Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Botox pode aliviar a dor neuropática

por dicasdefarmaceutica, em 29.03.16

image.jpeg

Botox é a marca registada nos EUA para comercialização da toxina botulínica tipo A, utilizada para fins estéticos.

A toxina botulínica deriva da bactéria Clostridium botulinum, responsável pelo envenenamento alimentar conhecido como botulismo, o qual causa paralisia muscular, podendo levar à morte por paragem respiratória.

 

Uma hiperatividade dos músculos a nível da face, fazem com que apareçam as chamadas rugas de expressão e os "pés de galinha". Com a idade e com a consequente redução de elastina e colagénio da pele, essas rugas ficam cada vez mais aparentes e permanentes. O que o famoso Botox (ou outra toxina bolulínica) faz, é a inativação desses músculos, atenuando as "aborrecidas" rugas.

 

Além dos fins estéticos, a toxina botulínica também tem sido utilizada para fins terapêuticos, nomeadamente:

- No tratamento das enxaquecas.

- No alívio dos tiques nervosos, como piscar o olho (blefaroespasmo) ou puxar a boca excessivamente.

- No tratamento da hiperidrose (excesso de sudação) das axilas, face, mãos e pés.

- No alívio de espasmos musculares.

 

Um novo estudo recentemente publicado no jornal Lancet Neurology, revelou que fazer injeções de botox de forma contínua e repetida, também ajuda a combater a dor neuropática, reduzindo-a.

A dor neuropática é um tipo de sensação dolorosa que ocorre numa ou mais partes do corpo e é associada a doenças que afetam o Sistema Nervoso Central. Trata-se de uma dor que pode ser bastante incapacitante e que o doente descreve muitas vezes como "não saber bem onde dói, mas que dói dói, e muito..."

 

Este estudo é muito importante porque existem poucos tratamentos efetivos para a dor neuropática, que não sejam acompanhados de grandes efeitos secundários.

Além disso, uma das vantagens do uso da toxina botulínica, é a consequente redução do uso de analgésicos.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:28

É Páscoa...afinal o chocolate até faz bem!

por dicasdefarmaceutica, em 25.03.16

image.jpeg

 

Associamos sempre a Páscoa às amêndoas e quase todos preferimos as de chocolate, verdade? Parece que afinal não fazem assim tão mal e, se as soubermos escolher, até podem ser benéficas para a saúde.

 

Sabia que comer chocolate melhora as funções cerebrais a nível cognitivo e até pode proteger o cérebro contra os efeitos nocivos do envelhecimento?

 

E sabia que o chocolate também faz bem ao coração? Devido aos seus antioxidantes, facilita a circulação sanguínea e ajuda a controlar a pressão arterial.

 

E aquela sensação de bem estar, após trincar um quadradinho de chocolate? Isto acontece porque o chocolate ajuda na libertação da hormona serotonina.

 

Os responsáveis por estes efeitos benéficos do chocolate são os flavonóides encontrados no cacau e é por isso que nem todos os chocolates são iguais:

 

Chocolate branco - não tem cacau e tem mais açúcar e gordura.

Chocolate de leite - é o mais comum e tem alguma quantidade de cacau, leite e açúcar.

Chocolate meio amargo - é o que tem 40 a 55% de cacau, pouca quantidade de manteiga de cacau e açúcar.

Chocolate preto ou amargo - é o que tem mais cacau, entre 60 a 85%, e menos açúcar e gordura.

 

Devemos optar por comer chocolate preto, já que é este que tem maior quantidade de flavonóides. E, já agora, também não convém comer uma tablete inteira ou um pacote de amêndoas de uma só vez...

 

O chocolate preto é melhor para a saúde e para a linha, por isso, quando for às amêndoas de chocolate, opte pelas mais escurinhas...

 

image.jpeg

 

 BOA PÁSCOA!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:09

Dia Mundial da Tuberculose

por dicasdefarmaceutica, em 24.03.16

image.jpeg

O Dia Mundial da Tuberculose celebra-se a 24 de março porque foi nesta data, mas em 1882, que Robert Koch anunciou a descoberta da causa da tuberculose: o Mycobacterium tuberculosis, mais conhecido por bacilo de Koch.

 

No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Tuberculose, a Associação Nacional de Tuberculose e Doenças Respiratórias (ANTDR) desenvolveu durante esta semana um conjunto de ações junto da sociedade civil, com o objetivo de sensibilizar para os fatores de risco e prevenção desta doença.

image.jpeg

A cada dia morrem 3 pessoas vítimas de tuberculose e outras 17 adoecem, em todo o mundo. Em Portugal, apesar do número de casos ter vindo a diminuir a cada ano, é nas cidades de Lisboa e Porto que a incidência de casos com tuberculose é mais elevada.

 

É necessário continuar a alertar a população para esta doença, considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma emergência mundial. Reforçar a prevenção, alertando para os principais fatores de risco é o principal objetivo das ações desenvolvidas nestes dias.

 

Qualquer pessoa está em risco de ser contagiada. A ideia de que a tuberculose só afeta os mais desfavorecidos e alguns grupos de risco, como toxicodependentes, alcoólicos ou doentes com SIDA, está errada. Todos devemos estar alerta para os principais sintomas:

- Cansaço

- Suores noturnos

- Tosse persistente com espetoração

- Febre baixa

Os sintomas da tuberculose confundem-se facilmente com os sinais de alerta de outras patologias, o que pode constituir a explicação para o diagnóstico tardio e o aparecimento de complicações. 

Pessoas mais vulneráveis, com o sistema imunitário mais "em baixo", têm maior risco de contrair a doença, daí a importância do sistema integrado de saúde na deteção precoce da tuberculose e no seguimento do tratamento prescrito.

 

Pois é, a boa notícia é que a tuberculose é curável se o doente seguir o tratamento adequado, durante o tempo recomendado (normalmente 6 meses). Por se tratar de um tatamento longo, este tende a ser interrompido, o que pode levar às temíveis multirresistências.

 

A luta contra o tabagismo está sempre presente quando se fala de tuberculose, pois está provado que o tabaco é um fator que poderá levar a um aumento da incidência da doença.

 

A tuberculose não apareceu há meia dúzia de anos; é uma doença já bem "velhinha" que continua a preocupar-nos na atualidade e que deve continuar a preocupar os governantes, para que os números de doentes continuem a baixar, até podermos dizer que a doença foi erradicada.

 

Aqui ficam duas imagens de arquivo, retiradas do museu da ANF do Porto:

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

image.jpeg

 

"A nanotecnologia é a engenharia das coisas extremamente pequenas, que visa a concepção, construção e manipulação de sistemas cujas unidades fundamentais têm dimensões da ordem de 1 a 100 nanómetro. Um nanómetro (nm) é igual a 10-9 m, ou seja, cerca de 100 000 vezes mais pequeno do que a espessura de um cabelo (0,1 mm) e cerca de dez vezes o tamanho de um átomo de hidrogénio (0,1 nm). A nanotecnologia é actualmente uma área interdisciplinar cobrindo diversos tópicos e com aplicações em muitos domínios, tais como os produtos de consumo (roupas, alimentos, cosméticos), o ambiente, a energia, a electrónica e a medicina."

 

Há uns anos atrás, achei estranho que alguém fosse tirar uma licenciatura em nanotecnologia mas, na realidade, nesta fase de "turbilhão" tecnológico em que nos encontramos e dadas as suas inúmeras utilizações, trata-se de uma licenciatura que faz todo o sentido e que ainda vai dar muito que falar.

Claro que falo especificamente da nanomedicina e da sua aplicação no combate às doenças cancerígenas, nomeadamente no tratamento das mesmas.

 

Recentemente, investigadores do Centro de investigação norte-americano Houston Methodist Research Institute, mostraram com entusiasmo, os resultados obtidos em laboratório, utilizando ratinhos, de um estudo que teve a nanotecnologia como base.

Pegando num grupo de ratinhos com cancro do pulmão metastático em fase terminal, metade foram submetidos ao tratamento e a outra metade seguiu a medicação convencional. Estes últimos morreram e os outros permaneceram vivos durante mais oito meses, o que em termos humanos representaria mais 24 anos de vida.

 

Estes investigadores inventaram um método que permite que as nanopartículas penetrem dentro do cancro e libertem o medicamento nas células. O medicamento em causa é conduzido por um equipamento nanométrico, podendo atingir células cancerosas com uma precisão que não existe na quimioterapia e na radioterapia.

De uma forma simples, o método passa por camuflar uma substância (neste caso, a doxorrubicina), em cápsulas minúsculas de silicone. O silicone “esconde” o medicamento do cancro, permitindo-lhe chegar às células. Uma vez alcançadas as células, a cápsula rebenta e a droga medicinal invade a célula “má” e mata-a.

 

Dito assim, parece uma coisa muito simples, contudo, ainda faltam muitas etapas para comprovar que tal vai resultar em pleno em humanos e na luta contra o cancro.

Uma coisa é certa, estamos cada vez mais perto de descobrir a forma mais eficaz de "matar" esta doença.

 

 

 

Fonte: "Nature Technology"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:01

Tudo o que necessita para uma boa noite de sono

por dicasdefarmaceutica, em 20.03.16

 

image.jpeg

 

No seguimento do último post, falo-vos hoje de uma curiosidade que está presente no Hotel Crowne Plaza, no Porto e que tem a ver com a preocupação de proporcionar aos hóspedes do hotel uma noite de sono tranquila.

Parece que os responsáveis por esta cadeia sabem como é importante uma noite de sono revigorante, tanto para quem passeia, como para quem deve ir trabalhar no dia seguinte com a sensação de uma noite bem dormida.

 

Em todos os quartos, os hóspedes encontram um kit de aromaterapia composto por dois produtos exclusivos da linha "This Works": um spray para pulverizar a almofada e um roll-on para aplicar nos pulsos.

 

image.jpeg

 

A aromaterapia é um complemento calmante para aliviar a tensão, proporcionar relaxamento e ajudar no sono, funcionando já como uma terapêutica complementar para aliviar a tensão e proporcionar relaxamento.

Não me tinha lembrado que, provavelmente, um travesseiro aromatizado pode ser o suficiente para criar esse ambiente relaxante durante o sono. Vou experimentar...

 

Está ainda disponível nos quartos do hotel, uma brochura com dicas e conselhos para dormir melhor do Dr. Chris Idzikowski (ex-presidente da Sociedade Britânica do Sono). Entre as principais sugestões, estão o exercício físico, alimentação, luz ambiente, respiração, recomendação para não usar tecnologias na cama e terapias aromáticas.

 

image.jpeg

 

No site do hotel é possível ainda descarregar um podcast do Dr. Chris Idzikowski com músicas relaxantes e dicas para dormir melhor.

 

Boa noite e durmam bem!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:59

Afinal o que é a Apneia do sono?

por dicasdefarmaceutica, em 18.03.16

image.jpeg

 

O que é a Apneia do sono? Parece que nunca se ouviu falar tanto dela como nestes últimos tempos e, sabem porquê? Porque há cada vez mais estudos que demonstram que, dormir mal, pode causar estragos em quase todas as partes do corpo. Um dos grandes distúrbios do sono é a Apneia, também conhecida por Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS).

 

Segundo a American Academy of Sleep Medicine (AASM), a Apneia é definida como "uma condição clínica caracterizada por episódios repetitivos de obstrução da via aérea superior durante o sono, resultando frequentemente em dessaturação de oxigénio e microdespertares. Estão identificados vários eventos respiratórios na SAOS, sendo os mais comuns a apneia obstrutiva, a hipopneia e o RERA (respiratory effort-related arousal - em português "Aumento da Resistência das Vias Aéreas Superiores"). A actualização mais recente do Manual of the Scoring of Sleep and Associated Events da AASM, define a apneia obstrutiva como uma redução de 90% do fluxo aéreo, durante pelo menos dez segundos, com o esforço respiratório mantido ou aumentado."

 

Isto quer dizer que quando há Apneia durante o sono, as vias aéreas ficam obstruídas, originando pausas respiratórias de no mínimo dez segundos. Isto acontece porque, enquanto o indivíduo dorme, os músculos que mantêm as vias aéreas abertas, relaxam.

image.jpeg

Cada vez que a respiração é interrompida, a oxigenação do sangue diminui e o coração bate mais intensamente para tentar garantir a distribuição de oxigénio para todo o corpo.

 

Principais sintomas da Apneia:

- Roncar intensamente, com pausas

- Sono agitado, acompanhado de transpiração

- Sonolência durante o dia

- Dificuldade de concentração

- Irritabilidade, ansiedade ou depressão

- Perda de interesse sexual

- Dor de cabeça matinal

- Hipertensão Arterial

- Arritmias cardíacas

 

Se achar que dorme mal e se apresentar alguns destes sintomas, é melhor falar com o médico para fazer o despiste de alguma anomalia durante o sono, que pode ser Apneia ou outra.

 

Atenção às crianças! Muitas vezes, aquilo que chamam de hiperatividade ou de falta concentração, pode estar relacionada com algum transtorno durante o sono.

 

Quando a Apneia é diagnosticada, existem várias formas de a "combater" que podem ir, desde a simples perda de peso, até à utilização de descongestionantes nasais, de dispositivos (CPAP*) durante o sono ou mesmo à cirurgia.

 

Eu fiz um estudo aprofundado do sono porque dormia mal e sofria de taquicardia, sem qualquer razão aparente, perante os check ups habituais.

E sabem o que é que eu tenho? Tenho Apneia de sono de posição, ou seja, tenho Apneia quando estou a dormir de barriga virada para cima.

O mais estranho foi o "remédio" receitado pelo médico para este mal: colocar uma bola de ténis no pijama, presa na altura das costas. Pensei que estava a brincar comigo, mas era mesmo verdade. E assim foi, após várias tentativas, lá consegui agarrar a tal bola de ténis num bolso improvisado na parte de trás do pijama e dormi assim durante algum tempo. Habituei-me a dormir sempre de lado e melhorei, por isso, tirei a bola. 

Eu pensava que não me virava e que dormia sempre de lado, mas não é bem assim. E agora, que já não uso a bola há algum tempo, estou outra vez a dormir pior...vou voltar à bola de ténis durante umas noites...como vêem, nem todos os tratamentos são caros e sofisticados.

 

Hoje, Dia Mundial do Sono, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia, preocupada também com o sono dos portugueses, lançou uma campanha:

image.jpeg

 

Tratem da qualidade do vosso sono! Juntamente com uma alimentação cuidada e com exercício físico, um sono de qualidade é o terceiro pilar (mas não menos importante...) para prevenir doenças e manter uma vida saudável.

Bons sonhos!

 

 

image.jpeg

*O CPAP Nasal "é um aparelho que produz uma pressão constante de ar que atravessa as vias respiratórias, impedindo, assim, que a apneia ocorra. Para isso, o indivíduo deve aplicar uma máscara no nariz durante a noite, que permite que a pessoa respire normalmente sem que o sono seja alterado".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:34

Feiras da Saúde com Rastreios gratuitos

por dicasdefarmaceutica, em 17.03.16

image.jpeg

São várias as iniciativas de Norte a Sul do país, no sentido da prevenção e na adoção de hábitos de vida saudáveis. 

Pequenas feiras, aldeias improvisadas, workshops e outras iniciativas, aliam no mesmo espaço, o bem-estar físico, a promoção de hábitos alimentares saudáveis e o rastreio de várias doenças, tudo isto feito de uma forma gratuita.

Hoje falo-vos de dois exemplos daquilo que acabei de referir, os quais vão ter lugar nos próximos dias, um em Ovar e outro em Leiria.

image.png

Esta Aldeia da Saúde vai na sua VI edição e é uma iniciativa da Região de Leiria. É uma aldeia onde cada visitante pode avaliar o seu estado de saúde.

Vai decorrer no Largo do Papa nos dias 18, 19 e 20 de março com rastreios, avaliações e workshops gratuitos para todos os visitantes.

 

A Farmácia Holon Leiria vai fazer parte desta aldeia, disponibilizando aos visitantes vários rastreios, nomeadamente:

- Espirometrias

- Rastreio cancro colorretal

- Diagnóstico à pele

- Glicémia

- Medição de Pressão Arterial

- Avaliação de Índice de Massa Corporal (IMC)

 

Esta Aldeia da Saúde tem ainda agendadas as seguintes iniciativas:

6ª feira (18/03) das15h00 às 20h00 – Curso Dinamização de treinos de Suporte Básico de Vida
Sábado (19/03) das 10h00 às 20h00 – Workshop "Pais positivos... filhos felizes!"
Domingo (20/03) das 10h00 às 18h00 - Caminhada/Corrida 10 Kms
 

 

image.png

Durante o Torneio Internacional de Voleivol de Esmoriz, vai ter lugar, de 22 a 25 de março, entre as 16 e as 22 horas, a Feira da Saúde de Ovar.

Trata-se de uma iniciativa da Farmácia Holon Esmoriz e do Esmoriz Ginásio Clube.

 

Durante estes dias, atletas, familiares e todos os visitantes deste torneio, poderão fazer check ups gratuitos nas seguintes áreas:

- Dermofarmácia, no dia 22/03

- Nutição, nos dias 23 e 25/03

- Diabetes, podologia e pé diabético, no dia 24/03

 

Sabendo nós que em Portugal grande parte dos portugueses tem um nível de literacia em saúde insuficiente, todas estas iniciativas são de aplaudir e é por isso que gosto sempre se as divulgar neste espaço. Há sempre um familiar ou um amigo a quem podemos aconselhar esta ou aquela feira, como "suplemento de saúde" para o fim de semana ou para um final de dia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:27

O perigo das Apps da Saúde

por dicasdefarmaceutica, em 14.03.16

image.jpeg

 

Já falei aqui várias vezes de Apps úteis na área da saúde, nomeadamente naquelas que lembram a hora de tomar a medicação, ou naquelas que lembram que está na hora de beber mais um copo de água, ou mesmo nas que ajudam ao não esquecimento da toma da pílula.

 

Quando a palavra-chave é "Prevenção" as Apps são muito úteis e ajudam todos, utentes e profissionais de saúde e bem-estar. 

Acho que posso mesmo afirmar que a grande maioria das Apps são inofensivas, visando sobretudo a motivação de quem as utiliza para hábitos de vida mais saudáveis.

 

O problema é que, das milhares de Apps da área da saúde (sim, são milhares...), algumas não têm qualquer controle e a segurança da informação é, muitas vezes, duvidosa.

Quando uma App promete ajuda num diagnóstico médico ou aconselha este ou aquele tratamento, o melhor é mesmo desconfiarmos e aconselharmo-nos com um profissional de saúde.

 

Enquanto que em Inglaterra e nos Estados Unidos existe regulação das Apps da Saúde, em Portugal e na grande maioria disse países europeus, isso ainda não existe e esta dita "medicina digital" não está fácil de parar.

 

É bom que existam Apps da Saúde, não sou de todo contra o seu uso mas, além de terem que ser reguladas, devem funcionar, sobretudo, como aliadas entre os vários profissionais de saúde e o utilizador da App.

 

Li hoje um artigo (ver AQUI) que referia que existem Apps que, após "analisarem" a tosse do utilizador, aconselham o xarope mais adequado. O que é isto? Vamos parar para pensar...um tratamento, mesmo de uma tosse, não pode ser "receitado" por uma App.

 

Já se fala de sensores que viajam no sangue e percorrem todos os recantos do corpo transmitindo para o smartphone alertas de cancro; outros controlam a exposição do organismo a radiações, poluição e pesticidas nos alimentos. Parece que estas são algumas das sofisticadas Apps que provavelmente vão estar acessíveis ao cidadão comum em 2025.

 

Por favor, senhores que "mandam" nesta área da saúde, Srs. ministros, Infarmed, arranjem com urgência métodos de regulação das Apps da saúde!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:29

image.jpeg

A Meningite B é uma doença rara, mas grave, sobretudo nas crianças. Sabe-se que entre 5 a 14% dos casos podem ser fatais e entre 11 e 19% sobrevivem com alguma sequela de saúde a longo prazo, nomeadamente problemas neurológicos, perda de audição, cicatrizes cutâneas ou mesmo amputações.

O grupo mais afetado é o das crianças até 1 ano de idade, logo seguido de crianças até aos 4 anos.

 

Desde Julho de 2014 está disponível uma vacina para a Meningite B, com o nome comercial Bexserol. Desde então, muitos pediatras têm aconselhado a sua toma, apesar de não estar incluída no Plano Nacional de Vacinação (PNV) e ser muito dispendiosa (cerca de 98€ cada dose).

 

O plano para esta vacina é o seguinte:

image.jpeg

À pergunta feita sobre se se deve esperar para que a vacina faça parte do PNV, o conhecido pediatra Mário Cordeiro responde: "A vacina anti-meningococo B é provadamente eficaz e segura, caso contrário não teria sido autorizada pelas agências internacionais, europeias e pelo INFARMED. Esperar pode-se esperar, mas, que eu saiba, as vacinas não matam, as doenças sim. Enquanto se espera o meningococo não fica parado. Aliás, a ‘moda anti-vacina’, baseada em que ‘não são naturais’ ou que são uma conspiração das multinacionais é totalmente aberrante: milhões de vidas foram salvas devido às vacinas. Aliás, todos os que morreram e morrem por tuberculose ou sarampo ou meningites bacterianas gostariam de ter tido uma vacina que os salvasse.”

 

Mesmo a propósito, e foi mesmo por isso que me lembrei de fazer este post, no Reino Unido, uma petição para a inclusão desta vacina no plano de saúde para todas as crianças, bateu todos os recordes de assinaturas (617,5 mil), após a morte de uma menina de 2 anos.

No Reino Unido, a vacina contra a Meningite B está disponível no serviço público desde setembro de 2015, mas só para bebés com menos de 1 ano de idade.

 

A mãe da pequena Faye apoiou esta campanha, lançada em outubro, ao compartilhar uma imagem de sua filha pouco antes de sua morte em 14 de fevereiro. A menina não resistiu após 11 dias lutando contra a infecção.

 

image.png

Aqui fica mais um alerta para aqueles pais que insistem na não vacinação das suas crianças!

 

Para quando a inclusão de mais esta vacina no Plano Nacional de Vacinação em Portugal?

Será preciso termos sempre que falar em dinheiro para causas tão importantes como esta?

Isto sim, são prioridades: não deixar partir crianças que poderiam ter sido vacinadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:14

O "natural" pode fazer muito mal...

por dicasdefarmaceutica, em 07.03.16

 

image.jpeg

 

Hoje li um artigo no observador que tenho que partilhar convosco porque,apesar de não concordar com tudo o que lá vem escrito, é um assunto demasiado importante e actual:"Suplementos alimentares. Será que o natural faz sempre bem?"

 

Já repararam na quantidade de artigos que vêm todos os dias na comunicação social sobre produtos naturais? E a quantidade de marcas que apareceram nos últimos dois anos nas prateleiras dos supermercados? Existem produtos naturais, ditos "milagrosos" para tudo: para emagrecer, para a ansiedade, para problemas renais, para diabetes, para o colesterol, enfim, para todas as doenças que preocupam o dia-a-dia de tantas famílias.

 

Tomar alguns suplementos em determinadas situações é benéfico para a saúde e pode ajudar na prevenção ou mesmo na cura de algumas patologias. O que faz mal é a toma indiscriminada de suplementos alimentares, receitados pelo "vizinho" (com muito boas intenções...) e comprado sem qualquer aconselhamento, em qualquer lugar.

 

Claro que o efeito será o mesmo se o mesmo suplemento for comprado na ervanária, no supermercado, na parafarmácia, na farmácia ou mesmo através da televisão ou da internet. A diferença é que na farmácia, o farmacêutico pode aconselhar, pode prevenir determinadas situações, conhecendo muitas vezes os utentes, sobretudo aqueles para os quais os suplementos podem constituir maior perigo, como sejam os doentes polimedicados.

 

Sabia que o "tão na moda" Aloé vera pode alimentar o desenvolvimento de tumores? E que o Ginseng pode aumentar a incidência de dores musculares, quando utilizado ao mesmo tempo que os medicamentos para o colesterol? Então e a "inofensiva" camomila, que pode interagir com os anticoagulantes orais e provocar hemorragias ou nódoas negras?

Isto são só alguns exemplos; dêem uma "vista de olhos" neste quadro publicado no "Observador", cuja fonte é do "Observatório das interações planta-medicamento da Universidade de Coimbra":

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 Estejam atentos aos perigos que se escondem atrás dos produtos naturais! Façam perguntas, questionem os prós e os contras da toma de alguns deles, mesmo os que parecem mais inofensivos, como os "cházinhos", que parecem só água e que, segundo dizem, "não fazem bem nem fazem mal".  

 

O perigo está também na falta de informação do público em geral e na falta de formação de quem vende estes produtos. O próprio farmacêutico não estudou muitas destas interações na universidade; a diferença é que questiona, que conhece o corpo humano, as doenças e os fármacos que os doentes estão a tomar.

Na dúvida, peça sempre ajuda ao seu farmacêutico!

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Março 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog