir a uma consulta de aconselhamento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

O combate à depressão é possível...

por dicasdefarmaceutica, em 21.11.15

image.jpg

O stress é inevitável, faz parte da vida. O problema é quando não sabemos gerir esse stress e, nesse caso, ele pode ser de tal modo nocivo, que pode tornar-se uma doença. Aí surge a depressão.

 

A depressão caracteriza-se por tristeza prolongada, perda de energia, cansaço fácil e pode afectar pessoas de todas as idades. É muito importante reconhecer os sinais de alerta.

 

Tratar a depressão é possível, por isso, quando os sinais estão já instalados, deve sempre pedir ajuda, consultar o médico e seguir à risca o tratamento prescrito.

 

Por vezes, sobretudo nesta altura do ano, parece que, ao mesmo tempo que as folhas caem da árvores, a tristeza "cai" de algum lado, e instala-se no corpo de muita gente.

Na prevenção e tratamento da depressão e da depressão sazonal, os suplementos alimentares podem dar uma ajuda, acompanhados de outras medidas preventivas, como o exercício físico, a alimentação e até algumas técnicas de relaxamento, como a meditação ou o Yoga.

 

Sabe-se que a depressão está associada a baixos níveis de um neurotransmissor chamado serotonina, substância que regula o humor, o sono, a actividade sexual, o apetite, o ritmo circadiano, etc...Assim, a reposição dos níveis da serotonina no organismo combate a depressão e a ansiedade.

 

A griffonia simplicifolia, presente nalguns suplementos, é considerada uma grande aliada natural contra a depressão porque é um dos alimentos ricos em serotonina.

Posso dar-vos um exemplo de um destes suplementos, o DIPRESS tecnilor, que tem na sua composição, além da grifónia, passiflora, rhodiola, espinheiro alvar, vitamina B6, óxido de magnésio, vitamina B3 e ómega 3, tudo nutrientes que, de uma forma ou de outra, ajudam no combate aos estados depressivos.

image.jpg

No mercado, existem hoje diversos produtos naturais que podem ser uteis para a depressão e ansiedade. No entanto, há que ter em atenção se a sua composição é a ajustada, porque algumas substâncias precisam de serem acompanhadas de outras para uma melhor absorção e potencialização dos efeitos desejados.

Quando optar por algum suplemento, não se esqueça de seguir os conselhos do fabricante, quanto à dose recomendada e quanto ao tempo adequado de duração do tratamento para obter os efeitos desejados.

 

Aconselhe-se sempre com o farmacêutico antes de iniciar um suplemento. Explique o seu caso e não se esqueça de referir toda a medicação que está a fazer; só com as devidas precauções, é que os suplementos serão uma ajuda para a cura. Evite a auto-medicação!

 

No caso específico da depressão, é muito importante lembrar-se que ninguém resolve tudo sozinho. Peça ajuda! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:48

Jovens tomam medicamentos sem controle

por dicasdefarmaceutica, em 12.11.15

image.jpg

 

Segundo um inquérito recente do INE (Instituto Nacional de Estatística), mais de um quarto dos jovens tomam medicamentos e suplementos sem controle.

 

Trata-se sobretudo de analgésicos, anti-inflamatórios e de um sem número de suplementos, sobretudo para a memória e para a ansiedade, mas também, para emagrecer, para "ter músculos" e até para aumentar o apetite sexual.

Tomam suplementos "para tudo e para mais alguma coisa", esquendo-se que a vida regrada, com descanso, exercício físico e uma correta alimentação, são a base de tudo o que pretendem alcançar. Estes três pilares (horas corretas de sono, exercício físico e alimentação equilibrada) são a melhor forma de garantir que a função cognitiva é maximizada.

 

Existem dois problemas distintos: o primeiro, é o uso de medicamentos e o segundo, o uso de suplementos.

O problema do abuso de medicamentos, como os famosos ben-u-ron ou brufen, é o hábito de ir comprar uma caixinha em qualquer local, sem aconselhamento e tomar de uma forma "leviana", como se tratasse de uma pastilha para tirar o mau hálito...Na realidade, na maioria das situações, a toma destes medicamentos poderia ser evitada. Neste campo, é fundamental a educação para a saúde desde a mais tenra idade, alertando para os efeitos adversos e as contra-indicações dos vários medicamentos, ditos de venda livre.

O segundo problema, o dos suplementos, parece ser ainda mais complexo porque, além de se venderem em todo o lado (até na internet...), muitos têm efeitos adversos graves, sobretudo quando tomados com outras "drogas". O problema dos suplementos é que não existem ensaios clínicos para muitos deles, que demonstrem a sua eficácia e segurança, como os que são obrigatórios para os medicamentos. 

 

Claro que, muitas vezes, aqui no blog, falo de suplementos e é claro que os aconselho, a quem deles realmente precisa. Em minha casa também existem alguns, mas são tomados como se de medicamentos se tratassem, ou seja, sempre supervisionados por uma farmacêutica, claro!

 

Quando falo da problemática dos medicamentos e suplementos serem vendidos em toda a parte e a toda a gente, inclusive a crianças e jovens, não tenho nada contra os locais onde se vendem, pois o facto de serem vendidos em farmácias não lhes confere mais validade, só que, nas farmácias, o aconselhamento ainda é diferente e, quando falamos de jovens, esta diferença pode ser crucial.

 

Penso que este estudo do INE sobre esta realidade dos jovens tomarem medicamentos e suplementos sem controle, é de extrema importância, pois o uso indiscriminado de medicamentos e, principalmente, sem supervisão médica, acarreta riscos diretos e indiretos à população, tornando-se um importante problema de saúde pública.

 

Muito há para fazer neste campo e não tenho dúvidas que o começo está nos jovens. 

O projeto Geração Saudável da responsabilidade da Ordem dos Farmacêuticos é um exemplo do que se pode fazer nesta área, e já está a visitar muitas escolas do país.

image.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10

Será a artrose uma doença só dos idosos?

por dicasdefarmaceutica, em 13.10.15

image.jpg'

A artrose, também conhecida como osteoartrite, osteoartrose ou artrite degenerativa, é a forma mais comum de artrite (inflamação da articulação), sendo resultado da degeneração da cartilagem que protege a articulação.

image.jpg

A osteoartrose é muito rara antes do 40 anos e muito comum após os 60 anos. Durante muito tempo pensou-se que a degeneração da articulação, e consequentemente a artrose, era um processo natural do envelhecimento. Sabe-se hoje que a idade é um dos principais fatores de risco, mas não é o único.

 

Quais são as CAUSAS da Artrose?

- Idade (mais comum a partir dos 55 anos)

- Sexo (mais comum no sexo feminino)

- Deformações ósseas (muitas vezes, genéticas)

- Lesões nas articulações (na prática desportiva ou acidentais)

- Obesidade (sobretudo artrose do joelho)

- Certas profissões (que exigem esforço intenso e desportistas)

- Portadores de algumas doenças (diabetes, gota, etc...)

 

Como vêem, apesar de ser considerada uma doença dos mais velhos, pode aparecer em qualquer idade.

É muito importante fazer uma prevenção durante toda a vida e um tratamento correto quando a doença se instala.

Qual será o tratamento mais adequado e como prevenir esta doença, que é considerada a primeira causa de incapacidade física em adultos, no mundo?

 

 

TRATAMENTO da Artrose

Antes de iniciar qualquer tratamento para a artrose, é essencial consultar o médico.

Os sintomas mais comuns das artroses são dor, inchaço e rigidez muscular, pelo que a maior parte dos tratamentos são no sentido de aliviar estes sintomas.

 

O tratamento vai desde fisioterapia, exercício físico adaptado, auxílios ortopédicos, cirurgia e medicamentos.

 

Os medicamentos têm como objetivos principais reduzir a dor e a inflamação e reconstituir a cartilagem.

 

Para a dor, utiliza-se sobretudo o paracetamol (analgésico), o tramadol (normalmente associado ao paracetamol), os anti-inflamatórios não esteróides (AINES) e, quando as dores são muito fortes acompanhadas de inflamação, o médico pode receitar a cortisona e os seus derivados. 

 

Para reconstituir a cartilagem, utiliza-se normalmente o sulfato de condroitina, a glucosamina e o ácido hialurónico.

 

Após muitas polémicas sobre a utilização destas últimas substâncias no tratamento das artroses, os estudos mais recentes revelaram que, sobretudo para algumas patologias, a associação destes produtos revela-se uma mais-valia, não só no alívio das dores, mas também na redução da inflamação.

 

Existem vários produtos que associam estas substâncias, à venda nas farmácias. Posso deixar-vos aqui um exemplo de um deles, cuja composição me parece muito equilibrada. Chama-se MoviARTROSE (Tecnilor) e foi especialmente concebido para reduzir significativamente os sintomas associados à artrose.

 

image.jpg

MoviARTROSE tem na sua composição:

- SULFATO DE GLUCOSAMINA: tem comprovada ação anti-inflamatória. A glucosamina está envolvida da síntese dos proteoglicanos, moléculas que contribuem para a construção da cartilagem articular.

- SULFATO DE CONDROITINA: é um dos principais componentes estruturais da cartilagem e fornece-lhe grande parte de sua resistência e compressão. Tal como acontece com a glucosamina, o sulfato de condroitina atrai água para a matriz da cartilagem e estimula a sua produção.

- ÁCIDO HIALURÓNICO: componente importante do líquido sinovial, que tem a função de lubrificar as articulações sinoviais.

- COLAGÉNIO HIDROLISADO: é a proteína que compõe os tecidos de sustentação, como pele, ossos, tendões e cartilagens.

- MSM (METHYLSULFONYLMETHANE): diminui os sintomas da osteoartrite e da inflamação, e o processo de recuperação do desgaste das articulações é acelerado. O MSM trabalha sinergicamente para aumentar os benefícios da glucosamina e da condroitina.

- VITAMINA C : ao atuar no sistema imunológico, aumenta as defesas contra infeções, fortalece as paredes dos capilares e artérias e melhora a consistência dos ossos. 

- HÁRPAGO: com acção anti-inflamatória e analgésica.

- MANGANÉSIO: está envolvido em múltiplas reações metabólicas e é essencial para a estrutura óssea normal.

 

 

Por fim, aqui ficam algumas dicas de PREVENÇÃO da Artrose:

- Pratique exercício físico, mas tenha cuidado com o excesso de peso no ginásio! Também são de evitar desportos que exijam demais das articulações, como o squash,  agora tão na moda..

De acordo com um estudo publicado em junho de 2014, no jornal "Arthritis Care and Research" (Cuidado e Pesquisa da Artrite), a prática de caminhadas pode melhorar a condição da artrose. Os pesquisadores estimam que cada quilómetro percorrido reduz os sintomas da artrose de 16 a 18%, melhorando particularmente a mobilidade.

- Reduza o seu peso (calcule o seu IMC), pois este pode enfraquecer as articulações e agravar a artrose.

- Utilize sapatos confortáveis.

- Em caso de crises e dor intensa, evite andar muito ou fazer muito exercício.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:53

VENO Tecnilor: uma ajuda para as suas pernas

por dicasdefarmaceutica, em 31.08.15

image.jpg

 

A sensação de pernas cansadas é muito comum e são muitos os fatores que podem contribuir para este cansaço, muitas vezes desvalorizado. Contudo, pode ser um primeiro sinal de doença venosa, que pode tornar-se num grave problema de saúde.

Além do cansaço, a dor, a comichão, a sensação de calor e o aparecimento daquelas malvadas manchas e varizes, podem acompanhar o desenvolvimento da doença.

 

Nas pernas existem artérias (que transportam o sangue de cima para baixo) e veias (que trazem o sangue dos pés para o coração). Para que as veias consigam vencer a força da gravidade, possuem válvulas que forçam o sangue a subir.

Quando as veias estão dilatadas, as extremidades das válvulas não se tocam e elas fecham mal, deixando o sangue venoso descer e acumular-se nas pernas, o que lhes confere a sensação de peso, típica da insuficiência venosa.

A Doença venosa crónica (DVC) consiste na incapacidade das veias das pernas de bombear um volume suficiente de sangue de volta ao coração.

image.jpg

 

Existem alguns produtos que, após um diagnóstico correto, podem ajudar na prevenção desta doença e também no alívio dos sintomas causados pela mesma.

É o caso do suplemento "VENO Tecnilor, especialmente desenvolvido para favorecer a contração das veias, melhorando o tónus dos capilares e a vasoconstrição, e aumentando a resistência das paredes venosas."

image.jpg

VENO Tecnilor é composto por uma mistura de ingredientes que ajudam na redução dos sintomas associados à má circulação e à insuficiência venosa:

 

 - Bétula, com propriedades que auxiliam na diurese, favorecendo a eliminação de água e ajudando na redução do edema.

 - Diosmina, que melhora a tonificação e a intensidade dos vasos sanguíneos, ajudando a reduzir o inchaço e estimula o fluxo linfático.

 - Gilbardeira, que contém saponósidos que conferem uma ação venotónica e uma proteção capilar.

 - Videira vermelha, que melhora e aumenta a resistência capilar e o retorno venoso, ajudando a reduzir o cansaço e a sensação se pernas cansadas.

 

O diagnóstico correto da DVC é muito importante, mas a prevenção deve ser a primeira medida a implementar, por isso, aqui ficam algumas medidas preventivas:

- Fazer exercício físico, pois músculos tonificados são a base do retorno venoso. Os desportos de eleição para este mal são a marcha diária, o ciclismo, a dança, a natação e a ginástica.

- Durante o banho, fazer uns jactos de água fria nas pernas, pois isto vai ativar a circulação venosa. Na praia, faz bem caminhar com a água fria a bater nas pernas.

- Repousar de pernas elevadas.

- Fazer massagens de baixo para cima, de preferência com um gel.

- Usar vestuário cómodo (não apertado) e calçado adequado (saltos médios é o ideal...). Por vezes, é conveniente o uso de meias de descanso.

- Lutar contra o excesso de peso. Fazer uma alimentação rica em fibras, evitando a ingestão de gorduras saturadas (manteiga, carne de porco, etc) , sal, especiarias e bebidas alcoólicas.

- Beber pelo menos 1,5 Lt de água. Se tiver dificuldade em beber água, beba chás, infusões ou mesmo sopas.

- Evitar calor nas pernas (sol, depilação a quente, aquecedores, lareiras, banhos muito quentes, sauna).

- Evitar permanecer muito tempo de pé ou sentado.

- Evitar cruzar as pernas (aumenta a pressão na perna que fica por baixo).

- Não fumar.

 

Se sofre com as suas pernas e acha que tem problemas de circulação, consulte um médico e peça ajuda ao seu farmacêutico!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:31

image.jpg

Mais uma vez, e no seguimento do que já falei em vários posts, é bom que tenhamos a consciência de que nem tudo o que é natural não faz mal e que, neste "turbilhão" de produtos que aparecem todos os dias para a solução dos mais variados problemas, existem muitos que são mesmo prejudiciais, podendo causar efeitos indesejáveis, por vezes, muito graves.

 

Na televisão, em revistas, jornais, panfletos, parece que é tão fácil emagrecer, deixar de fumar, ter melhor desempenho sexual...a publicidade, muitas vezes enganosa, não nos larga com tanta promessa...

Há que analisar muito bem todos os suplementos e, sobretudo, haver a consciência da população para se informar muito bem antes de iniciar a toma de algum deles.

 

Felizmente, as nossas autoridades competentes estão atentas e, apesar da notícia já ser de Fevereiro, continua o alerta para alguns produtos que já foram retirados do mercado, pois ainda ontem vi um destes produtos na mão de um utente. Nunca é demais relembrar...

 

Foram 98 os produtos retirados do mercado e destinavam-se sobretudo ao emagrecimento ou à melhoria do desempenho sexual.

Entre estes produtos, destaca-se os que têm na sua composição inibidores da fosfodiesterase do tipo 5 (sildenafil e taladafil, por exemplo), substâncias destinadas à disfunção erétil, utilizadas nalguns medicamentos sujeitos a receita médica. Outros contêm sibutramina, substância destinada ao tratamento da obesidade, já proibida na União Europeia.

 

Estes produtos constituem um risco para a saúde pública e por isso, são considerados medicamentos ilegais.

 

Por este motivo, "O INFARMED e a ASAE solicitaram que as entidades que disponham dos referidos produtos não procedam à sua venda e que os utentes que os tenham adquirido não os utilizem."

 

E mais uma vez, aqui fica mais uma dica: antes de tomar qualquer suplemento, mesmo que lhe pareça inofensivo, fale com o seu médico ou com o seu farmacêutico. O "uso responsável dos medicamentos" aplica-se também aos suplementos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:56

Défice de Vitamina D num país de sol? - Parte II

por dicasdefarmaceutica, em 09.07.15

image.jpg

 

No post de ontem (VER AQUI ) falei do défice de Vitamina D e nas implicações que este défice pode ter na nossa vida.

Hoje vamos ver o que já está a ser feito para resolver este problema e qual a evolução científica nesta área. Será que estamos perante uma revolução?

 

Apesar de estar presente em alimentos de origem animal, sobretudo peixes gordos, estes alimentos não possuem a quantidade de vitamina D que o organismo necessita.

 

Por isso, para evitar a carência da substância o que podemos fazer é apanhar de 15 a 20 minutos de sol todos os dias. Braços e pernas devem estar expostos, pois a quantidade de vitamina D que será absorvida é proporcional à quantidade de pele que está exposta.

Ao se expor ao sol para obter a vitamina, é importante não colocar protetor solar. Para se ter uma ideia, um protetor  com fator 8 inibe a retenção de vitamina D em 95% e um fator maior do que isso praticamente inibe toda a produção da substância.

Então e o cancro de pele? Temos sido "reféns" da dermatologia e das campanhas de prevenção, e agora não colocamos protetor solar por causa da Vitamina D? Nada disso: após os 15 a 20 minutos recomendados para obter a vitamina, colocamos o protetor solar.

 

O problema é que grande parte do ano não apanhamos sol e só os meses quentes não chegam para cobrir as necessidades e, sobretudo nas pessoas que vivem em ambiente urbano, as carências são maiores. Também as pessoas de cor escura e os idosos necessitam de mais tempo de exposição ao sol para cobrirem as necessidades de Vitamina D.

 

Como falei no post de ontem, evidências recentes correlacionam níveis insuficientes de vitamina D ao desenvolvimento ou agravamento de algumas patologias crónicas aumentando o seu risco, tais como doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes, demência e osteoporose, entre outras.

 

Como podemos saber se temos défice de Vitamina D?

Através de uma análise de sangue, podemos ter este indicador. Trata-se de uma análise comparticipada e já é prescrita por muitas especialidades (doseamento da 25-hidroxivitamina D), sobretudo a doentes de risco (pessoas com pouca exposição solar, idosos, grávidas, mulheres pós-menopáusicas, doentes auto-imunes, etc...)

image.jpg

Quando tomar suplemento de Viatamina D?

Como quase todos os suplementos e, apesar da baixa toxicidade, não devem ser tomados suplementos de Vitamina D sem o aconselhamento médico.

Quando o doseamento da 25-hidroxivitamina D é inferior ao valor recomendado, o médico, além de recomendar a tal exposição ao sol de 15 a 20 minutos por dia, pode aconselhar uma suplementação de Vitamina D.

A discussão científica em torno dos benefícios da suplementação de vitamina D é um tema atual e está cientificamente aceite. Só para vos dar um exemplo, esta é a recomendação nos idosos:

image.jpg

Aprendi bastante na conferência que fui no dia 4 sobre este assunto e, se tiverem curiosidade, podem consultar AQUI a bula do suplemento da Jaba - EGOSTAR

image.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:48

Défice de Vitamina D num país de sol? - Parte I

por dicasdefarmaceutica, em 08.07.15

image.jpg

Foi este o tema que me fez deslocar à Fundação do Oriente no último Sábado, dia 4. Numa tarde cheia de sol, a plateia estava cheia, sobretudo de médicos de várias especialidades, para assistirem a uma conferência, seguida de um debate sobre a importância da vitamina D em todas as fases da nossa vida. Porquê e para quem a suplementação desta vitamina?

Agradeço aos laboratórios Jaba este amável convite!

 

Quais as fontes de produção da Vitamina D?

 

Existem 3 fontes:

1 - Sol: por exposição solar os raios UVB são capazes de activar a síntese desta substância. O sol é o responsável por 80 a 90% desta produção. 

2 - Alguns alimentos, especialmente os peixes gordos.

3 - Suplementos.

 

A Vitamina D pode ser sintetizada pelo organismo, através da pele, daí poder dizer-se que se trata de uma hormona - Hormona Colecalciferol. Trata-se de uma hormona essencial para o corpo humano e a sua ausência pode proporcionar uma série de complicações a vários níveis, daí, nesta conferência, estarem palestrantes de várias especialidades: medicina geral e familiar, medicina interna, cardiologia e reumatologia.

image.jpg

 Alguns dos benefícios e usos da Vitamina D:

 

- Fortalece os ossos. Esta hormona é necessária para a absorção do cálcio pelos ossos. Pode ser responsável pelo raquitismo na infância e pela osteoporose nos adultos.

- Fortalece os músculos. A fraqueza muscular nos idosos e as quedas frequentes estão muitas vezes associadas à deficiência de Vitamina D.

- Importante na gravidez: a sua falta, no primeiro trimestre da gravidez pode levar a abortos e no final da gravidez pode ser responsável por pré-eclâmpsia.

- Para controlar e prevenir a diabetes. A produção de insulina pelo pâncreas requer Vitamina D. Alguns estudos mostram que, em crianças, o risco de desenvolverem diabetes tipo1 pode ser muito reduzido com um suplemento desta vitamina.

- Protege o coração, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares e permite um maior controle da Hipertensão arterial.

- Tratamento de doenças autoimunes, como por exemplo o Lúpus ou a Artrite reumatóide. A vitamina D é um imunoregulador que inibe seletivamente o tipo de resposta imunológica que provoca a reação contra o próprio organismo. O tratamento de doenças autoimunes com vitamina D é algo recente, mas é visto por especialistas como um grande avanço da medicina. Esta substância mostra mesmo um efeito anti-inflamatório nestas doenças.

- Prevenção e tratamento de alguns tipos de cancro. A falta de Vitamina D favorece o aparecimento do cancro da mama e próstata, entre outros.

- Doença de Alzheimer.

- Outras patologias, como a dismenorreia e a enxaqueca.

image.jpg

De tudo o que referi e de tudo aquilo que ouvi nesta conferência existe, neste momento, uma consciência conjunta da importância da Vitamina D na nossa vida e a preocupação é à escala mundial pois, mesmo nos países onde há muito sol, como é o caso de Portugal, existe deficiência desta hormona.

 

Na grande maioria dos casos, é é importante referir, os estudos ainda são recentes e ainda não são suficientes para que as conclusões finais, se é que isto existe em medicina, sejam tiradas.

 

No próximo post voltarei a este assunto para vos falar daquilo que aprendi sobre o que já está a ser feito para resolver as deficiências de Vitamina D em Portugal e no mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:58

image.jpg

O beta- caroteno é um pigmento carotenóide antioxidante; é igualmente uma pró-vitamina, pois converte-se em vitamina A, quando o organismo necessita.

A vitamina A contribui para a manutenção de uma pele, membranas mucosas e visão normais; também tem um papel importante no processo de especialização celular no organismo e contribui para uma função normal do sistema imunitário.

 

No tempo de sol e praia, o beta-caroteno tem a vantagem acrescida de favorecer o bronzeado da pele, o que ajuda a proteger dos raios solares. O processo passa pela transformação do beta-caroteno em vitamina A, que por sua vez promove a formação de melanina, o pigmento que dá a cor bronzeada à pele e protege dos raios ultravioleta (UV).

 

O beta-caroteno pode ser encontrado em verduras como a cenoura, abóbora, beterraba, alperce, manga, papaia, espinafres, batata-doce, brócolos e agrião, por exemplo. Apesar de existir em muitos alimentos, nesta época do ano, faço sempre um suplemento de caroteno. Já comecei: tomo durante 2 meses, um mês antes da praia e durante o mês que apanho mais sol. É mais uma protecção extra e o bronzeado mantém-se durante mais tempo. Já faço este suplemento há uns anos e também deixei de apanhar escaldões...claro que também não me esqueço de um bom protetor solar...

 

Este ano optei pelo BioActivo Caroteno, por ser um produto equilibrado em termos de dosagem de beta-caroteno (9 mg), por ter a vantagem de se tomar apenas 1 cápsula por dia e porque garante um bronzeado bonito e duradouro.

 

image.jpg

O beta-caroteno é seguro, mas quando consumido em excesso pode dar uma coloração amarelada à pele, por isso, não vale a pena aumentar a dose para ficar bronzeada mais depressa. O tom amarelado desaparece quando se diminui o consumo, mas não é nada bonito.

 

Boa praia para todos, com um bonito bronzeado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14

Encarar a Menopausa com naturalidade

por dicasdefarmaceutica, em 29.05.15

image.jpg

 

Se tivermos em conta que a esperança de vida em Portugal é de 86 anos, a menopausa dura, em média, 36 anos, pois ocorre por volta dos 50 anos.

Como é uma fase longa, é bom que a mulher esteja preparada para a enfrentar da melhor forma, não a catalogando como o início da velhice. Cuidar mais de si, adoptando um estilo de vida saudável, é o mote. A alimentação, o exercício físico e as horas de sono devem ser a sua grande prioridade.

É importante que a menopausa seja encarada com naturalidade, apesar de trazer com ela alguns sintomas, como os afrontamentos e os suores noturnos, sentidos por 75% das mulheres que estão nesta fase.

 

A terapêutica hormonal é muitas vezes uma alternativa ponderada pelo médico e pela mulher, mas deve ser feita por um tempo limitado e é muitas vezes evitada, por receio do cancro da mama.

 

Uma alternativa terapêutica inovadora, disponível no mercado português há relativamente pouco tempo, são os comprimidos FEMAL. Trata-se de um suplemento 100% não hormonal, sem presença de isoflavonas ou de outros fitoestrogénios, o que torna a sua utilização segura para todas as mulheres.

 

A dose é de 2 comprimidos por dia e os primeiros sinais de melhora aparecem geralmente no segundo mês.

A interrupção do uso pode levar a um reaparecimento dos sintomas, sendo portanto aconselhável continuar a tomar FEMAL para uma eficiência contínua.

 

FEMAL tem na sua composição extratos de pólen, pólen pistilo e vitamina E e pode ser tomado com segurança. E o pólen? As alergias? Não tem qualquer problema, pois os extratos de pólen utilizados na formulação do FEMAL foram especialmente tratados para eliminar os alergénios e os riscos de reacções alérgicas. Pessoas que sofram de alergia ao pólen podem tomar FEMAL.

 

Vou deixar-vos aqui um testemunho da Dra. Conceição Telhado, médica e coordenadora do serviço de Ginecologia - Obatetrícia do Hospital Cuf Descobertas:

 

"Na minha prática clínica, FEMAL revela-se uma boa opção terapêutica para muitas mulheres. Num estudo realizado com mulheres sintomáticas 93,5% consideraram o produto eficaz; 77,55% aceitaram continuar o tratamento após 23 meses e 98% acharam que tinha boa tolerância.

Os resultados terapêuticos não são imediatos, embora variem de mulher para mulher. Pelo que observo, em algumas mulheres são sentidos ao fim do primeiro mês e noutras ao fim do segundo mês de tratamento, daí recomendar sempre um mínimo de 2 meses para avaliação do resultado. Como o perfil de segurança do produto é extremamente elevado, a terapêutica pode ser mantida durante o tempo que for necessário com total segurança".

 

Para as minhas amigas (da minha idade) e para as leitoras do blog que estão nesta fase, aqui fica esta dica de farmacêutica...

image.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:53

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog