Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tenha à mão o Kit de Farmácia de Inverno!

por dicasdefarmaceutica, em 07.12.17

C16CC718-D4B7-4672-9723-9ACBCBA473C0.jpeg

 

Conforme prometido no post anterior (Cuidado com o frio!), além das medidas para nos protegermos do frio, convém ter em casa um kit de farmácia básico, muito útil em caso de aparecerem os primeiros sintomas relacionados com as chamadas doenças de inverno.

 

Kit Farmácia Inverno:

 

- Termómetro (o que gostar mais, digital ou de infravermelhos, desde que o utilize segundo as instruções do referido aparelho)

- Antipirético (para baixar a febre, por exemplo paracetamol)

- Anti-histamínico (particularmente importante para as pessoas com tendência para alergias nesta época do ano ou que tenham frequentemente o nariz a pingar)

- Antigripal (são muitos os existente no mercado, “atacando” os primeiros sintomas de gripe ou até de uma simples constipação. Atenção aos princípios activos destes antigripais, pois podem não ser os indicados para o seu caso!)

- Descongestionante nasal (pode ser um simples soro fisiológico, uma água do mar ou algum mais forte para uma descongestão mais eficaz. Pode escolher em spray ou em gotas)

- Analgésico (para as dores, sobretudo de cabeça, por exemplo, o paracetamol)

- Pastilhas para a garganta (à base de eucalipto, limão, com ou sem anti-inflamatório, são muitas as escolhas...)

- Anti-inflamatório (quando as dores de garganta não passam, um ibuprofeno, por exemplo, tomado durante três dias de acordo com as indicações, pode ser o suficiente para evitar o agravamento da doença)

- Mucolíticos e expectorantes (para facilitar a libertação de secreções, são os chamados xaropes para a tosse com expectoração)

- Antitússicos (utilizados apenas em casos pontuais, quando se trata de uma tosse seca e irritadiça)

- Hidratantes (mãos, lábios e corpo, fundamentais para evitar frieiras e lábios gretados, tão comuns nesta época do ano)

 

Todos os medicamentos devem ser tomados de acordo com a posologia.

Nesta altura de inverno, em que os sintomas muitas vezes se prolongam por vários dias, é muito importante não ultrapassar as doses recomendadas nem o tempo máximo para a toma de determinado medicamento. Por exemplo, um xarope para a tosse deve ser tomado apenas durante 5 dias.

 

O seu farmacêutico é a pessoa certa para o ajudar a ter em casa este Kit de Farmácia de Inverno. Este kit deve ser o mais personalizado possível, feito de acordo com a sua idade e com o seu estado de saúde.

 

Pode ver AQUI alguma dicas para organizar o seu armário de farmácia.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:34

6B46ADFE-9718-41D8-A375-8C06DA1EC239.jpeg

Já falei AQUI do Valormed e da sua importância para todos nós. Começou ontem mais uma campanha, por isso vamos relembrar qual o significado destes “contentores” espalhados nas farmácias do nosso país.

 

Um medicamento fora de uso tem mais vida  do que imagina” é o mote desta nova campanha, cujo objetivo é sensibilizar os portugueses para a importância da devolução às farmácias das embalagens vazias e dos resíduos dos medicamentos fora do prazo ou que já não são utilizados, assim como qualquer acessório utilizado para facilitar a sua administração.

 

A VALORMED defende que é importante alertar para a importância de não deitar as embalagens vazias e resíduos de medicamentos no lixo comum, ecopontos ou vazamento através dos esgotos, evitando-se a contaminação do meio ambiente, em particular os solos e as águas. “Tratar do ambiente” é também o mote de todas as campanhas VALORMED. 

Adoro os cartazes da campanha deste ano!

43DA6AAB-FB8C-4597-9B69-BE628FC66176.jpeg

Os contentores VALORMED estão espalhados por quase todas as farmácias do país, mas se quiser ter a certeza do que está mais próximo de si, pode ver AQUI.

 

“A VALORMED foi criada em 1999 e é uma sociedade sem fins lucrativos que tem a responsabilidade da gestão dos resíduos de embalagens vazias e medicamentos fora de uso. Resultou da colaboração entre a Indústria Farmacêutica, Distribuidores e Farmácias em face da sua consciencialização para a especificidade do medicamento enquanto resíduo. A criação de um sistema de gestão deste tipo de resíduos veio responder ao desafio inadiável de implementar um sistema autónomo para a recolha e tratamento dos resíduos de medicamentos, conduzindo a um processo de recolha e tratamento seguros. Desta forma, evita-se que, por razões de saúde pública, estejam “acessíveis” como qualquer outro resíduo urbano”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:58

“Dormir e Relaxar Sem Depender de Benzodiazepinas”

por dicasdefarmaceutica, em 19.11.17

1496B245-68D5-4083-BB60-CE0E2967AB22.png

 

Este é o mote da nova campanha que alerta para o consumo excessivo de benzodiazepinas.

“A Coordenação Nacional da Estratégia do Medicamento e dos Produtos de Saúde, em colaboração com o Infarmed, outros treze departamentos do Ministério da Saúde e as Ordens dos Farmacêuticos, dos Médicos e dos Psicólogos, delinearam uma campanha de sensibilização junto dos profissionais de saúde e dos cidadãos em geral, com o objetivo de alertar para os riscos associados ao consumo prolongado de benzodiazepinas.”

 

Cerca de 10% da população consome regularmente estes fármacos, tornando-se já um problema de saúde pública, dadas as consequências a curto e a longo prazo deste consumo excessivo.

Numa primeira fase desta campanha, vão ser distribuídos folhetos informativos aos utentes nas farmácias e centros de saúde:

 

CCEC754D-1FC5-4A28-9D1A-2C4DE704E1E2.jpeg

74D82922-3C66-4CB7-90AF-85DC3B3E4DC4.jpeg

 

Os profissionais de saúde vão também receber documentação sobre a utilização de benzodiazepinas, estando a informação centrada na necessidade da suspensão ou a redução destes medicamentos ser feita pelo médico assistente e para a existência de alternativas terapêuticas não medicamentosas e medicamentosas para o tratamento da ansiedade e da insónia.

 

As benzodiazepinas são medicamentos utilizados sobretudo para a ansiedade e para a insónia. Muitas pessoas chamam-lhe calmantes. Quantos de nós já ouvimos dizer: “Já não consigo dormir sem o comprimidinho...” ou “se sinto que estou nervoso, tomo o comprimidinho e parece que tudo passa...”

O pior é que aos poucos, vem a chamada dependência e os efeitos secundários, nomeadamente no que diz respeito às alterações da memória.

Também é verdade que faz pior não dormir muitas noites seguidas do que tomar o dito comprimidinho e eu digo isso muitas vezes a quem tem mesmo que tomar benzodiazepinas e tem consciência dos efeitos que as acompanham.

 

De qualquer forma, depois de lerem estes folhetos e este post, não vão “a correr” deixar de tomar os ditos fármacos, pois a interrupção repentina das benzodiazepinas pode provocar efeitos de privação graves. O chamado “desmame” deve ser feito lentamente e com a supervisão do médico.

 

Vamos resumir as ideias principais:

- Se toma benzodiazepinas há mais de dois meses, consulte o médico!

- O tratamento com benzodiazepinas deve ser o mais curto possível

- O tratamento com benzodiazepinas deve ser SEMPRE acompanhado por um médico

- Não deve suspender o tratamento com benzodiazepinas de uma forma repentina

 

Fiquem a aguardar mais posts sobre esta campanha e sobre algumas alternativas terapêuticas para controlar a ansiedade e a insónia!

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46

Dia Europeu do Antibiótico

por dicasdefarmaceutica, em 17.11.17

 

IMG_8988.JPG

 

"Roubei" esta imagem do site da Ordem dos Farmacêuticos , pois é muito significativa do  que se passa quando falamos de antibióticos e é muito actual para esta época do ano. Com a pressa de curar em poucos dias uma constipação ou uma gripe, são muitas as pessoas a "pressionar" médicos e farmacêuticos para a prescrição e venda de antibióticos.

 

Há dez anos que o dia 18 de novembro serve para lembrar um problema de todos os dias, que passa muito por comportamentos desadequados de doentes, de farmacêuticos, de médicos e até de outros profissionais de saúde. Trata-se de um problema sério com um futuro preocupante. Prevê-se que em 2050 a resistência aos antibióticos mate mais do que o cancro.

 

Segundo um apelo lançado pela Organização Mundial de Saúde, as situações mais emergentes estão relacionadas com infeções provocadas pela Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus e Enterobacteriaceae (por exemplo, a Escherichia coli), para as quais já começam a faltar soluções terapêuticas. Isto porque, em algumas estirpes, estas bactérias apresentam alterações genéticas que lhes permitem sobreviver a praticamente todos os antibióticos disponíveis.

Corremos o risco de que infeções que eram até agora consideradas de fácil resolução com a prescrição de antibióticos, possam tornar-se fatais.

Complicando ainda mais este panorama, observa-se também uma expressiva redução no ritmo de desenvolvimento de novos antibióticos por parte da indústria farmacêutica.

 

Vamos à prática: o que devemos fazer para prevenir este problema da resistência aos antibióticos?

- Não tomar antibióticos por iniciativa própria

- Seguir exclusivamente a recomendação do médico

- Tomar o antibiótico ao longo do tempo prescrito e respeitando os horários e dosagens

- Entregar na farmácia as eventuais sobras

 

Para saber mais sobre Antibióticos, veja AQUI no site da Ordem dos Farmacêuticos.

Para os mais “preguiçosos” que não vão ao site da Ordem, aqui fica mais uma imagem para verem com atenção e terem noção deste grave problema.

 

0E10BB64-3BF4-4124-901E-AB706A116AAF.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:36

Dia Nacional do Farmacêutico

por dicasdefarmaceutica, em 26.09.17

IMG_8819.JPG

 

Hoje é o Dia Nacional do Farmacêutico. O dia 26 de Setembro é consagrado a São Cosme e São Damião, que eram gémeos e que são os patronos dos farmacêuticos.

 

Quando dizemos que somos farmacêuticos, a grande maioria das pessoas vê-nos logo ao balcão da farmácia a vender e a dar conselhos sobre medicamentos. É verdade, mas os farmacêuticos não trabalham apenas nas farmácias comunitárias ou nas farmácias hospitalares. Também trabalham na indústria farmacêutica, na investigação científica, nas análises clínicas e genética humana, no ensino, na distribuição farmacêutica e em muitos outros ramos. Hoje é o dia de todos eles...

 

Para todos os farmacêuticos, de todos os ramos de actividade, neste Dia Nacional do Farmacêutico, deixo aqui um grande abraço e esta simbólica oração:

 

Oração a São Cosme e São Damião

São Cosme e São Damião,
que por amor a Deus e ao próximo
vos dedicastes à cura do corpo
e da alma de vossos semelhantes,
abençoai os médicos e farmacêuticos,
medicai o meu corpo na doença
e fortalecei a minha alma contra a superstição
e todas as práticas do mal.

Que a vossa inocência e simplicidade
acompanhem e protejam todas as nossas crianças.
Que a alegria da consciência tranquila,
que sempre vos acompanhou,
repouse também no meu coração.
Que a vossa proteção,
São Cosme e São Damião,
conserve o meu coração simples e sincero,
para que me sirvam também as palavras de Jesus:
“Deixai vir a mim os pequeninos, pois deles é o Reino dos Céus”.

São Cosme e São Damião, rogai por nós.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:49

A pele cuidada torna-nos mais confiantes!

por dicasdefarmaceutica, em 12.09.17

IMG_8791.JPG

 

Como estamos no início do ano escolar, vamos primeiro rever a matéria dada e falar do que é o pH da pele.

O pH ideal da pele encontra-se entre 4,7 e 5,75. O pH7 é o pH neutro. Qualquer valor abaixo de 7 é ácido e acima é alcalino. Assim, o pH da pele é ligeiramente ácido. Contudo, este pH varia com a idade (nos bebés é mais alcalino), com o sexo (o dos homens é ligeiramente mais ácido) e com a parte do corpo (por exemplo, é mais alcalino na zona das axilas e na zona genital).

IMG_8794.PNG

É muito importante manter o pH da pele, de forma a preservar a barreira protetora da pele e neutralizar os agressores que vão aparecendo, como alterações climáticas, poluição, cosméticos e até alguns medicamentos.

Quando esta barreira é comprometida, a pele torna-se seca, sensível e susceptível de infeções. Isto é o que acontece muitas vezes no Verão, sobretudo quando os cuidados com a pele são poucos.

 

As férias estão a acabar e os danos na pele, apesar de ainda estar com aquele tom "saudável", começam a aparecer. Nesta altura do ano, após longa exposição ao sol, belas tardes na piscina e alguns ambientes poluídos, a pele sensível encontra-se ainda mais fragilizada e aparecem as manchas, as descamações, começamos até a pensar: "para quê tanto trabalho a pôr protetor solar e a ganhar este tom, se agora vai tudo ficar com este aspeto desgraçado?"

Não costumo falar muito de marcas específicas, mas estou fã da loção hidratante pH5 da Eucerin. Trata-se de uma loção que, como o seu nome indica, hidrata, tornando a pele mais resistente e menos sensível. Estou a utilizá-la diariamente após o banho e noto a minha pele muito mais hidratada e com bom aspeto. 

 

A resistência natural da nossa pele pode ser reparada restaurando-se o valor do pH ideal: pH5. Quando a pele é desafiada por factores ambientais, como a poluição, o calor, o frio, este creme recupera o sistema de equilíbrio natural da pele e ajuda a manter a pele saudável. 

Eucerin pH5 é composto por Dexpantenol, que é reconhecido pelas suas propriedades de regeneração da pele. Tem o efeito de fortalecer a sua função protetora natural, deixando a pele saudável e resistente a danos externos e internos. Parece formar uma barreira protetora face às agressões constantes a que a nossa pele vai estando sujeita no dia-a-dia.

IMG_8793 (1).JPG

Para enfrentar mais um ano de trabalho, é fundamental que a nossa pele também se sinta bem, pois esta barreira contra fatores externos, quando está bem cuidada, torna-nos ainda mais confiantes!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:53

image_2017-09-07_18-44-17.jpeg

 

Em Junho deste ano, li uma notícia sobre um estudo europeu, SIMPATHY (Stimulating Innovation Management of Polypharmacy and Adherence in The Elderly), que falava de uma necessidade urgente da criação de um Plano Nacional de Revisão da Polimedicação na população idosa em Portugal.

 

A população idosa está a aumentar, assim como o número de patologias crónicas associadas ao envelhecimento. Com todo este panorama, a polimedicação é cada vez mais uma constante em Portugal e até agora, não havia qualquer política para lidar com este problema.

Por isso mesmo, a partir deste mês, na consulta pública, os médicos devem sinalizar e justificar obrigatoriamente os casos de idosos que tomam mais do que cinco medicamentos. Normalmente, são estes os doentes considerados "polimedicados" e, como sabem, são quase todos os doentes com doenças crónicas.

Esta é uma medida defendida na Estratégia Nacional para o Envelhecimento Ativo e Saudável. Segundo Pereira Miguel, coordenador do grupo de trabalho interministerial para a Estratégia do Envelhecimento Ativo e Saudável, "a ideia não é estabelecer um limite para a prescrição ou toma de medicamentos, nem sobrecarregar os médicos com trabalho burocrático, mas sim alertar para as interações medicamentosas".

Contudo, não são só as interações o problema. Podemos também preocupar-nos com o aumento da frequência das reações adversas e com o risco de quedas, tão comuns nos idosos e tantas vezes associadas aos medicamentos. São muitos os casos de internamentos hospitalares associados à polimedicação.

Neste campo, devemos falar não só dos medicamentos receitados pelo médico, mas também de todos aqueles que são vendidos sem receita médica e das "mezinhas" várias, que podem interferir com a medicação.

Também a diminuição na adesão à terapêutica decorrente de tomarem tantos medicamentos, é um dos possíveis efeitos da polimedicação.

 

Já tinha abordado este assunto várias vezes aqui no blog, salientando sempre a importância do papel do farmacêutico neste campo.

"O farmacêutico, enquanto profissional de saúde de proximidade e confiança, possui competências para atuar na administração da medicação, na promoção da adesão à terapêutica e no uso correto dos medicamento".

A gestão correta da medicação deve ser uma prioridade para médicos, farmacêuticos e para todos aqueles que se preocupam com o envelhecimento, que deve ser ativo e saudável.

 

A medida de que falamos hoje pode ser o início de algo muito importante para a Saúde de todos nós. É urgente refletirmos sobre aquilo que é prescrito a cada doente e sobre aquilo que é dispensado a cada doente! Penso que a medida não terá tanto a ver com a quantidade de medicamentos prescritos, mas sim com a necessidade de alertar para determinados doentes polimedicados e para a necessidade de acompanhamento dos mesmos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28

O papel do farmacêutico na Saúde Sexual dos portugueses

por dicasdefarmaceutica, em 04.09.17

image_2017-08-31_17-57-05.jpeg

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Saúde Sexual. Qual o papel dos farmacêuticos neste ramo da saúde tão importante?

 

Quando se fala de Saúde Sexual, está sempre presente a contraceção e neste campo,  todos nós, farmacêuticos, temos um papel primordial. Na maior parte das vezes, é na farmácia que são feitas as primeiras perguntas sobre determinado método e são tiradas todas as dúvidas.

Seja pelo medo de uma gravidez indesejada, pelo medo de apanhar alguma doença sexualmente transmissível ou mesmo pelo simples facto de não estar a fazer bem qualquer coisa, a insegurança é uma constante quando falamos de contraceção.

 

Qual o papel do farmacêutico na contracepção?

- Estudar muito bem todos os métodos contracetivos disponíveis.

- Quando vende um contraceptivo, questionar se é a primeira vez que a/o utente o está a utilizar e tirar todas as dúvidas sobre o mesmo.

- Realçar que só um uso correto e regular de contraceção permite reduzir o risco de falha do método.

- Solicitar à utente que reporte qualquer situação não habitual que surja.

- Saber encaminhar para o médico, quando é caso disso.

 - Sem tabus e se for caso disso, informar que caso haja uma falha, existe ainda a possibilidade de fazer contraceção de emergência, para evitar uma gravidez não desejada. Este é um assunto em que o papel do farmacêutico é muito importante. Aconselho a leitura de um post que já fiz sobre este assunto (ver AQUI).

- Colaborar com as entidades locais na formação dos mais novos no tema "Saúde Sexual".

- Em resumo, assegurar uma utilização cada vez mais correta, segura e eficaz dos métodos contracetivos.

 

Em termos de Saúde Sexual, também a disfunção erétil é assunto diário nas nossas farmácias. A farmácia é aquele espaço sem barreiras, que tira as dúvidas e dá conselhos sobre estes assuntos, considerados quase "secretos" para tanta gente. É bom frisarmos que faz parte da Saúde Sexual, ter uma vida sexual ativa e a disfunção erétil é um problema de saúde que, como todos os outros, deve ser resolvido.

A disfunção erétil pode aparecer em qualquer fase da vida e pode dever-se a vários fatores: cansaço, stress, hábitos tabágicos, medicação, desiquilíbrios hormonais, etc...

Consoante a causa, também aqui o farmacêutico pode ajudar e ter um papel ativo, seja explicando ao utente a necessidade de alterar alguns hábitos, seja aconselhando algum suplemento ou a ida a uma consulta médica para administração de medicação específica.

Também é fundamental, o acompanhamento do tratamento prescrito pois, muitas vezes, não é na primeira nem na segunda tentativa, que se vê o sucesso da terapêutica instituída.

 

Para finalizar, é sempre bom lembrar que a saúde sexual e reprodutiva diz respeito tanto a homens como a mulheres!

"As normas de direitos humanos obrigam os Estados a respeitar, proteger e concretizar o direito à saúde sexual e reprodutiva, bem como assegurar que os cidadãos têm a oportunidade de participar ativamente no desenvolvimento de políticas de saúde e a tomar decisões individuais - nomeadamente, determinar se e quando ter filhos, bem como proteger o direito de todos à saúde sexual e reprodutiva, assegurando a não violência nos relacionamentos e proporcionar informação e educação aos mais jovens."

 

Se tem dúvidas, não hesite, fale com o seu farmacêutico!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30

 

IMG_8777.JPG

O laboratório de tecnologia farmacêutica da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto lançou uma plataforma online, onde os consumidores e os profissionais podem esclarecer as suas dúvidas sobre a composição e/ou a segurança de um determinado cosmético.

A plataforma chama-se PORTALinfoCOSMÉTICOS e pretende ser uma "comunicação fácil, com profundidade científica", como a define Isabel Martins de Almeida, docente desta Universidade e coordenadora da plataforma.

 

Já existem plataformas semelhantes noutros países, mas não existia nenhuma em língua portuguesa. Até agora, quando surgia uma dúvida sobre um determinado produto,  teria que se recorrer ao Infarmed, pois é a entidade que supervisiona todos os produtos cosméticos vendidos em Portugal.

 

Na actualidade, o excesso de informação, sobretudo nas redes sociais, causa frequentemente alarmismos excessivos e informações erradas sobre saúde de um modo geral e sobre cosméticos, em particular. Qualquer pessoa fala de cosméticos, das suas composições e propriedades, consoante aquilo que lêem ou que lhes "impingem" nalgum folheto entregue em qualquer local. A fonte é a correta? Tem alguma credibilidade científica? Talvez...

 

Todos sabemos que a literacia da população na área da saúde é muito baixa e isto alarga-se à área particular da cosmética, daí a importância da existência de uma plataforma como esta.

A partir de agora, é fácil saber sobre a segurança e eficácia dos ingredientes de determinado cosmético e também sobre a sua regulamentação. 

 

De qualquer forma, não estejam sempre a desconfiar dos cosméticos comercializados em Portugal, pois todos eles são legislados e supervisionados pelo Infarmed, que assegura se se trata de produtos seguros para a saúde. 

Se tiver dúvidas, além de poder consultar esta plataforma, pode sempre ir à farmácia e conversar com o seu farmacêutico.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:06

É difícil travar os vendedores de rua no Haiti

por dicasdefarmaceutica, em 27.06.17

image_2017-06-27_10-25-47.jpeg

 

Li recentemente um artigo na National Geografic e tenho que partilhar convosco. Fala dos vendedores de rua de medicamentos no Haiti, uma realidade que ninguém consegue travar. Já tinha ouvido falar disto, mas nunca tinha visto fotografias, e que fotografias!

Os fotógrafos Paolo Woods e Gabrielle Galimberti fizeram este trabalho fantástico com estes homens e mulheres a transportar verdadeiras "torres de medicamentos" de toda a espécie e de toda a qualidade.

Claro que esta é uma atividade ilegal, mas as leis raramente são aplicáveis neste país e o Ministério da Saúde Pública pouco pode fazer. Os vendedores de rua são a principal fonte de abastecimento de medicamentos para muitos habitantes do Haiti. 

Estes homens e mulheres vendem de tudo: medicamentos vindos da China, antibióticos "para todos os males", medicamentos falsificados, com o prazo de validade expirado, enfim, a inspeção do Infarmed não passa por aquelas zonas...

Apreciem bem as torres de medicamentos, feitas em pilhas unidas por tiras de borracha e os acessórios para a prática da modalidade! Não faltam as tesouras, para cortar os blisteres e vender à unidose, de forma a não haver desperdício. Será que há controle de temperatura e humidade?

Parece que vender não é a sua única prática; sabem de tudo e o "aconselhamento farmacêutico" também é a sua especialidade. Imaginem o perigo...

Deixo-vos com as fotografias, muito ilucidativas do que acabo de descrever. Parabéns aos fotógrafos! Parabéns à National Geografic por nos dar a conhecer esta realidade!

 

image_2017-06-27_10-41-06.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-07.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-08.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-10.jpeg

 

image_2017-06-27_10-41-12.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:43

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Pesquisar

  Pesquisar no Blog