Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




É bom ser Criança em Portugal!

por dicasdefarmaceutica, em 04.07.17

image_2017-07-04_11-35-51.jpeg

 

Nesta época em que se diz mal de tudo e em que há tantos culpados desculpados de tanta coisa, é bom que se fale do que é bom e que se dê os parabéns a quem luta para que as coisas boas aconteçam. 

 

De acordo com os resultados divulgados recentemente pela KidsRights, uma organização não-governamental internacional que promove o bem-estar de crianças vulneráveis por todo o mundo, Portugal está em primeiro lugar no que diz respeito à proteção dos direitos das crianças. A posição cimeira é justificada pelos bons resultados nos campos da legislação infantil, saúde e educação.

Neste estudo foram avaliados 165 países, em 23 indicadores. As cinco primeiras posições ficaram para Portugal, Noruega, Suíça, Islândia, Espanha e França, respetivamente. Os últimos lugares do ranking foram para a República Centro Africana, o Afeganistão, Serra Leoa, Vanuatu e a Republica do Chad. Pode consultar AQUI o relatório completo.

 

A propósito deste assunto que tanto nos orgulha, o guia "Tenho uma criança" está on-line desde a passada sexta-feira, dia 30 de junho, no Portal do Cidadão. Este guia reune um conjunto de informações úteis para os futuros e recém pais e mães.

A título de exemplo e como Saúde é a área a que me dedico, aqui fica um"cheirinho" do que podem encontrar neste guia:

 

Cuidados de saúde gratuitos:

As crianças e jovens até aos 18 anos têm acesso a cuidados de saúde gratuitos nos centros de saúde e hospitais do Serviço Nacional de Saúde, estando isentos de taxas moderadoras.


Consultas de acompanhamento da criança e jovem:

Desde a primeira semana de vida até completar os 18 anos, a saúde da criança/jovem é vigiada pelos profissionais de saúde em consultas regulares de acompanhamento.

image_2017-07-04_11-51-16.png

Em caso de doença ou acidente:

Os pais e as mães podem faltar para dar assistência ao filho:
- até 30 dias por ano ou durante o período de hospitalização, se o filho tiver menos de 12 anos ou se tiver uma deficiência ou doença crónica.
- até 15 dias por ano, se tiver 12 anos ou mais.

Os avós também podem faltar ao trabalho para dar assistência aos netos, caso os pais não possam fazê-lo. Os dias de faltas dos avós são descontados dos dias a que cada um dos pais tem direito.

O valor do subsídio para assistência a filho ou a neto é 65% da remuneração de referência.

 

O mais importante mesmo é sabermos que as nossas crianças são felizes. Para que tal aconteça, "todas as crianças têm direito a crescer num ambiente seguro. A instabilidade e a insegurança física ou emocional afetam o seu desenvolvimento, a sua autoconfiança e a sua capacidade de aprender. Os pais e as mães são responsáveis por supervisionar e educar os seus filhos".

 

Parabéns Portugal! Vamos continuar a proteger as nossas crianças.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:19

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog