Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Adesivo pode ser alternativa à vacina da gripe

por dicasdefarmaceutica, em 01.07.17

image_2017-06-30_19-05-48.jpeg

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Georgia e da Universidade Emory, nos Estados Unidos, desenvolveram uma vacina contra a gripe em forma de adesivo com microagulhas.

Pressionando este adesivo sobre a pele, as microagulhas penetram, libertando os vírus inativados, que fazem parte do processo de imunização. O adesivo é aplicado na zona do pulso, durante 20 minutos. Foram feitos testes em 100 voluntários e a imunização funcionou, quando comparada com a vacina tradicional.

 

Quais as vantagens desta vacina da gripe em forma de adesivo?

- Sistema indolor (para quem não gosta de injeções...).

- Pode ser aplicada em qualquer lugar (casa, emprego, etc...).

- Não necessita conservação a baixa temperatura (frigorífico), o que é uma grande vantagem também no transporte e para os países menos desenvolvidos.

- O adesivo pode ir diretamente para o lixo, após o seu uso.

 

Contudo, 80% dos voluntários a quem foi testada a vacina, confirmaram que no local onde foi aplicado o adesivo, a pele ficou vermelha, com ligeira irritação e sentiram comichão durante alguns dias.

 

Os cientistas afirmaram que a vacina funciona, mas ainda serão necessários alguns testes clínicos para que seja aprovada e comece a ser uma alternativa à vacina da gripe atual, em forma de injeção. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:26

É difícil travar os vendedores de rua no Haiti

por dicasdefarmaceutica, em 27.06.17

image_2017-06-27_10-25-47.jpeg

 

Li recentemente um artigo na National Geografic e tenho que partilhar convosco. Fala dos vendedores de rua de medicamentos no Haiti, uma realidade que ninguém consegue travar. Já tinha ouvido falar disto, mas nunca tinha visto fotografias, e que fotografias!

Os fotógrafos Paolo Woods e Gabrielle Galimberti fizeram este trabalho fantástico com estes homens e mulheres a transportar verdadeiras "torres de medicamentos" de toda a espécie e de toda a qualidade.

Claro que esta é uma atividade ilegal, mas as leis raramente são aplicáveis neste país e o Ministério da Saúde Pública pouco pode fazer. Os vendedores de rua são a principal fonte de abastecimento de medicamentos para muitos habitantes do Haiti. 

Estes homens e mulheres vendem de tudo: medicamentos vindos da China, antibióticos "para todos os males", medicamentos falsificados, com o prazo de validade expirado, enfim, a inspeção do Infarmed não passa por aquelas zonas...

Apreciem bem as torres de medicamentos, feitas em pilhas unidas por tiras de borracha e os acessórios para a prática da modalidade! Não faltam as tesouras, para cortar os blisteres e vender à unidose, de forma a não haver desperdício. Será que há controle de temperatura e humidade?

Parece que vender não é a sua única prática; sabem de tudo e o "aconselhamento farmacêutico" também é a sua especialidade. Imaginem o perigo...

Deixo-vos com as fotografias, muito ilucidativas do que acabo de descrever. Parabéns aos fotógrafos! Parabéns à National Geografic por nos dar a conhecer esta realidade!

 

image_2017-06-27_10-41-06.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-07.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-08.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-10.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-12.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:43

"Farmácia" a transportar para uma viagem em segurança

por dicasdefarmaceutica, em 04.06.17

 

image_2017-04-13_11-06-54.jpeg

Estamos em Junho, saiu mais uma revista "Inominável" e com este número mais um artigo de "Dicas de Farmacêutica" que partilho aqui convosco. Aconselho-vos a dar uma olhadela nos restantes artigos da revista, pois vai valer a pena!

 

Já cheira a férias, por isso este artigo pretende ser uma ajuda para todos aqueles que estão quase a fazer as malas e a partir para mais uma aventura merecida, após um ano de trabalho.

Para a mala de viagem estar completa, não podem faltar os medicamentos pois, nunca se sabe o que pode acontecer, e esta medida pode prevenir muitos dissabores, que poderiam estragar esses dias tão esperados. Nalguns países, as farmácias são escassas, os medicamentos são outros e os cuidados básicos de saúde quase não existem, por isso, mais vale prevenir.

Vamos então às "listas da saúde" a transportar na mala de viagem.

 

Lista de Medicamentos:

- Analgésicos (para as dores) e antipiréticos (para a febre)

- Antigripal

- Gotas descongestionantes para o nariz (também vão dar jeito se a viagem for de avião)

- Medicamento para a diarreia

- Medicamento para a prisão de ventre

- Normalizador da flora intestinal

- Sais de re-hidratação oral

- Anti-histamínico (para as alergias)

- Pomada com antibiótico

- Pomada anti-fúngica

- Antiácidos (para a azia e indigestão)

- Antiespasmódico (para dor e desconforto abdominal)

- Comprimidos para o enjoo

- Antibiótico de largo espectro (pedir receita e aconselhar-se com o médico).

 

Outros:

- Repelente de insectos

- Protetor solar

- Pensos rápidos

- Solução desinfetante (pode ser em toalhetes)

- Ligadura elástica autoaderente

- Tampões para os ouvidos

- Preservativos

 

Além destas listas, deverão sempre incluir toda a medicação crónica para o período da viagem, seja ela de uma semana, um mês ou seis meses, pois os medicamentos diferem de país para país e o acesso aos mesmos também não é sempre o mesmo. Devem levar fotocópias das receitas médicas e/ou comprovativos médicos de todos os tratamentos que estão a fazer (com o nome completo do utente, nome genérico do medicamento, dosagens, preferencialmente escrito em inglês). Isto é uma regra crucial em muitos países, onde a entrada com alguns medicamentos pode ser dificultada.

 

Se necessita de transportar medicamentos injetáveis, como no caso de pessoas com diabetes que aplicam insulina, acondicione as agulhas em embalagens lacradas que deverão ser apresentadas à segurança do embarque juntamente com a receita, já que não são permitidos objetos perfuro-cortantes a bordo.

Não se esqueça que, na bagagem de mão (se a viagem for de avião) para transportar líquidos, o limite da embalagem é 100 ml.

Se utiliza algum medicamento que precisa ser conservado no frigorífico, deve solicitar previamente o apoio da companhia de aviação, já que não é permitido entrar no avião com gelo.

 

Muito importante também é verificarem quais as vacinas obrigatórias e as aconselhadas para cada país. Neste campo, acho importante e aconselho sempre uma ida à consulta do viajante. Paga-se, mas vem-se de lá com a certeza que se fez tudo certinho para partir em segurança.

 

Se fizer férias próximo de casa, o principal mesmo é não se esquecer dos cuidados a ter  com o sol e com as altas temperaturas. Aqui ficam algumas dicas importantes para este verão:

- Aumentar a ingestão de água. A hidratação é um cuidado básico durante todo o ano, mas com altas temperaturas, não pode mesmo ser esquecido.

- Nos períodos de maior calor, procurar permanecer em ambientes frescos e evitar atividades que envolvam maior esforço físico.

- Evitar a exposição direta ao sol entre as 11 e as 17 horas.

- Fora de casa, utilizar roupa que cubra a maior parte do corpo, chapéu de abas largas, óculos com proteção contra radiação UVA e UVB e protetor solar com SPF igual ou superior a 30. Em praias e piscinas, renovar a aplicação de protetor solar de 2 em 2 horas e após os banhos.

Lembre-se que o sol brilha em todos os lugares, não apenas na praia. Proteja-se!

 

Boas férias e boas viagens! 

 

image_2017-04-13_11-07-42.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:06

"Vencer a Asma antes que a Asma o vença a si"

por dicasdefarmaceutica, em 02.05.17

image_2017-05-02_15-01-19.jpeg

 

A asma é uma doença crónica, que provoca inflamação das vias aéreas dos pulmões, causando pieira, dispneia e tosse. Esta doença afeta pessoas de todas as idades, mas normalmente manifesta-se na infância. Existem 300 milhões de pessoas no mundo com asma e cerca de 1 milhão em Portugal.

Assinala-se hoje o Dia Mundial da Asma e o tema da campanha deste ano é "Vencer a Asma antes que a Asma o vença a si" (ver AQUI).

 

Apesar de ter uma taxa de mortalidade muito baixa, a asma tem uma taxa de internamento elevadíssima e isto acontece porque a grande maioria dos doentes não tem a asma controlada ou, muitas vezes, nem está diagnosticada. 

Quando não tratada, a asma pode colocar a vida dos doentes em risco. Por se tratar de uma doença crónica, o tratamento é sempre prolongado e os doentes, quando controlados, conseguem prevenir os sintomas e ter qualidade de vida. Isso só é possível se os tratamentos aconselhados pelo médico forem convenientemente feitos, seja a medicação preventiva, seja aquela que é feita durante as crises. 


Tratamento da Asma:

Tratamento Preventivo: são medicamentos que devem ser tomados pelos doentes mesmo quando se sentem bem, de acordo com as indicações do médico. Só assim conseguem passar sem sintomas.

Os corticoides inalados são os medicamentos mais eficazes na prevenção das crises de asma. Podem e devem por vezes associar-se a outros medicamentos, como os broncodilatadores beta-agonistas de longa duração, os antileucotrienos e nalguns casos os anti-histamínicos. 

Tratamento durante as crises: para um alívio rápido e eficaz dos sintomas, as recomendações recaem, normalmente, na utilização dos beta-agonistas de curta duração.

Se não melhorar, o doente deve dirigir-se ao centro de saúde ou ao hospital da área de residência.


Seja no tratamento preventivo ou naquele que só faz nas crises, o mais importante é seguir sempre as instruções do médico. 

 

No que se refere a esta doença, os farmacêuticos têm dado muita ajuda no acompanhamento dos doentes e tem sido feito um grande esforço na formação destes profissionais, nesta área. O farmacêutico deve ensinar o doente a melhor forma de controlar a sua asma. Como é que isso poderá ser feito?

- Cumprindo o tratamento diário, respeitando as doses e as frequências recomendadas. A utilização correta dos medicamentos preventivos é o primeiro passo para ter a asma controlada.

- Usando corretamente os inaladores. Uma técnica incorreta leva a que o medicamento se deposite na boca ou na garganta, não atingindo os brônquios e não tendo, por isso, o efeito pretendido. Isto é particularmente importante nas crianças, tendo que haver sempre a adaptação dos inaladores à idade das crianças.

- Conhecendo e evitando os fatores que provocam as suas crises.

- Recorrendo à consulta médica sempre que sentir que a sua asma não está controlada.

 

Lembre-se que controlar a Asma é possível. O lema é "vencer a Asma antes que a Asma o vença a si!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:09

image_2017-04-22_22-08-02.jpeg

 

Nasceu um novo site, muito útil na área da Saúde e dos medicamentos. Trata-se de um site de farmacêuticos, da responsabilidade da serFarma e chama-se MedicamentoCerto.pt

 

Este site permite aos utilizadores, obter de forma simples e rápida, conselhos para tratar pequenos problemas de saúde.

Agora que fazemos tanta coisa através da internet, também podemos recolher neste site, informação resumida sobre determinado problema de saúde, sua prevenção e tratamento. Podemos estar no escritório ou na praia e, no tablet ou smartphone, tirarmos alguma dúvida sobre determinada patologia ou sobre algum sintoma "de última hora". 

 

Convém salientar que o MedicamentoCerto.pt não tem como objetivo substituir consultas  ou intervir em problemas graves de saúde; pretende sim, ser mais uma ajuda de profissionais competentes, no aconselhamento de pequenos problemas nessa área. 

A procura de conselhos e informações sobre problemas de saúde na internet é uma constante e todos sabemos que, muitas vezes, não só são recolhidas informações erradas, como são tiradas conclusões, que podem agravar ainda mais determinado problema.

 

No site, os utilizadores escolhem de uma lista de sintomas aqueles que sofrem, introduzem os seus dados, género, idade, peso, medicamentos que estão a tomar e doenças crónicas que possam sofrer e de seguida é-lhes indicado um medicamento adequado a tomar. Nos casos em que os sintomas são de risco de um problema grave, o site avisa o utilizador para procurar ajuda de um profissional de Saúde.

 

Já sabe, se tem mais de 18 anos, tem AQUI mais uma ferramenta para ajudar a resolver os pequenos problemas de saúde que vão aparecendo e para o encaminhar para um profissional de saúde, quando é esse o caso.

image_2017-04-24_17-36-32.png

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:48

De passagem por Myanmar...

por dicasdefarmaceutica, em 22.02.17

image_2017-02-22_12-20-03.jpeg

 

Vim agora de uma viagem a Myanmar, antiga Birmânia e, como não poderia deixar de ser, a minha atenção para a parte dos medicamentos, faz parte de todas as viagens.

Logo no primeiro dia, de chegada à capital (Yangon), encontrei um verdadeiro "mercado de medicamentos". Dirigia-me para um dos famosos mercados asiáticos (mercado Bogyoke), quando tive que fazer uma paragem neste local que só vendia produtos de saúde e, posso garantir-vos, vendia mesmo de tudo e de todas as marcas, à verdadeira maneira asiática. Vamos às fotografias:

 

image_2017-02-22_12-27-28.jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-23.jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-25.jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-30 (1).jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-32.jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-33.jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-37.jpeg

 

image_2017-02-22_12-27-38.jpeg

 

Que tal? Acho que o Infarmed tinha muito que fazer para estas zonas...

Vejam só o material cirúrgico, há de tudo:

 

image_2017-02-22_12-33-29.jpeg

 

Pois é, não sei se são muito saudáveís, mas pareceu-me que são felizes. Deparei-me com um país fantástico e com um povo pronto para nos receber, sempre com um sorriso estampado no rosto.

 

Para não parecer muito tendenciosa e só falar em medicamentos, fiquem com estas duas imagens que captei por aquelas bandas, um pescador no Lago Inle e os famosos templos (mais de 3000) de Bagan:

 

image_2017-02-22_12-58-38.jpeg

 

image_2017-02-22_13-02-35.jpeg

 

Se forem viajar, consultem algumas dicas sobre o Kit de farmácia que devem levar! Consoante o destino, vão a uma consulta do viajante e façam todas as medidas preventivas aconselhadas! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:39

Ritalina, o "Comprimido Inteligente"

por dicasdefarmaceutica, em 20.02.17

image_2017-02-20_18-48-03.jpeg

 

Não ía falar sobre este assunto, mas noto agora alguns pais preocupados e a perguntarem qual a minha opinião, após as notícias que saíram nos últimos dias. Já abordei este tema AQUI no blog em maio do ano passado, pois é um assunto que me preocupa e acho que deve ser bem debatido, pois pode tornar-se, se já não o é, um grave problema de saúde pública.

 

Pois é, para mim não é novidade, mas os números chegaram e a venda do fármaco Cloridrato de Metilfenidato, mais conhecido por Ritalina, duplicou nos últimos sete anos.

Este fármaco é indicado para os Problemas de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA). Será que em sete anos duplicou o número de crianças com esta patologia? Permitam-me duvidar...

De qualquer forma, pelo que sei, estes problemas são facilmente diagnosticados pelos médicos e não posso acreditar que as crianças são "hipermedicadas à toa" ou por pressão dos papás. Confio nos médicos, mas acredito que há qualquer coisa de errado nesta "hiperatividade da Ritalina".

 

O meu conselho para os pais é: muita atenção e acompanhamento durante todas as fases de crescimento dos filhos! Não se esqueçam que as crianças não são todas iguais e não podem ser boas a tudo e a todas as disciplinas! Parece que, no mundo em que vivemos, vale tudo para que os meninos tenham bons resultados. Li num jornal qualquer que há turmas em que 80% dos alunos estão sob o efeito da Ritalina ou de outras substâncias. 

 

Em 2016 houve um ligeiro decréscimo na venda deste fármaco, mas não se iludam, pois  um outro medicamento para tratar a PHDA começou a ser comparticipado; chama-se Atomoxetina (Strattera) e não sei qual foi o aumento de vendas neste último ano, mas ele também anda por aí nalgumas casas.

 

Qual é a minha opinião?

1. Estes medicamentos estão no mercado e são seguros.

2. Temos que confiar nos médicos dos nossos filhos.

3. Temos que estar atentos e saber o que diz a bula do Metilfenidato (Ritalina): "este medicamento destina-se ao tratamento da perturbação de hiperatividade com défice de atenção, a partir dos seis anos, devendo ser utilizado unicamente após serem testados tratamentos que não envolvem medicamentos, tais como aconselhamento e terapia comportamental e que tenham sido insuficientes. A prescrição deve ser efetuada apenas por médicos especialistas em alterações do comportamento e deve ser utilizado como parte de um programa de tratamento que geralmente inclui terapia psicológica, terapia educacional e terapia social. O medicamento não deve ser tomado para sempre, devendo a terapêutica ser interrompida durante pelo menos um ano quando a toma ocorre há doze meses; nas crianças o tratamento deve ser interrompido durante as férias escolares."

4. Temos que aceitar os nossos filhos como são e não achar que, só porque são mais irrequietos e não estão atentos na sala de aula, já precisam de ser medicados.

5. Temos que questionar: precisará mesmo de tomar esta "droga"? Como será a dependência da mesma?

 

Há quem lhe chame o "comprimido inteligente", mas não deixem que os vossos filhos achem que só são inteligentes quando tomam o referido comprimido! Já vi crianças desesperadas porque o médico suspendeu a toma da Ritalina e já vi professores que não sabiam o que haviam de fazer perante o pedido de uma criança para adiar uma determinada avaliação, por esquecimento da toma do comprimidinho da manhã. Isto é real e é grave. Não sei quem, mas alguém tem que fazer alguma coisa para diminuir o número de crianças dependentes desta "droga".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:34

Amanhã, dê um medicamento a quem precisa!

por dicasdefarmaceutica, em 17.02.17

image_2017-02-17_17-12-50.png

A Jornada de Recolha de Medicamentos, principal iniciativa do Banco Farmacêutico, irá realizar-se amanhã, dia 18 de Fevereiro, entre as 9h00 e as 19h00 em 215 farmácias espalhadas pelo país.

 

Esta iniciativa tem como objetivo recolher medicamentos para auxiliar 100 instituições de solidariedade social.

 

As Farmácias aderentes terão um papel fundamental no desenvolvimento de toda esta iniciativa, uma vez que no dia da Jornada, recolherão medicamentos não sujeitos a receita médica e produtos de saúde para uma ou mais instituições de solidariedade social. Desta forma, a sua principal função será recolher o máximo número de medicamentos que sejam essenciais para ajudar cada uma das instituições (IPPS).

Após a Jornada, as doações serão entregues às instituições, no próprio dia ou durante a semana seguinte.

 

Além dos farmacêuticos, também os voluntários são fundamentais para ajudar nesta causa de recolha de medicamentos. Amanhã teremos cerca de 500 voluntários nas várias farmácias aderentes.

 

Importa referir que só podem ser doados medicamentos novos, seguros, de qualidade e que ainda não tenham estado fora do circuito do medicamento, ou seja, não poderão ser aceites medicamentos vindos de casa. Apesar da intenção de ajudar ser a melhor, não é permitido doar às instituições Meficamentos que já saíram da farmácia para a casa dos utentes, pois não poderemos garantir as condições de transporte e armazenamento dos mesmos.

 

Consulte AQUI a lista das farmácias aderentes a esta iniciativa e amanhã passe por uma delas é "Dê um Medicamento a Quem Precisa"!

 

image_2017-02-17_17-29-27.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:55

Infarmed alerta para o uso exagerado de Omeprazol

por dicasdefarmaceutica, em 19.01.17

image_2017-01-18_18-13-34.jpeg

O Omeprazol já foi tema de conversa aqui no blog várias vezes.

Em 2014 referi que "A utilização prolongada de Omeprazol pode ser prejudicial."Também neste ano, um artigo na revista científica da Associação de Médicos Americanos (JAMA), falava da associação deste medicamento à carência de Vitamina B12 nos doentes que faziam um uso prolongado do mesmo.

Em Setembro de 2016, voltei ao tema com números, pois "O consumo de Omeprazol subiu 120% em dez anos". Também em 2016, a Associação de Médicos Americanos  publica na sua edição JAMA Neurology on-line, um estudo que relaciona a toma prolongada de Omeprazol com o risco de demência em doentes idosos.

 

Apesar dos alertas, a utilização prolongada deste fármaco, sem indicação médica (MNSRM - Medicamento Não Sujeito a Receita Médica) continua, e Portugal é campeão de vendas. Em 2016, os portugueses compraram mais de 2,1 milhões de embalagens de Omeprazol.

Na sequência destes números, o Infarmed vai lançar já no mês de fevereiro, uma campanha de sensibilização que alerta para o uso exagerado do Omeprazol e para os riscos da automedicação.

 

Este fármaco pertence à classe dos inibidores da bomba de protões e tem como indicação clínica a úlcera gástrica e a doença do refluxo gastro esofágico. O seu uso exagerado deve-se sobretudo à sua utilização para situações de azia ou enfartamento, quando existem alternativas no mercado para esse fim.

 

Contudo, e penso que é importante referir, o Omeprazol é um medicamento seguro quando prescrito pelo médico, pois este pode monitorizar o seu uso, ajustando doses, fazendo medição de alguns parâmetros (como por exemplo a Vitamina B12), enfim, personalizando a utilização do medicamento a cada doente, como deveria ser feito em todos os casos.

 

Se toma Omeprazol por indicação médica e tem dúvidas, fale com o médico para confirmar o uso prolongado deste medicamento. Por vezes, a sua utilização é limitada a um certo período de tempo e convém parar, quando tal se justificar.

Se tem por hábito tomar Omeprazol para se "sentir mais bem disposto" após uma almoçarada, convém rever este hábito e encontrar uma alternativa junto do seu médico ou do seu farmacêutico.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:45

image_2017-01-04_23-27-48.jpeg

 

Boas notícias para todos, sobretudo para aqueles que sabem o que é um cancro da cabeça e pecoço, com todas as consequências inerentes à doença.

 

O primeiro medicamento oncológico português começou a ser desenvolvido em Coimbra, em 2010 pela empresa Luzitin.

Os ensaios clínicos tiveram início há cerca de dois anos e meio em doentes para os quais já não existiam soluções terapêuticas para combater o cancro instalado. Esta primeira fase decorreu no Porto, no Instituto Português de Oncologia (IPO) e no Hospital da CUF, com doentes voluntários, com o objetivo de avaliar a segurança (tolerância) e o efeito antirumoral (eficácia) do Redaporfin. É este o nome do fármaco fotossensibilizador, produzido pela primeira vez no nosso país. Podemos orgulharmo-nos de termos gente tão válida a trabalhar na investigação de novos medicamentos e de novos métodos na área da saúde.

 

Os resultados deste ensaio foram surpreendentes. Segundo Sérgio Simões, presidente da Luzitim,"o ensaio foi realizado num grupo restrito de doentes, nos quais se registaram resultados muitíssimo interessantes e que provam que o medicamento é seguro e não desencadeia efeitos secundários severos". Salientou ainda que, no ensaio clínico, foi possível mudar a vida de alguns doentes que estavam em cuidados paliativos, impossibilitados de comer e falar, devido às características do tumor, e que após a terapêutica já conseguiam comer e falar. Fabuloso!

 

Segundo Lúcio Lara Santos, responsável pelo ensaio clínico, do IPO de Porto, além do sucesso no tratamentos dos cancros da cabeça e pescoço, abriu-se a possibilidade de tratamentos para outros tumores sólidos.

Os próximos passos do desenvolvimento do Redaporfin envolvem a realização de um ensaio clínico em colangiocarcinoma, um tipo raro de cancro nas vias biliares, geralmente diagnosticado numa fase muito tardia da doença e que tem vindo a aumentar em Portugal e no mundo.

 

Parabéns a todos que estão a trabalhar nesta investigação! Resta-nos agora  aguardar mais uns anitos para termos o Redaporfin no mercado, a curar muitos doentes.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:47

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog