Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A "moda" da Vitamina D

por dicasdefarmaceutica, em 26.04.17

 

image_2017-04-25_13-32-36.jpeg

 

Tem-se falado muito da necessidade (ou talvez não) dos suplementos de Vitamina D. Isto porque os encargos com a prescrição de vitamina D quintuplicaram entre 2014 e 2016, passando de € 1,1 milhões para 5,7 milhões, entre medicamentos com e sem comparticipação. Também a despesa para o Serviço Nacional de Saúde aumentou e quase triplicou, passando de 779 mil euros para 2,1 milhões de euros, avançou a SIC.

 

São várias as questões que se podem colocar:

- Será "moda"?

- Apesar de termos um país com tanto sol, haverá mesmo necessidade deste suplemento?

- Estará a ser bem indicado? Seja por indicação médica ou não, deverá ser sempre uma indicação personalizada, adequada a cada caso.

 

 

Vamos esclarecer uns pontos para podermos julgar melhor a situação.

Existem 3 fontes de produção de Vitamina D:

1 - Sol: por exposição solar os raios UVB são capazes de activar a síntese desta substância. O sol é o responsável por 80 a 90% desta produção.

2 - Alguns alimentos, especialmente os peixes gordos.

3 - Suplementos.

 

Apesar de sermos um país com muito sol, são vários os estudos que indicam que grande parte da população tem défice de Vitamina D. O que se passa é que os números destes estudos parece que são bem diferentes, e esta é a verdadeira polémica. Como poderemos saber qual é o que está certo, e chegar às verdadeiras conclusões? 

Existem dois estudos em Portugal, um da Universidade Nova de Lisboa (Epireuma) e outro do Centro Hospitalar de Coimbra, com resultados muito diferentes. Os dois incidiram sobre as mesmas amostras de sangue, mas utilizaram métodos e aparelhos diferentes. O da Nova constatou um défice de vitamina D de 15,7% em mulheres com mais de 65 anos, e o de Coimbra um valor (71,7%) que equivale a quase cinco vezes mais.

 

Apesar de tudo, não há dúvidas quanto aos benefícios e usos da Vitamina D:

- Fortalece os ossos. Esta hormona é necessária para a absorção do cálcio pelos ossos. Pode ser responsável pelo raquitismo na infância e pela osteoporose nos adultos.

- Fortalece os músculos. A fraqueza muscular nos idosos e as quedas frequentes estão muitas vezes associadas à deficiência de Vitamina D.

- Importante na gravidez: a sua falta, no primeiro trimestre da gravidez pode levar a abortos e no final da gravidez pode ser responsável por pré-eclâmpsia.

- Para controlar e prevenir a diabetes. A produção de insulina pelo pâncreas requer Vitamina D. Alguns estudos mostram que, em crianças, o risco de desenvolverem diabetes tipo1 pode ser muito reduzido com um suplemento desta vitamina.

- Protege o coração, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares e permite um maior controle da Hipertensão arterial.

- Ajuda no tratamento de doenças autoimunes, como por exemplo o Lúpus ou a Artrite reumatóide. A vitamina D é um imunoregulador que inibe seletivamente o tipo de resposta imunológica que provoca a reação contra o próprio organismo. O tratamento de doenças autoimunes com vitamina D é algo recente, mas é visto por especialistas como um grande avanço da medicina. Esta substância mostra mesmo um efeito anti-inflamatório nestas doenças.

- Prevenção e tratamento de alguns tipos de cancro. A falta de Vitamina D favorece o aparecimento do cancro da mama e próstata, entre outros.

 

Isto são só alguns exemplos. Parece mesmo que a Vitamina D faz bem a quase tudo, mas na realidade, quando em excesso, pode também ser prejudicial. Quando em quantidades acima das necessidades, pode desenvolver alguma toxicidade e o excesso de cálcio pode acumular-se no organismo, especialmente nos rins, nos vasos sanguíneos, nos pulmões e no coração. Normalmente, este excesso manifesta-se primeiro nos rins, que podem apresentar um mau funcionamento, resultando em insuficiência renal.

 

Assim, como com todos os suplementos, é fundamental o aconselhamento médico. Só o médico pode mandar fazer as análises necessárias para avaliar a necessidade de Vitamina D e para monitorizar a quantidade a administrar. Não é por a "vizinha" ter ficado sem dores desde que toma o tal suplemento, que "eu" também tenho que tomar...

 

Contudo, convém realçar que na grande maioria das vezes, a Vitamina D é muito bem tolerada e muito segura. A toxicidade é muito rara.

Está na altura de apanhar sol, pois este, no que se refere à Vitamina D, nunca é tóxico e faz bem a muitos males!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:08

Imagens

Algumas das imagens presentes no blog são retiradas da Web. Na impossibilidade de as creditar corretamente agradeço que, caso alguns dos autores não autorize a sua publicação, entre em contato, para que as mesmas sejam retiradas de imediato.

Termo de responsabilidade

A informação contida neste blog não substitui o aconselhamento médico ou farmacêutico. O objetivo do blog, é informar sobre vários assuntos ligados à saúde em geral, e à farmácia em particular. Os vários temas são abordados de uma forma não exaustiva, acessível ao público em geral.



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Pesquisar

  Pesquisar no Blog