Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dia Nacional da Natalidade

por dicasdefarmaceutica, em 09.09.15

image.jpg

Comemora-se hoje o Dia Nacional da Natalidade e podemos começar pelas boas notícias: pela primeira vez em quatro anos, Portugal regista um aumento da Natalidade. Nasceram mais 1500 bebés nos primeiros sete meses de 2015, em relação ao período homólogo do ano passado.

 

Vou aproveitar este dia para falar da instituição que mais contribuiu para que ele existisse. Trata-se de "Barrigas de Amor, uma iniciativa que nasceu da convicção de que é necessário colocar o tema da Natalidade na agenda, apostar em formação para a parentalidade e homenagear a família".

Convido-os a visitar AQUI o respectivo site.

image.jpg

 

Dou-vos também a conhecer um espaço que gosto muito, da responsabilidade da minha amiga Joana Freitas, chamado D' Barriga, que "é a âncora que todos os que querem constituir família procuram". Este espaço nasceu da necessidade de responder a todos os "porquês" que a Joana fez na altura de ser Mãe.

Visitem AQUI o site D' Barriga e deliciem-se com as novidades...

image.jpg

E agora, aproveitem esta pausa e leiam um artigo que saíu no jornal "Sol", com o tema "Natalidade na ordem do dia", da responsabilidade da Professora Lina Lopes:

 

 

"Em Portugal, o Índice Sintético de Fecundidade (ISF) desceu em 2013 para um valor alarmante de 1,21. Esta medida, que regista o número médio de nados vivos por mulher em idade fértil, encontra-se muito abaixo do referencial de 2,1 que permite a renovação de gerações.

 

Para perceber quão preocupante é aquele valor, notemos que a projecção mais pessimista do INE sobre a evolução da população, que aponta para apenas 6,3 milhões de pessoas no ano 2060, parte de um ISF mais optimista (1,3) do que o verificado em 2013. Quer dizer que, se nada fizermos, em menos de 50 anos podemos perder mais de 40% da população. Será possível?

 

Se estamos, e bem, preocupados com a competitividade da economia e com a sustentabilidade do Estado Social, devíamos estar ainda mais preocupados com a demografia. E a propósito deste assunto, existem na Europa casos de sucesso que nos podem servir de referência. Vários estados europeus gozam de um ISF de 2,1 ou próximo desse valor. Valor que, dada a desertificação de extensos territórios do país, deveria ser para nós apenas um mínimo a alcançar.

 

Duas observações emergem ao considerar estes casos. Por um lado, a natalidade não é uma questão de dinheiro nem de moralismos redutores e, por outro, a natalidade está intimamente relacionada com a organização do mercado de trabalho. Não é por acaso que os estudos sobre felicidade no mundo do trabalho dizem que existem muitas formas de nos sentirmos felizes para além do dinheiro: ambiente no trabalho, apoio à formação, segurança, conciliação do trabalho com a vida familiar.

 

No centro da natalidade está a mulher em idade fértil, a futura mãe, esteja ela no seio de uma família ou não. Assim, o financiamento pontual das famílias ou a associação da natalidade a um determinado tipo de família não solucionam o problema. Trata-se de um problema que não é conjuntural, mas que esbarra em custos e circunstâncias persistentes do contexto social e laboral.

 

Em conclusão, as mulheres têm de sentir-se confiantes e livres para terem filhos. Para tal têm de ser apoiadas de forma estrutural e não apenas em determinado momento ou durante um curto intervalo de tempo. Decisões eficazes neste domínio terão de resultar de consensos que abranjam tanto o sistema fiscal como a relação entre o mercado de trabalho, a vida familiar e particular das pessoas que têm crianças a seu cargo.

 

O problema da natalidade está na ordem do dia. Não o podemos ignorar."

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:35

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog