Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

image_2017-09-15_08-07-59.jpeg

 

Já falei várias vezes na moda das tatuagens. Apesar de ser uma moda que eu não gosto, tenho que concordar que algumas delas são verdadeiras obras de arte. Poderiam era estar numa tela e não "cravadas" no corpo de alguém.

 

Para fazer uma tatuagem, utilizam-se objetos que penetram na pele (agulhas) para aí depositarem os pigmentos, que irão fazer os contornos do desenho escolhido. Os pigmentos não ficam localizados no local do desenho e migram para várias partes do corpo.

 

Além da dor que deve causar, são vários os riscos ao fazer uma tatuagem:

- Risco de infeções, decorrentes da possibilidade das bactérias que existem na pele, entrarem no organismo durante o processo de execução da tatuagem. Os Staphylococcus aureus estão em ascensão entre pessoas tatuadas, e isto é particularmente preocupante, porque esta espécie de bactérias é altamente resistente à maior parte dos antibióticos.

- Risco de problemas de pele, como granulomas (caroços vermelhos) e quelóides.

- Risco de reações alérgicas às tintas usadas para tatuar, ou mesmo aos materiais utilizados. Algumas reações de sensibilidade podem ocorrer algum tempo após fazer a tatuagem; as toxinas de algumas tintas podem entrar nos rins, pulmões e nódulos linfáticos, através do sistema circulatório.

- Risco de contrair doenças, como Hepatite B, Hepatite C e SIDA. Este risco só existe se o material utilizado não for rigorosamente esterilizado e descartável.

- A tinta das tatuagens acumula-se nos gânglios linfáticos, podendo causar danos irreversíveis.

 

Sobre este último ponto, já se tinha falado, mas faltavam dados científicos a comprová-lo. Saíu agora um artigo na revista Scientific Reports - Nature de um estudo feito por cientistas alemães e franceses, que  demonstra que as substâncias presentes nos pigmentos infiltrados na pele se deslocam no interior do organismo, acumulando-se nos gânglios linfáticos, o que dificulta, por exemplo, os exames de diagnóstico de cancro. Quantas mais tatuagens uma pessoa tiver, mais substâncias perigosas terá acumuladas.

São vários os compostos perigosos que se podem acumular nos gânglios linfáticos: níquel, crómio, manganésio, cobalto, dióxido de titânio e outros. 

Os investigadores alertam ainda para o facto da eliminação de tatuagens através de laser não resolver o problema, pelo contrário; o laser dissemina os pigmentos pelo organismo e causa neles uma transformação química.

 

Os estudos sobre este assunto vão continuar, pois ainda são mal conhecidos os verdadeiros danos causados por esta moda presente em todo o mundo. Pelo sim, pelo não, é melhor reflectir bem antes de fazer uma tatuagem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:14

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog