Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




"Diarreia do Viajante" - O que fazer?

por dicasdefarmaceutica, em 05.07.14

No post de ontem VER AQUI, abordei este assunto e a melhor forma de prevenir a chamada "diarreia do viajante".

 

Hoje vamos ver o que fazer se ela aparecer, apesar dos cuidados preventivos. O que levar para viagem em termos de medicamentos para a diarreia?

 

A diarreia do viajante é a doença mais comum dos viajantes, afetando entre 30 a 70% dos viajantes do mundo. É mais frequente em viagens para países de climas quentes e húmidos.

 

"Quando há uma perturbação do equilíbrio natural do sistema digestivo, ocorre uma aceleração dos movimentos intestinais. Consequentemente, a absorção natural da água e dos alimentos ingeridos é alterada, originando dejeções frequentes de fezes moles e aquosas, condição designada por diarreia."

 

Na grande maioria das vezes, a ingestão abundante de água mineral é suficiente para assegurar uma boa hidratação, em caso de diarreia. Uma solução de re-hidratação oral (composta de açúcar e sais) é recomendável quando a perda de líquidos é abundante, sobretudo quando se trata de crianças e idosos. Estas soluções existem já preparadas (Ex: Miltina), mas em saquetas para dissolver em água (ex: Redrate ou Diuralyte) é mais fácil de transportar e funciona muito bem, para além de existirem vários sabores, o que facilita a toma.

 

Se a diarreia persistir, a toma de Loperamida (Imodium ou genérico) é o mais utilizado. Toma-se após cada dejeção e, normalmente, em 24 horas resolve-se o problema. Claro que, a hidratação oral deverá continuar. A toma de Loperamida é contra-indicada se a pessoa tem alergia, se sangra das fezes ou se tem febre alta. Não deve ser utilizada em crianças com idade inferior a 5 anos. O seu uso deve ser limitado a 48 horas.

Eu prefiro o Imodium Rapid, orodespersível, que se dissolve na boca, tornando-se muito rápido e eficaz.

 

Deverá também utilizar-se o "velhinho" ultra-levure (UL-250), em cápsulas ou saquetas, como normalizador da flora intestinal.

 

Em caso de doentes com sinais e sintomas de desidratação moderada a grave (pulso rápido, olhos encovados, ausência de lágrimas, urina reduzida e concentrada, perda de peso, febre, vómitos e diarreia persistente), consultar o médico.

Por vezes, é necessário recorrer ao antibiótico.

 

Resumindo, na sua mala de viajante, sobretudo se for para um país tropical, não se esqueça de levar:

- Solução de re-hidratação oral

- Loperamida

- UL-250

publicado às 22:10

Dicas para viagem: Prevenir a "Diarreia do viajante"

por dicasdefarmaceutica, em 04.07.14

Uns dias de diarreia podem comprometer umas férias de sucesso.

Nada há nada mais desagradável do que fazer "visitas" a todas as casas-de-banho dos locais por onde passamos durante uma viagem. E, muitas vezes, que condições...

 

É importante saber como prevenir a chamada "diarreia do viajante". Tendo em conta que a maior causa desta sintomatologia é a contaminação dos alimentos e águas, a chave para a prevenção é educar as pessoas no sentido de evitarem os fatores de risco.

 

12 DICAS PARA O VIAJANTE: COMO EVITAR DIARREIAS

 

1 - Manter uma hidratação adequada, bebendo muitos líquidos. Se a sua urina escurecer, isso pode ser um indício de que necessita de mais líquidos.

 

2 - Ingerir apenas os alimentos frescos cozinhados.

 

3 - Beber apenas bebidas engarrafadas.

 

4 - Se beber café ou chá, deve ser quente (feito com água fervida).

 

5 - Enlatados ou garrafas molhadas, devem ser limpas e secas antes de serem abertas, sobretudo a zona que entrar em contato com a boca.

 

6 - Comer só os frutos que possam ser descascados. Por exemplo, morangos, framboesas e uvas não se devem comer. Uma atenção especial às melancias: muitas vezes, aumentam o seu peso (e consequentemente o seu valor) através da injeção de água que pode não ter sido purificada.

 

7 - Pão, compotas e geleias são considerados alimentos seguros.

 

8 - Evitar comer carne crua ou mal cozinhada e peixe cru.

 

9 - Evitar beber leite ou produtos lácteos não pasteurizados.

 

10 - Evitar comer sobremesas com cremes.

 

11 - Evitar os cubos de gelo.

 

12 - Se suar muito, deve comer um snack salgado, como batatas fritas ou nozes, uma ou duas vezes ao dia, acompanhado de muitos líquidos.

 

Mas se, apesar de todas as precauções, a diarreia chegar, o que fazer? Veja no post de amanhã!

publicado às 20:26

Comprimidos em jejum..."Casa de ferreiro, espeto de pau"

por dicasdefarmaceutica, em 03.07.14

Fui passar um fim-de-semana fora e apanhei o meu marido a tomar 2 comprimidos em jejum, que são para tomar depois da refeição. "É para ficar já despachado, antes de descer para o pequeno almoço", disse .

 

É mesmo: "casa de ferreiro, espeto de pau". Farto-me de "pregar" pelo bom uso dos medicamentos e, mesmo ao pé de mim, cá estão eles a fazer asneira...

 

Muitos medicamentos devem ser tomados com o estômago vazio porque necessitam do ambiente mais ácido do estômago para poderem ser absorvidos.

Outros, são melhor absorvidos na presença de alimentos, ou agridem menos o estômago, neste caso.

Outros ainda, não sofrem qualquer interferência na presença ou na ausência de alimentos.

 

Assim, o que é importante, é seguir "à risca" a forma como o médico disse para tomar o medicamento; se o médico não referiu nada, pergunte ao farmacêutico e, se ainda tiver dúvidas, consulte a bula do medicamento.

 

As atividades do organismo variam ao longo do dia de acordo com nosso relógio biológico, e cada medicamento é estudado minuciosamente em relação ao tempo que leva para ser absorvido, o tempo de duração do efeito e modo como é eliminado do corpo de acordo com essas atividades fisiológicas. Por isso, atrasar ou adiantar o horário do medicamento pode reduzir a eficiência e até mesmo provocar efeitos colaterais.

 

Assim, também para os meus familiares diretos, aqueles que vivem cá em casa, aqui fica um aviso:

 

RESPEITEM OS HORÁRIOS E AS INDICAÇÕES DADAS RELATIVAMENTE ÀS TOMAS DOS MEDICAMENTOS!

publicado às 21:13

Mãe, estou cheio de sangue...acho que é do nariz!

por dicasdefarmaceutica, em 02.07.14

Muitas vezes, sem razão aparente, as crianças sangram pelo nariz. Os pais ficam assustados e os mais pequenos também. Lembro-me bem de alguns destes episódios quando os meus filhos eram pequenos e, apesar de saber que não era grave, só sossegava quando o sangue parava de escorrer...

Normalmente, este tipo de hemorragia, que ocorre no meio de uma qualquer brincadeira, apesar de desconfortável, deve ser encarada sem grandes sustos.

 

O interior do nariz é revestido por pequenos vasos, muito frágeis e superficiais, que rompem com alguma facilidade, causando estas hemorragias tão comuns nas crianças.

 

Trata-se de hemorragias, normalmente acidentais, que resultam de uma queda ou de determinadas agressões a que o nariz está sujeito: coçar com força no interior, introduzir pequenos objetos, assoar constantemente, ar demasiado seco, constipações ou alergias.

 

Apesar de, na grande maioria das vezes, não ser grave, convém fazer com que a hemorragia páre.

 

O que fazer? 6 DICAS:

 

1 - Colocar a criança numa posição confortável, preferencialmente, sentada.

 

2 - Inclinar a criança ligeiramente para a frente. Manter a cabeça sempre acima da linha do coração.

 

3 - Nunca deitar a cabeça para trás (o sangue pode escorrer para a garganta e provocar o vómito).

 

4 - Não assoar. Limpar apenas com papel ou um pano.

 

5 - Apertar o dorso do nariz da criança, mesmo por baixo do osso (parte macia), utilizando o dedo polegar e o indicador durante 5 a 10 minutos, de modo a estancar a hemorragia. Se não resultar, voltar a insistir.

 

6 - Colocar uma compressa fria ou gelo no nariz (o frio diminui o fluxo de sangue).

 

Se a hemorragia não parar em 20 minutos, convém levar a criança ao médico; também o deverá fazer após uma pancada no nariz, pois poderá estar partido.

publicado às 20:27

Papoila para morfina já se colhe no Alentejo

por dicasdefarmaceutica, em 01.07.14

O Alentejo, na zona de Beja, foi a região escolhida pela empresa farmacêutica Macfarlan Smith para a colheita de papoilas, com o objetivo da produção de morfina, para fins medicinais.

Foi o calor e a luz do sol do Alentejo, juntamente com a água vinda da barragem do Alqueva e a forte capacidade dos agricultores que fizeram com que fosse esta a região escolhida.
Ocupam, ao todo, 800 hectares de cerca de 40 agricultores Alentejanos.

A Macfarlan Smith é uma empresa farmacêutica escocesa especializada na produção de alcalóides de ópio e outras drogas controladas. Foi em Março de 2013 que obtiveram a licença do Infarmed para plantar as papoilas.

Está em construção, nos arredores de Beja, uma fábrica para armazenar e fazer o processamento inicial das papoilas. Projeta-se já uma segunda fase da construção da fábrica, para todo o processo de extração e produção da morfina.

As perspectivas são muitas relativamente ao crescimento destas plantações no Alentejo. É um orgulho vermos esta região tornar-se mais rica com o trabalho, com o solo e com as características deste nosso clima e desta região em particular, é um grande exemplo a seguir...cada vez mais, temos que aproveitar os nossos recursos.

Parabéns a todos os que estão a fazer deste projeto um sucesso!

publicado às 19:38

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.

Pág. 3/3



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog